Notícias

Plebiscito no Pará: municípios da pesquisa DataFolha

Abaixo tabela com a relação de municípios objeto da pesquisa DataFolha registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 46041/2011. O levantamento foi encomendado pelas TVs Tapajós e Liberal …

Abaixo tabela com a relação de municípios objeto da pesquisa DataFolha registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 46041/2011. O levantamento foi encomendado pelas TVs Tapajós e Liberal e pelo jornal “Folha de S.Paulo” e ouviu 880 eleitores com 16 anos ou mais em 33 municípios do Pará (19 deles na região do Novo Pará, 10 no Carajás e 4 no Tapajós) entre os últimos dias 7 (segunda) e 10 (quinta).

Município

Bairro

Região

Belém Condor, Marco, Terra Firme, Pedreira, Umarizal, Pratinha, Centro, Maracangalha e Parque Verde Novo Pará
Ananindeua Cidade Nova, Paar, Guajará, Centro, Jardelândia II, Coqueiro Novo Pará
Salvaterra Centro, Coqueirinho Novo Pará
Curuçá Piauí, Centro Novo Pará
Capanema Centro, Da Primavera Novo Pará
Redenção Centro, Ademar Guimarães Carajás
Paragominas Centro, Promissão II Novo Pará
Igarapé-Açu Centro, Pau Cheiroso Novo Pará
Tucuruí Centro, Nova Tucuruí Carajás
Castanhal Centro, Jaderlândia Novo Pará
Marabá Cidade Nova, Liberdade, Centro, Nova Marabá Carajás
Santarém Centro, Aparecida, Santarenzinho, Prainha, Aeroporto Velho, Nova República Tapajós
Capitão Poço Centro, Tatajuba Novo Pará
Santa Isabel do PA Centro, São Raimundo Novo Pará
Ourilândia do Norte Centro, Bela Vista Carajás
Parauapebas Da Paz, Cidade Nova Carajás
Altamira Centro, Brasília Tapajós
Curralinho Centro, Prainha Novo Pará
Bragança Taíra, Centro Novo Pará
Marituba Centro, Colvillo Novo Pará
Barcarena Centro, Vila dos Cabanos Novo Pará
Brasil Novo Centro, Cidade Nova Tapajós
Breu Branco Bela Vista, Centro, Liberdade Carajás
Cametá Centro, São Benedito Novo Pará
Canaã dos Carajás Centro, Dos Maranhenses Carajás
Concórdia do PA Centro, Guadalupe Novo Pará
Floresta do Araguaia Setor Bananal, Centro Carajás
Goianésia do PA Santa Luzia, Centro Carajás
Itaituba Centro, Da Floresta Tapajós
Itupiranga Centro, Mutirão Carajás
Mãe do Rio Centro, Castanheira Novo Pará
Mocajuba Pedreira, Centro Novo Pará
Moju Centro, Alta Novo Pará

55 comentários em “Plebiscito no Pará: municípios da pesquisa DataFolha

  1. jessica marcely borges Responder

    ninguém vai dividir o meu Pará. esses políticos corruptos vem de outro estado querendo dividir o que e nosso porque que eles não quiseram dividir antes? ha que antes o Pará não tinha tanta divulgação como ta tendo hoje ,sem falar das hidrelétricas que estão em construção. Pense nisso na hora de votar povo paraense eles não querem ajudar,eles só querem é roubar.

  2. Walter Rebelo Responder

    Carajás, é um pobre Estado Rico. Nasceremos pobres à vista dos dançarinos de carimbó, porém em pouco tempo temos tudo para superá-los e a muitos estados brasileiros. Somos detentores da 2ª maior hidreletrica do Brasil. Temos a maior exploração de minério de ferro, a céu aberto, do mundo. Temos jazidas de ouro, cobre, zinco, nióbio e tantos outros minerais em faze de sondagem. O Investimento da Vale do Rio Doce e os royalties por ela paga ao Estado do Pará que não revestidos para esta região, serão todos utilizados no Estado de Carajás, que com certeza é o mais merecedor, só assim teremos auto suficiência em saúde, educação, transportes etc., e deixaremos de utilizar as tres(3) capitais do sul e sudeste do Pará, que são Palmas, Goiânia e Brasília. Por enquanto a última opção em Capital, para assuntos de atendimentos especializados de saúde e Educação é Belém. 77 neles.

