População participa de ato público reivindicando paz em Parauapebas

Continua depois da publicidade

PAZ Por Francesco Costa – da Redação

“Quantos homens de bem precisarão ser vítimas?”, indagava um cartaz exibido no Ato Publico Contra a Violência, ocorrido no fim da tarde de ontem, 29, segunda-feira, em Parauapebas.

O ato público foi planejado pela sociedade civil organizada que em várias reuniões discutiram a melhoria na segurança pública para Parauapebas, tendo como principal motivação o assassinato dos empresários Altamiro Borba e “Toinzin do Psol”, além de outros desmandos que rotineiramente ocorrem no município.

Estiveram presentes nas rodadas de discussões realizadas no auditório da ACIP (Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas) representantes da OAB, do Poder Legislativo, de partidos políticos, de entidades, da imprensa e empresários dos mais diversos segmentos.

Entre os pontos discutidos estiveram a criação de guaritas para identificar quem entra na cidade por todas as portas; o aumento no efetivo da policia militar; a troca de parte do efetivo policial que está supostamente estaria corrompida; a implantação de delegacias nos bairros com combate intenso ao tráfico de entorpecentes; a intervenção do Estado com soluções para crimes bárbaros; a regularização da iluminação pública; a fiscalização e fechamento de casas noturnas com regulação de horário de funcionamento e a não permanência de menores nas mesmas.

Após a discussão e apresentação de propostas foi definido uma comissão que deverá agendar reunião com o Secretário de Estado de Segurança Pública e Cidadania do Pará para apresentação das propostas e solicitar a troca do comandante do 23º BPM (Batalhão da Polícia Militar), Tenente Coronel Mauro Sérgio, além da troca do efetivo dado como corrompido e mudanças no modelo de ação da corporação no município.

Sobre o Ato Público

Contando com a participação de igrejas, entidades, representatividades políticas e segmentos livres da sociedade civil organizada, o Ato Público Contra a Violência apelou aos governantes que tragam a solução e dê atenção aos problemas da segurança pública local.

Teatro, dança, música, cartazes e testemunhos de parentes de vítimas foram usados durante o evento para a sensibilização dos presentes. A expectativa é que os responsáveis pelo Ato, bem como a comunidade, dê continuidade neste pacto de paz e luta contra a violência.

20 comentários em “População participa de ato público reivindicando paz em Parauapebas

  1. goiano Responder

    Cauê tu é uma mentira mesmo. Lendo seus relatos acho ki vc é um filhote ou um remanescente da ditadura militar tua visão é arcaicas.

  2. Anônimo Responder

    Caua, temos que rever oq está sendo cobrado segurança ou seu desejo particular, som,bar,festas….. não são causadores de violência, mas sim a educação do povo!!

  3. Francisca Responder

    Mudando de assunto então esse Cauan Piri ja andou no trem pelo que vejo na classe economica Hein Agora falando serio vejo as polices se esforçando muito no combate ao crime acontece que cada dia surge mais maus elementos e olha Cauan Pirí não é só maranhense não tem goiano paraense tocantinenses enfim precisa mudar tambem a mente que todos possam colher frutos do seu proprio trabalho.Concordo que Parauapebas é alto consumidor de bebida alcolica e drogas ilicitas.

  4. Fabio melo costa Responder

    A violencia em parauapebas já não é novidade, esse problema é nacional os governantes já não estão dano conta de tanta bandidagem que existe no brasil, a cidade de parauapebas vai crescendo a cada dia e muitos imigrantes aparecem por aqui são trabalhadores, pessoas de bem e tabem ladroes, corruptos e bandidos. este mal vem se espalhando em todos os lugares , as autoridades pede por socorro e a sociedade sofre com tanta violencia eles pedem por paz e justiça mais só há guerra e transtornos e dão de cara com a corrupção.

  5. ZACARIAS MARQUES Responder

    Caro Zé Dudu, boa tarde!

