Parauapebas

Prefeito de Parauapebas desqualifica instituto que estava de olho na Saúde

Terceirização do HGP vem sendo discutida há tempos, mas processo caminha a passos lentos. Hospital tornou-se estrutura complexa e cara demais para cofres da Semsa.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) continua sua jornada em busca de uma Organização Social na área de Saúde (OSS) para chamar de sua e gerenciar o Hospital Geral de Parauapebas (HGP) “Evaldo Benevides”, em atendimento ao Procedimento de Qualificação de número 1, do ano passado, iniciado pela pasta com a finalidade de qualificar pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, com atividades relacionadas à prestação de serviços em saúde.

Nesta terça-feira (30), foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) um aviso público, datado do último dia 26, do qual consta que o prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, “após analisar as razões recursais apresentadas pela entidade interessada”, que seria o Instituto Diretrizes, e a instrução para o procedimento de qualificação, decidiu manter indeferido o pedido de qualificação da entidade como OSS. O Instituto Diretrizes lutava para reverter a desqualificação.

A terceirização do HGP vem sendo discutida há vários meses, mas sempre dividindo opiniões. O secretário José das Dores Couto, que está demissionário, provavelmente deixará o cargo e não vai conseguir realizá-la. A estrutura do HGP tornou-se complexa e cara demais para o volume de recursos que a Semsa administra, muito embora 80 mil parauapebenses nem utilizem essa estrutura por serem beneficiários de planos de saúde.

Deixe seu comentário