Prefeitura de Canaã autoriza retorno de aulas presenciais em escolas particulares

Na rede pública, as atividades em sala de aula permanecem suspensas até realização de uma escuta pública
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Durante uma coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira, 02, a Secretaria de Educação de Canaã dos Carajás anunciou a retomada gradual das aulas presenciais na rede particular. Na rede pública de ensino, as atividades em sala de aula permanecem suspensas até a realização de uma escuta pública com pais, responsáveis, alunos e profissionais da educação.  Além da secretária Roselma Milani, também estavam presentes a Secretária de Saúde, Daiane Celestrini e o Procurador do Município, Charlos Melo.

De acordo com a prefeitura, o retorno na rede privada será gradual, iniciando com 25% da capacidade e, dependendo da situação da pandemia, pode subir para 50% e assim, sucessivamente, até que as escolas tenham condições de atender toda a demanda. Contudo, antes da retomada de aulas presenciais, as instituições privadas devem encaminhar a prefeitura, um plano que obedeça todos os protocolos que serão estabelecidos pelas autoridades de saúde.

As escolas particulares também devem oferecer opções de aula, que podem ser presencial, remota ou mista, uma vez que os pais não serão obrigados a levar seus filhos para as escolas.

Na rede pública, a decisão pela retomada de aulas presenciais dependerá da participação da comunidade. “Nós precisamos de algumas orientações dos Conselhos Nacional e Estadual de Educação e demais órgãos, para que possamos realizar uma escuta pública com a comunidade. Os pais e responsáveis precisam participar dessa decisão, portanto, somente depois dessa escuta é que nós vamos deliberar o prazo para o retorno”, ressaltou a secretária, Roselma Milani. As aulas seguem remotas, com atividades elaboradas para serem feitas em casa.

A Prefeitura de Canaã vai publicar, nos próximos dias, um novo decreto com as regras que devem ser adotadas pelas escolas públicas e privadas para o retorno de aulas presenciais.

Por Dayse Gomes