    Em poucas linhas o nosso movimento que foi criado através do NÚCLEO GESTOR DE APOIO AOS SERVIÇOS DE SEGURANÇA PÚBLICA EM NOSSA MUNICÍPIO, através dos diversos segmentos da sociedade,sem bandeira de política partidária, teve o conhecimento e acompanhamento da Justiça através do Juiz Líbio Moura e do Ministério Público, tratamos de diversos temas: Construção da Cadeia Pública, Criação da Guarda Municipal; Construção de Postos Avançados nos Acessos da Cidade; Inauguração do IML; Aumento do Efetivo Policial, Civil e Militar; Vara da Justiça Federal; e Ampliação do Vídeo Monitoramento. Nessa oportunidade gostaria que fosse retificado a informação da substituição do Comandante Mauro Sérgio, haja vista que em nenhum momento esse assunto foi ventilado e nem tão pouco colocado em pauta. O propósito do Núcleo foi alcançada no momento que em menos de 24 horas reunimos, Secretário Adjunto de Segurança Pública, Cel. Solano, Prefeito Valmir, Presidente da Câmara, o Juiz Dr. Líbio, representante do Ministério Público, Comandante Mauro Sérgio e outras autoridades. Hoje acontecerá uma reunião de avaliação do ATO PÚBLICO e nela extrair ações que podem ser incluído a comissão que irá a Belém. A reunião de hoje a noite na sede da ACIP, às 18:30h está aberta a quem quiser participar. Obrigado e boa tarde a todos.

  6. E o povo....???? Responder

    Esse cauam piriri é uma piada… sempre com respostas prontas! Mais o fato é que a situação esta sem controle, participar que é bom ninguem não quer não, aquele grupo que estava lá em cima do palco esta dando a cara a tapa… põe a sua lá também, sai da zona de conforto, hoje (31/07/13) as 18:30 tem mais uma reunião na ACIP, tenho absoluta certeza que o quorum vai ser baixissimo, porque… neguim só que o bolo pronto, bater a massa que é bom… não aparece!

    • Cauan Pirí Responder

      Meu caro, sabe por que o “quorum” vai ser baixíssimo? E sempre será, o que se discute lá são interesses meramente pseudo-políticos, muito blah, blah,blah, e pouca coerência. A cidade não tem uma identidade cultural,eu quero dizer que conta-se nos dedos o verdadeiro cidadão paraense e “parauapebense”, sendo assim não há força coletiva da sociedade em cobrar o que lhes é devido, ora fico surpreso que até hoje não se revolveu o problema do transporte publico? Coisa simples, sem custo para os cofres públicos, basta licitar empresas de ônibus! sabe o que é, tem gente lá da prefeitura que mama muito com os vanzeiros, e tem rabo preso.

  7. Fabio Silva Responder

    Gente, a culpa, é do governador jatene, que é muito omisso e preguiçoso. 2014 vem aí.