  3. Walter Rebelo Responder

    Caros amigos, o Governo do Estado só tem olhos e abrangência para a capital e adjacências, o sul e sudeste está abandonado faz tempo. A Rodovia principal que liga o sul e sudeste do estado à capital, ainda é a que Jader Barbalho construiu em 1985, de lá para cá, muitos governos já passaram e nunca houve nenhum que fizesse pelo menos um pouco de manutenção nessa estrada que devido ao uso intenso e a falta de conservação está hoje em péssimas condições, mas mesmo assim continua sendo a principal. Quanto à saúde, a última opção de se levar um doente para um tratamento mais especializado é Belém, aqui se opta por Palmas, Goiânia, Brasília, Terezina etc., na educação, quem tem dinheiro manda os filhos estudar nas capitais do sudeste do Pará (Palmas, Goiânia e Brasília) ou no sul do País, menos Belém. Segurança não temos, não temos transporte temos sim, fontes que continuarão gerando pesados royaltes só que serão aplicados somente no novo Estado de Carajás. 77 neles.

  4. ARTA Responder

    Meus amigos do Pará, moro em Minas Gerais e conheço bem o Pará e entendo que o problema é em todo o país. Não se iludam: Os que levantam a bandeira da divisão são políticos preocupados em se manter no poder, ganhar mais dinheiro e empregarem seus parentes nas novas assembléias legislativas, nos novos tribunais de contas, nas novas secretarias de governo, etc. é a forma de desviar os poucos recursos de maneira mais fácil.
    Com essa divisão criam-se mais empregos para politicos corruptos.
    O que precisamos não é de mais políticos e sim de seriedade na política.
    Se eu votasse em um plebiscito com esta finalidade de divisão, em qualquer lugar, eu votaria pelo NÃO.

  5. Cs Responder

    Moro em Ananindeua e percebo as tantas mentiras lançadas pela campanha do “NÃO” sobre o empobrecimento e endividamento dos novos estados. Tudo isso para mascarar uma verdade: O Tapajós e Carajás não suportam mais tanto descaso, tanta falta de investimentos; preferem “cuidar” de si mesmos, a continuar nesse sofrimento.
    Meu voto é “SIM”/”SIM” – 77/77.

  6. aurelianofeitosa Responder

    Antigamente era importante quem tinha terras em grandes estensões. Depois era quem tinha muitas maquinas. Hoje é importante quem domina pensamento, as tecnicas. Pensem nisso antes de dizer que o Pará ficará prejudicado por ficar com uma área maior que Paraná, Santa Catarina e ainda 4 vezes a do Rio de Janeiro.

  7. Cecília Responder

    Seu Zé Dudu, só não to entendendo uma coisa: Por que vc ainda não puplicou a nova pesquisa? Onde aumentou o % do NÃO, mesmo com a ajuda do tal de marqueteiro Duda Mendonça, acho que dessa vez vcs vão levar mesmo é um NÃÃÃÕOOOOOOO!

  8. JACUNDA Responder

    Falta 15 dias pra a eleição e as pesquisas mostran que o Pará e os paraenses são muito fortes. Em uma outra visita ao blog já tinha falado que a surra nos separatista seria superior a 70%, aqui não e não. Essa derrota vai servir de lição pra aprender a chegar nas casas dos outro e se comporta direito, e aceitar as coisas como elas são. O meu Pará e muito bom e acolhedor, vamos deixa de ser engratos com Pará, unidos podemos melhorar ainda mais juntos com nossos irmãos do norte do Pará.

