Polícia Civil prende matadores de empresário em Tucumã

O crime teve motivação passional e repercutiu na cidade e municípios vizinhos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil do Estado do Pará, por meio da Delegacia de Tucumã, cumpriu ontem, sexta-feira (24), Mandado de Prisão Temporária, pelo crime de homicídio qualificado, de Walisson Júnior Oliveira da Cunha, o Coringa, e Júnior César Inácio dos Santos. O assassinato aconteceu, no dia 9 de agosto passado, em Tucumã, e teve como vítima o empresário Gustavo Murari de Moura, cuja morte teve grande repercussão na cidade e municípios vizinhos

Coringa foi preso em Tucumã, e Júnior César dos Santos, nas proximidades de Água Azul do Norte pela equipe local da Polícia Civil, quando tentava fugir. O mandante do crime, Daniel Marcus Silva, está preso desde o dia 25 de agosto último.

Daniel Silva manteve relacionamento amoroso com Lorena Moura, ex-mulher do empresário. Depois de algum tempo, ela o abandonou também. Ele, inconformado, suspeitou que ela tivesse voltado com Gustavo e contratou Coringa e Júnior César para assaltarem a propriedade rural da mãe de Lorena, no dia 27 de julho deste ano.

De lá eles roubaram, entre outros objetos de valor, o telefone celular de Lorena, que era o principal motivo do furto. Após visualizar mensagens de WhatsApp, trocadas entre a mulher e Gustavo de Moura, Daniel decidiu mandar mata-lo.

Inicialmente, ele negou envolvimento com a morte do empresário, mas, depois, diante das evidências apontadas nas investigações, acabou confessando ter sido o mandante. Coringa e Júnior César, após terem sido presos, confessaram a autoria da execução, confirmando o que já havia sido constatado no decorrer das investigações e que levou a autoridade policial a pedir à Justiça a decretação da prisão de ambos. 

Eleuterio Gomes – de Marabá, com informações e imagem do repórter Jucelino Show, de Tucumã