  8. Eduardo Almeida Responder

    Caro Zé Dudu, Boa Noite.
    Como morador desta cidade e Professor, tive a grata satisfação de conhecer os últimos quatro Comandantes da Polícia Militar ( CORONÉIS ÉDER, ROBERTO e MAURO SÉRGIO – Atual e o MAJ JUNISO), faço esse comentário, porque uma das pautas é a substituição do atual Comandante, por isso propus a tecer esse comentário:
    1) A Polícia Militar é a mais pura representação do Estado, é a cara de seu governante, pois é a Instituição responsável pela preservação da Ordem Pública e, como tal deve ser gerida com respeito e buscando, sempre a melhoria na qualidade de vida da população, a fim de assegurar a sensação de segurança;
    2) Por meio da implantação do Disque Denuncia, na época do Coronel Éder, comecei a acompanhar as atividades do 23º Batalhão e, também do Comando do MAJ JUNISO, com o projeto pedagógico de formação dos Soldados, em 2010, também acompanhei a jornadas destes dois comandantes;
    3) Afastei-me após o comando do mais instável comandante do 23º BPM, o Coronel Roberto, em face de sua ausência e desconstrução de tudo que fora feito e, atualmente, em virtude do distanciamento que o atual Comando mantém dos setores sociais em geral, não se sabe por que? Pois todos sabem de cor e salteado que a discussão de melhoria na segurança pública, deve obrigatoriamente passar pelas discussões com a sociedade. Como esquecer a mais tênue negociação que já vivemos, entre os produtores rurais e o MST, em agosto de 2010, na PA 275, mediada pelo MAJ JUNISO. Vocês já imaginaram se isso ocorresse agora? Qual seria o fim? Uma nova curva do “S”? Quem sabe. O certo meu caro é que o atual comandante isolou-se em seu “castelo” de vaidades e resgatou uma figura sombria, que deve ser lembrado o CAP JULIO, Oficial que sempre foi bastante contestado na tropa;
    Finalmente, digo que essa desconstrução na estrutura da segurança pública, começou com as interferências dos vencedores das eleições de 2010, para o Governo Estadual e, talvez a simples substituição do Comandante, que sua assunção ao cargo era totalmente temerária, pela falte de diálogo com as entidades representativas, não se resolva esse problema do sucateamento do quadro de gestão do Batalhão. Pesquisei e com a ajuda de militares internos, assustei-me e relato a quantidade de Oficiais que partiram por incompatibilidade com os dois últimos comandantes, eis a relação:
    -MAJ SABÁ;
    -MAJ JUNISO;
    -MAJ SÉRGIO;
    -CAP MIRANDA;
    -CAP PONTES;
    -CAP ROBERT;
    -CAP GLEDSON;
    -CAP JOÁS;
    -TEN AMANDA;
    -TEN MESSIAS;
    -TEN JORGE
    Os militares já elegeram o BOLA DA VEZ: O recém e ainda desconhecido MAJ MODESTO, caso não se adeque ao rígido sistema que ora esta em vigência na Unidade, controlado à mão de ferro, pelos: CORONEL MAURO SÉRGIO E CAP JÚLIO.

  9. Anônimo Responder

    Esse Cauan é uma piada. Algumas pontos dar para concordar com ele, outros, não. Controlar o trem, parece brincadeira!! E o direito de ir e vir, que está assegurado na Constituição? Fosse assim, o governo de São Paulo proibiria os nordestinos irem para lá. A violência está em todo lugar, falta o poder público investir em segurança e educação de qualidade, isso sim. Nossos jovens não concluem o ensino médio e muitos entram no mundo da marginalidade por falta de oportunidade.

    • Cauan Pirí Responder

      Meu caro, quando disse ” controlar o trem” não é uma brincadeira! Veja bem, quando vc viaja para outro estado de avião, vc é controlado correto? Tem que fazer o check in, passar pelo raio X, seus pertences são vistoriados, etc. correto? No que diz respeito ao trem, seria sim uma supervisão rigorosa pois sem duvida muita coisa ruim não entraria facilmente em nossa cidade, vc não tem idéia o quanto entra de coisa ruim semanalmente vindo naquele trem!

  10. vitor Responder

    LI AGORA NO SITE PEBINHA DE AÇUCAR, VEJAM A REPORTAGEM COMPLETA LÁ!!!
    Parauapebas tem a terceira melhor qualidade de vida do Pará, no ranking anunciado na tarde de ontem (29) , atrás de Belém e Ananindeua, e sua educação foi a que mais se desenvolveu na última década entre todos os 144 municípios paraenses, embora ainda esteja pouco atrás do nível educacional de Belém, Ananindeua e Santarém.

  11. vitor Responder

    Vamos cobrar do governo estadual a aplicação do seu programa tão anunciado na tv liberal em Parauapebas que diz ” ESTE É O PARÁ QUE TODOS FAZEM E JUNTOS VAMOS FAZER MAIS” AFINAL ELE FOI CONTRA A DIVISÃO DO ESTADO E PROMETEU INVESTIMENTOS AQUI!!!