  9. Livia Responder

    Bando de hipócritas os que dizem NÃO…É TAMANHA BURRICE E CEGUEIRA que não enxergam que com a divisão todos tem a ganhar, inclusive Belém. Oh povinho sem inteligência que não pensa como será bom pra todos os Estados em questão á divisão.Povo inteligente vota 77 diz SIM.Agora uma campanha que questiona o tamanho do Pará…pelo amor de DEUS…o que adianta ter um Pará do tamanho que é, e ter greve nas escolas, morte na porta dos hospitais, me poupe propagandinha sem noção…Acordem…é uma oportunidade pra nunca mais…deixem de ser burros, e botem a cabeça que não serve so pra separar as orelhas pra funcionar.

  10. juca Responder

    Cara Tais Falou bonito..estou emacionado 77 vamos a vitoria..

    55 NELES!:

    Os caras falam pra quem mora em Belém ir pro sul do Pará pra conhecer o que é o abandono, eu digo que não é preciso, basta dar uma volta pelos bairros do Curuçambá, Pratinha, Paracuri e outros na grande Belém. Aliás, quem mora em Parauapebas e Redenção, só pra citar dois exemplos, se dessem uma passada por esses bairros que eu falei ficariam envergonhados em achar que só eles passam necessidade. Meus amigos, se a divisão fosse a solução não teria porque alguém ser contra, mas nós sabemos que isso é uma falácia, é um golpe, e digo mais, é um golpe sórdido porque os caras que tão à frente disso estão iludindo a população dessas regiões com uma fórmula mãgica que não existe, e o pior enganam publicamente, anunciando números que não condizem com a realidade; Criar 3 estados pobres é piorar mil vezes o que já está ruim.

    Bem, você mesmo deu a melhor justificativa para a divisão. Se o Governo do Estado não consegue cuidar nem do que está debaixo de seu nariz, como pode prometer que irá cuidar da região que está a mais de 500 Km de distância?

    Se a educação, a saúde e a segurança pública em Belém e RM estão num estado lamentável, como pretendem solucionar as demandas do resto do Estado nestas áreas?

    A verdade é que o Novo Pará não ficará pequeno, nem pobre.

    Ficará, sim, maior do que alguns dos estados brasileiros mais desenvolvidos, Paraná, Santa Catarina e Rio de Janeiro e apenas um pouco menor do que outros estados igualmente desenvolvido, tais como São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

    Ficará, também, com uma boa infraestrutura, com uma arrecadação excelente, além de deixar de ser responsável pelas regiões mais problemáticas do Estado e que, portanto, demandam maior volume de recursos.

    Insistir em manter o Estado do Pará deste tamanho é megalomania e estupidez.

    Pelo Carajás, pelo Tapajós e principalmente pelo Novo Pará é que vou votar 77. SIM E SIM.

  11. Emerson Responder

    Bom ao meu ver e que o estado do para e grande em questao territorial,porém ha muitas disigualdades sociais fora da metropole de belém,quero deixar claro que nasci e morei em belém toda minha vida e hoje estou em curitiba.
    Vejo e como sempre vi participei de vários projetos sociais em cidades de quase todo pará e o que sempre vi foi o atraso e conomico devido a capital ser descentralizada de suas outras municipios a pobreza e falta de sanamento e enorme e saude e precária,santarem e marabá são cidades que comcorrem para serem as capitais,vejo tbm que a solução não seria criar dois estado e sim um cetralizamento dos recurso que vão somente para a capital os repasses para fins públicos principalmente usados para infra-estrutura são todos utilizados na capital do pará.A solução para isto seria mesme que um risco para os cofres públicos a criação dos dois estados,caso haja fracasso mediante a isso os dois estados afundariam e o estado do pará diluido ainda sim continuaria com seu poder mais centralizado e se concentraria seu planejamento em poucos municipios apenas.nenhum esperimento seria melhor que este que a massa do Sim (77) estar tentando.O não que estar com mais força na capital deveria se procupar com mais argumentos,parece-me que são os viloes,as mudanças ja foram estimadas por pesquisadores e economistas das vantajens e desvantagens da divisão ou a não dovisão do pará e so pesquisarem mais a fundo e no dia das eleiçoes votem consciente as propagandas do 55 e 77 não ajudam em nada e não possuem fatos e argumentos importantes.Enfim caso haja vitoria do não continuará a mesma coisa nada mudará em questão de desenvolvimentoo para as demais localidades os tais famosos”repasses” serão os mesmos de sempre,e se o sim ganhar as espectativas de afundamento deceptivo ou se desenvolver e um processo que acontecerá que felizmente não ocorrerá no novo pará.
    Então boa sorte a todos votem conscientes e leiam mais participem das duas campanhas de ruas (não da TV)-(pouco aguda a decidir os eleitores com desculpas fajutas)participem da campanha sim 77 e não 55 ao mesmo tempo vejam quem estar mais perto da consciencia do real valor para sanar o atraso economico e de desenvolvimento e se a vitoria favorecer o não haverá mudanças ? os dois novos estados traram tbm ?…
    Eis a questão não e para qualquer um inteder muito profundamente a maioria tenho certeza que vai votar no 55 e 77 nao tendo muito entendimento a respeito e sim um de revolta…

    Boa sorte a todos eu ja tenho minha escolha…

  12. william Responder

    Tem que se levar em conta que somando as cidades relacionadas e visivel que a pesquisa foi feita em cidades que irão ficar no novo Para, ou seja 19 cidades contra 14 da região de Carajas e Tapajos, ou seja a margem num ta ruim pra nossa região não… Vamos no Sim vamos ganhar estar eleção.

  13. Everton Responder

    É engraçado perceber que aqueles eleitores favoráveis à divisão do Pará em três Estados, na sua maioria se espelham na criação do Estado do Tocantins, numa divisão em que o Estado de Goiás era favorável à divisão e o Novo Estado (Tocantins) também era favorável. Explica-se: Para o Estado de Goiás o território, hoje ocupado pelo Estado do Tocantins, era um peso enorme para se carregar, pois Goiás tinha que manter investimentos nessa região (tinha, pois de fato isso não acontecia) e esta mesma região não produzia nada (ou quase nada), ou seja, o governo de Goiás tinha responsabilidade sobre uma região que só lhe dava prejuízo. Hoje o Estado do Tocantins é uma região altamente produtora, Palmas, sua capital, cresce assustadoramente, elevando-se o padrão de vida daqueles que aqui habitam. Não se iludam, aqueles nobres eleitores favoráveis à divisão. Isso não vai acontecer com os novos Estados. Estes Estados, mais precisamente o sonhado Estado de Carajás, produz divisas ($$$) o que o torna, não um peso, mas necessário ao desenvolvimento do Estado do Pará. O Pará é rico, basta os eleitores saberem escolher seus políticos, para que esta riqueza seja convertida em benefícios à população e não a divisão territorial, que só interessa aos grandes e ricos latifundiários, que verão sua terras hipervalorizarem da noite para o dia, sem que a população ganhe com isso! NÃO, NÃO!

  14. JACUNDA Responder

    ONTEM EU VI O PROGRAMA DO SBT PARA AONDE TEM GENTE DO SIM QUERENDO RENUCIAR A TER O MANDATO JOÃO SALAME ELE E TÃO MEDROSO QUE NÃO TEM NEM CORAGEM DE ASSUMIR A PREFEITURA DE MARABÁ COM VÁRIOS PROBLEMA MOSTRA QUE VOCE E BOM DE ADIMINISTRAÇÃO!

  15. DR. BIRALDO Responder

    Caros amigos do sul do Pará, eu sou de um municipio novo aqui na região, e os ladrões (politicos) triplicaram e não estão nem para o povo, só querem saber do bolso deles. 55 não.

  16. Walbert Responder

    O NÃO vai ganhar. Vcs do SIM são patetas. Querem mais dinheiro. O problema de vcs é que vcs escolhem mal o prefeito. Votem certo. De onde virá o dinheiro?? Quer estrada federal vai reclamar com a Dilma. Num tem hospital? Vc quer contribuir para CPMF???Meu amigo não tem jeito. VC ja pensou em me dar um compartimento da sua casa??Vou querer dividi-la. Se divisão fosse algo bom, é melhor vc se divorciar. Vcs separatistas só querem a parte rica. Ora, se me caso com uma mulher com três filhos, este tem que vir juntos. Agora vcs, só querem o filé. Num querem o lado pobre. Ora xxxxx xxx.

  17. Tarcio Kamerô Responder

    Para essa cambada de Belém que não querem a divisão: “Vocês estão com medo de quê? Quem não deve, não teme!!! O medo da divisão por parte do norte comprova o quanto o sul do Pará é explorado, o quanto o sul do é entregue às moscas, o quanto Belém se beneficia em total prejuízo do sul!! DIVISÃO JÁ!!!
    Nós do sul não tememos, porque não temos nada a perder!!
    Não temos hospitais, não temos segurança, não temos faculdades, não temos estrada…. não temos nada!! 77 JÁ!!

  18. marta Responder

    Se todas as pesquisas forem realizadas da mesma forma que essa ai, o resultado será sempre o mesmo, e se for sempre encomendada pela liberal tambem não vai mudar, a Tv liberal deveria ficar neutra nesta disputa, poia afinal de contas ela ganha dinheiro e muito atraves de seus empreendimentos que estão instalados no sul e oeste do estado.

    Quanto a estes paraenses preguiçosos que vivem na região do novo pará, e que batem no peito e dizem que o pará é deles, acho que eles deveriam era tomar vergonha na cara e admitir que se o Pará tem a produção e as riquezas que tem hoje é graças ao trabalho dos forasteiros que estão aqui dando duro desde as decadas de 60 e 70, ou será que eles não sabem que foram os governantes da epoca que sairam distribuido panfletos por todos os estados do Brasil convidando pessoas que tivessem coragem de trabalhar para vir desbravar o pará? Se isso não tivesse acontecido o Pará hoje seria uma imensa area despovoada e eles seriam mendingos do governo federal, pois não teriam nem mesmo o que comer aqui no estado, pois eles não plantam e nem colhem, sabem apenas viver do “extrativismo” – extraem o que a natureza oferece e o que os forasteiros produzem! Eu voto SIM E SIM!!!!!!!!!!!!!!!!! VAMOS LÁ CARAJÁS E TAPAJOS, VAMOS MOSTRAR A ELES QUE SOMOS OSSO DURO DE ROER, POR ISSO ESTAMOS AQUI NESTAS REGIÕES.

  19. JACUNDA Responder

    Vamos raciocinar. o elemento chega no meu Pará arrastando uma cachorra melhora de vida enrica mais não consegue chegar ao poder politico e vem dizer que o Pará que não presta!!!??Nós de Parauapebas e região somos privilegiados por Deus quem não consegue melhorar de vida nesta regiao tem muita preguiça de trabalhar.Vamos trabalhar para as coisas melhorar!!!! Quem quer dividir o PARÁ não conhece a união do povo paraense NÃO E NÃO 55

  20. Paraense Responder

    Sou paraense de Belém, tenho filhos Paraenses de Marabá, acho que esta discussão paraense/forasteiro é falta de argumento de quem usa tapão na vista e não enxerga que o sim é melhor para todos,patriotismo barato não traz dignidade de vida para uma região abandonada igual esta que emeus filhos vivemos hoje que é o sul do Para. (X) SIM
    (X) SIM

  21. Taís Responder


    55 NELES!:

    Os caras falam pra quem mora em Belém ir pro sul do Pará pra conhecer o que é o abandono, eu digo que não é preciso, basta dar uma volta pelos bairros do Curuçambá, Pratinha, Paracuri e outros na grande Belém. Aliás, quem mora em Parauapebas e Redenção, só pra citar dois exemplos, se dessem uma passada por esses bairros que eu falei ficariam envergonhados em achar que só eles passam necessidade. Meus amigos, se a divisão fosse a solução não teria porque alguém ser contra, mas nós sabemos que isso é uma falácia, é um golpe, e digo mais, é um golpe sórdido porque os caras que tão à frente disso estão iludindo a população dessas regiões com uma fórmula mãgica que não existe, e o pior enganam publicamente, anunciando números que não condizem com a realidade; Criar 3 estados pobres é piorar mil vezes o que já está ruim.

