Prefeitura de Canaã acerta na “loteria” dos royalties e ‘surta’ com R$ 70 milhões

Riqueza de governo que comanda 40 mil habitantes está próxima à de Santarém, que comanda 300 mil. Prefeitura de Canaã é uma das dez mais prósperas do país.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma informação não confirmada chegou ao Blog dando conta de que o prefeito de Canaã dos Carajás, Jeová Andrade, passou mal de tanta emoção ao saber o que vai parar na conta corrente do seu governo: R$ 69.818.703,58. Não é mentira: são quase R$ 70 milhões que a Agência Nacional de Mineração (ANM) definiu em cota de royalties na manhã de hoje (6), entre os quais alguns valores retroativos pendentes junto à Vale. O crédito será efetuado nas próximas horas.

Esses R$ 70 milhões são o maior valor único já visto em conta pelo município de 25 anos. Com tudo isso, Canaã poderia “comprar” uma das 70 prefeituras do Pará, que se batem o ano inteiro e, ainda assim, não conseguem arrecadar tanto. Exemplos? A Prefeitura de Eldorado do Carajás, cuja receita líquida ano passado ficou em R$ 65,65 milhões. Ou Água Azul do Norte, que conseguiu arrecadar ao todo R$ 51 milhões.

Com esse valor que se soma ao resto da arrecadação do ano, o ainda pequeno município de 40 mil habitantes vai botar quente em cima dos grandões no ranking das prefeituras ricas. Nos primeiros quatro meses deste ano, o Blog apurou que a Prefeitura de Canaã — que encerrou 2018 na 8ª posição — derrubou Barcarena e Castanhal. Ocupa, agora, a 6ª colocação, atrás de Belém, Parauapebas, Marabá, Ananindeua e Santarém. Todas essas prefeituras cuidam de mais de 200 mil habitantes.

A novidade é que, com esse “acerto na loteria dos royalties”, como os filósofos da economia mineral estão chamando a cena financeira de hoje, o Poder Executivo de Canaã vai encostar em Santarém até o final do ano. Canaã, não é demais lembrar, é a prefeitura que mais enriquece no Pará e está entre as dez mais prósperas do país hoje, conforme histórico de contas disponível na Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Até 2030, se os planos da Vale derem certo, a Prefeitura de Canaã vai ultrapassar a de Parauapebas em riqueza e brigar com a de Marabá pelo 2º lugar no Pará, sendo que a primeira colocação permanecerá com Belém, uma das capitais mais socialmente falidas do país. Quem viver verá.

Publicidade