  12. Ras Lidio Responder

    acho que o foco esta errado. ao invés de clamarmos por PAZ, devemos clamar por DIREITOS IGUAIS E JUSTIÇA ampla e irrestrita.
    Lidio Oliveira

  13. Cauan Pirí Responder

    Cobrar dos ” governantes” uma responsabilidade que no mínimo é de todos. Mas a responsabilidade direta da segurança pública é dos estados, ainda que o governo nacional também tenha sua própria política sobre o assunto. De qualquer forma, os resultados observados devem ser atribuídos, principalmente, aos governos estaduais, que se mostram, na maioria das vezes, incapazes de frear a violência que cresce e se dispersa na medida em que aumenta e é disseminada a oferta de trabalho.
    Em Parauapebas não seria diferente,a violência nesta cidade é causada pelo excesso de consumo de BEBIDAS ALCOÓLICAS, a única droga responsável pela maioria dos crimes está relacionado ao uso exagerado desta. Outro fator assustador é que 94% dos criminosos que estão nos presídios e cadeias, não tem nem sequer o ensino fundamental completo. Quanto ao consumo de bebida alcoólica é válido explicar pelo fato de Parauapebas não oferecer qualidade de vida, não tem praia, não tem teatro, não tem áreas de lazer, não tem parques, não tem transportes publico.

    O que mais se prolifera em Parauapebas são botecos vendendo cerveja sem nenhuma fiscalização e mais absurdo ainda esses beberrões usam seus carros com som automotivo como se fossem troféus, dirigem na cidade sem lei como loucos, ignoram a policia, ignoram os cidadãos de bem, uma cidade entregue a bandidagem.

    Eventualmente um delegado de polícia inicia uma campanha ” lei seca”, começam a fechar bares e botecos, mas não tem continuidade, duas semanas depois volta tudo ao normal, cidade sem moral.

    Então qual é a solução?

    A solução é a que todo mundo já conhece, mas os pseudo-políticos dessa cidade só se preocupam em distribuir cestinhas básicas, criar projetinhos de bairros, poços artesianos, escolinhas de fundo de quintal, etc. Não há um homem nesta cidade que tenha ” culhões” pra mudar radicalmente e colocar ordem!

    1° Proibir som automotivo
    2° Fechar bares e botecos após às 22hs ( proibir venda de alcool)
    3° Controlar rigorosamente o trem que chega do Maranhão, colocando policia para controle dos passageiros.
    4° Criar uma polícia municipal

    Essas ações não significam que acabaria com a violência, mas estaríamos de certa maneira contribuindo para uma cidade melhor de se viver.

    • Anônimo Responder

      Fechar bares e botecos as 22 não contribui com a diminuição da violência, uma vez que esses lugares são fonte de emprego e renda para muitas pessoas….

      • Cauan Pirí Responder

        Discordo meu Caro, botecos não entra em estatística de fonte de emprego, acredito que vc quis dizer fonte de renda, muito bem, porem essa fonte de renda é ilegal, trata se de mão de obra sem registro. Quanto a diminuição da violência, sim já foi feito pesquisa em que o índice de criminalidade diminui consideravelmente quando se tem uma fiscalização rigorosa pela polícia.

    • Anônimo Responder

      Oq o som automotivo tem haver com violência? tenho som no meu carro mas trabalho todos os dias!oq vc faz da vida, não tem lazer?

      • Cauan Pirí Responder

        Meu caro, “VIOLÊNCIA SONORA! Ou melhor,”POLUIÇÃO SONORA” Percebeu? Não há algo mais desagradável do que ter que ouvir tanta porcaria! Qualquer pessoa civilizada jamais transforma seu carro em um trio elétrico. Mas qualquer um pode sim ouvir sua música, gosto é gosto, mas o que não pode é achar que os outros obrigatoriamente tenha que suportar o seu mau gosto, entendeu? Quem chega num boteco e abre o porta mala do carro e vomita um barulho estarrecedor, no mínimo é um miserável que comprou um carro.

  14. Apoiador Responder

    Otima ideia a troca do comando do 23 BPM, e as mazaelas que se tem la dentro do 23 batalhao,alguns serios policiais, e a maioria corruptos,sabemos que mauro sergio foi e a favor de valmir da integral ate a morte, então que ele saia da frente do comando.

    apoiado a saida do comando em genero numero e grau…………..

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: