Prefeitura de Parauapebas manda à Câmara regulamentação de carros de aplicativo

Medida vai proibir de rodar e fazer transporte de passageiros os veículos com mais de 10 anos, e também instituirá penalidades e multas para quem não se enquadrar na “cartilha” do DMTT

Continua depois da publicidade

Não vai agradar a todos. Essa é a síntese para um projeto de lei que visa regulamentar o bagunçado transporte por aplicativo da Capital do Minério e cujo texto o prefeito Darci Lermen jogou no colo dos vereadores no último dia 30, no apagar das luzes para o recesso funcional da Câmara de Parauapebas. A matéria é polêmica e vem com um montão de penalidades para os profissionais de “app” que descumprirem as regras, caso seja aprovada da forma como está. As informações são do Blog do Zé Dudu.

Pelo texto, será criado um cadastro municipal de condutores do transporte privado individual remunerado de passageiros, a ser gerido pelo Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT), a fim de organizar a “desespero” de motoristas na cidade. Não há dados concretos, mas estima-se que o número daqueles que fazem bico ao volante beire 10 mil, uma vez que tanto motoristas residentes na própria cidade quanto de outras localidades realizam corridas em Parauapebas.

Além disso, embora muitos tenham empregos formais, o serviço de transporte de passageiro por aplicativo se tornou a fonte de renda principal para muitos condutores — outra parte diz que é apenas um complemento de renda. Atualmente, Parauapebas só perde para Belém em número de motoristas de aplicativo no Pará.

Carros antigos na mira

A regulamentação deve pôr fim à prática de alguns motoristas de comprar carros antigos para fazer “bico de uber”. Isso porque, pelo projeto, a idade máxima dos veículos passa a ser de dez anos. Hoje, é possível ver nas ruas de Parauapebas muitos modelos de 2011, 2010, 2009 e 2008 fazendo corridas tranquilamente.

O profissional que não se movimentar para se enquadrar às novas diretrizes que vão doutrinar o serviço local de transporte privado individual remunerado de passageiro, seja condutor ou operador da plataforma tecnológica, ficará sujeito a advertência, multa, suspensão por até 60 dias para prestação do serviço e cassação de autorização para rodar. O valor da multa varia conforme o nível de descumprimento da lei.

Em mensagem à Câmara para justificar o projeto, o prefeito Darci observa que Parauapebas “tem contado com a expansão dos operadores de plataformas tecnológicas e de seus condutores que prestam serviço” na cidade, usando a prerrogativa constitucional da livre iniciativa e concorrência, especialmente como forma de complementação de renda.

O gestor observa, entretanto, que a legislação atual autoriza os municípios a regulamentar e fiscalizar o serviço de transporte privado individual remunerado de passageiros, razão pela qual a prefeitura vai mexer em tema tão espinhoso e, até o momento, cômodo para os motoristas. Ainda não se sabe o quanto a proposição do Executivo deve afetar os usuários de transporte por aplicativo, ainda assim, é certo que a conta vai chegar para todos.

5 comentários em “Prefeitura de Parauapebas manda à Câmara regulamentação de carros de aplicativo

  1. Iranir Vieira Responder

    Todos que circulam nesse trânsito caótico de Parauapebas é porque tem necessidade, caso contrário não o fariam. Concordo quanto a regulamentação, mas desde já fico triste pelos colegas que não poderão mais circular por não terem um veículo dentro do período exigido.

  2. Edialdo ribeiro Responder

    Eu acredito que o executivo é legislativo é que tem outoridade sobre a cidade não esses esses aplicativos ; tem de ser todos formais como as outras impresas de construção civil pesada , (eu acho…) e os motoristas capacitados com cursos de transportes passageiros ,e direção defensiva em dias , pois são vidas que eles transportam. Trabalho com transportes de garga e, faço toxicológicos direção defensiva e mopp para atuar na área. (são gastos a mais mais né? E muito conhecimento )

  3. JOSE ARNALDO OLIVEIRA DOMINGOS Responder

    A lei será inconstitucional, o transporte por aplicativo é privado porém não cabe a administração pública legislar sobre o aumento

  4. Márcio Roberto de Souza Responder

    Concordo com as palavras do prefeito é bom pra cidade é bom para o passageiro eu trabalho hoje apenas com aplicativo e vejo o quanto tem carros antigos rodando e outra coisa assim como eu tem muitos pais de família vivendo apenas de aplicativo e muitos que rodam já tem seu emprego e não precisam desse complemento rodam por esporte. Na minha opinião tem que ser feito fiscalização sim.

  5. Edilson Borges da Silva Responder

    Muito bom mesmo podia ele proibir a 99 de operar na cidade pois a taxa deles e muito cara o que a gente ganha e só para eles e a gasolina nosso lucro e pouco você tem que roda o dia todo e um pouco da noite para obter um lucro

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: