Presidente do Tapajós, Sandeclei Monte, é contra o retorno do Parazão antes de dezembro

O mandatário do Boto afirma que se voltar em agosto, o clube está fora da competição
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Com uma sinalização de um possível retorno do Campeonato Paraense de 2020 divulgado pela FPF, no mais tardar para o mês de agosto, o presidente da equipe do Tapajós Futebol Clube, Sandeclei Monte, se manifestou sendo totalmente contra a continuidade do Parazão antes do mês de dezembro. Segundo o mandatário do Boto da Amazônia, os contratos dos atletas encerraram no mês de abril, a equipe não terá como montar um elenco para apenas os dois jogos que restam para terminar a primeira fase do estadual.

“Muitos atletas já venceram os seus contratos, até porque tínhamos só o Campeonato Paraense, então em abriu venceram vários contratos dos jogadores do plantel. Essa questão do retorno do Parazão, é complicado, muito complicado, porque eles estão querendo comparar o Campeonato Paraense com campeonato do sul e sudeste. Os clubes paraenses, eles não tem mais de onde tirar nenhuma verba. Como é que vai se montar uma equipe?” afirmou Sandeclei Monte, presidente do Tapajós.

Quando o Parazão foi paralisado devido a pandemia do novo coronavírus, o Tapajós estava lutando contra o rebaixamento, estando na 8ª posição na tabela de classificação, com oito pontos conquistados, tendo em sua campanha, duas vitórias, dois empates e quatro derrotas. O chamado Boto da Amazônia assinalou nove gols e sofreu outros nove, tendo um saldo zerado, e com 33,3% de aproveitamento. O mandatário do clube santareno, acredita que a FFP tem algum recurso na manga para poder falar em retorno da competição.

“Será que a federação está trabalhando em cima de alguns recursos para alguns clubes? De onde vem esse recurso? Quem vai pagar essa conta? Será que vão passar por cima das autoridades de saúde? Então, não é o momento de se falar, é um momento muito complicado, o Tapajós é contra isso. Colocamos uma proposta para que o campeonato fosse terminado na preparação do campeonato de 2021, e não deram bola, essa é a verdade,” disse Sandeclei Monte.

O presidente do Boto da Amazônia se referiu a proposta que apresentou em um dos congressos técnicos realizados por videoconferência entre os 10 clubes participantes e a cúpula da Federação Paraense de Futebol. A ideia colocada pelo Tapajós era que a FPF retornasse com o Parazão em dezembro, e que mudasse o regulamento para que nenhum time fosse rebaixado. Alguns clubes concordaram, como o Clube do Remo, atual bicampeão paraense, mas a proposta não foi para frente.

“Por que não se pegou e aprovou essa ideia de fazer terminar o campeonato de 2020 para a preparação de 2021? Não cairia ninguém, preparavam as 10 equipes, jogavam, terminariam a 9ª e a 10ª rodada, semifinal e a final, e se conheceria o campeão e os que ganharam a vaga do campeonato nacional. Não deram a atenção devida para essa proposta. Agora querer botar o campeonato para retornar. Como é que uma equipe como o Carajás que já está rebaixada vai montar um elenco para duas partidas? Como é que algumas equipes vão montar elenco para fazer dois jogos? Não está vendo que isso é devassado. Não tem como fazer o retorno do Campeonato Paraense. Se voltar, o Tapajós está fora!” desabafou Sandeclei Monte.

Por Fábio Relvas

Publicidade