    Bem, você mesmo deu a melhor justificativa para a divisão. Se o Governo do Estado não consegue cuidar nem do que está debaixo de seu nariz, como pode prometer que irá cuidar da região que está a mais de 500 Km de distância?

    Se a educação, a saúde e a segurança pública em Belém e RM estão num estado lamentável, como pretendem solucionar as demandas do resto do Estado nestas áreas?

    A verdade é que o Novo Pará não ficará pequeno, nem pobre.

    Ficará, sim, maior do que alguns dos estados brasileiros mais desenvolvidos, Paraná, Santa Catarina e Rio de Janeiro e apenas um pouco menor do que outros estados igualmente desenvolvido, tais como São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

    Ficará, também, com uma boa infraestrutura, com uma arrecadação excelente, além de deixar de ser responsável pelas regiões mais problemáticas do Estado e que, portanto, demandam maior volume de recursos.

    Insistir em manter o Estado do Pará deste tamanho é megalomania e estupidez.

    Pelo Carajás, pelo Tapajós e principalmente pelo Novo Pará é que vou votar 77. SIM E SIM.

  22. 55 NELES! Responder

    Os caras falam pra quem mora em Belém ir pro sul do Pará pra conhecer o que é o abandono, eu digo que não é preciso, basta dar uma volta pelos bairros do Curuçambá, Pratinha, Paracuri e outros na grande Belém. Aliás, quem mora em Parauapebas e Redenção, só pra citar dois exemplos, se dessem uma passada por esses bairros que eu falei ficariam envergonhados em achar que só eles passam necessidade. Meus amigos, se a divisão fosse a solução não teria porque alguém ser contra, mas nós sabemos que isso é uma falácia, é um golpe, e digo mais, é um golpe sórdido porque os caras que tão à frente disso estão iludindo a população dessas regiões com uma fórmula mãgica que não existe, e o pior enganam publicamente, anunciando números que não condizem com a realidade; Criar 3 estados pobres é piorar mil vezes o que já está ruim.

  23. josé Faro Responder

    Morei e trabalhei no sul do Estado,vi e presenciei os problemas dessa região,mas queria dizer para vocês que os mesmos não são exclusividades dessa região,nós que vivemos na área metropolitana hoje,sofremos até um pouco mais que vocês.Paraenses precisamos de duas coisas: colocarmos políticos sérios e comprometido com nossas causas e mandar esses forasteiros de volta para o lugar de onde nunca deveriam ter saído,por isso NÃO E NÃO 55/55.

  24. Toninho Responder

    Eles querem, com a retalhação
    do Pará, usufruir vantagens e
    auferir ganhos fáceis e imediatos
    junto com seus parentes e
    apaniguados.

    Isso é piada ou é verdade?
    Égua, essa não! Pior, infelizmente
    é verdade. Meia dúzia
    de ricos empresários e políticos
    que estão perdendo
    ou prestes a perder espaço
    político no atual Estado, como
    desesperada tentativa de
    sobrevivência política, estão
    tentando dividir o Pará.

    Parafraseando um ditado
    paraoara: “quem anda para
    trás é caranguejo”, além de
    que, temos orgulho de ser paraense,
    mas não somos idiotas
    de nos autodestruir. Por isso,
    em dezembro, diremos não a
    essa imposição destrutiva.

  25. Fabio Responder

    Se as pesssoas que são do “não” vivessem o abandono que o restante do Pará vive, eles saberiam que o melhor é o “SIM” ou devo lembra-los que o Pará não é somente Belém e as cidades ao redor dela. Não querem dividir o Pará mas também ninguem quer cuidar. E aí como ficamos? As escolas, hospitais, ruas os orgãos públicos tudo em condições precárias. Prefiro acreditar que dividindo o Pará pode melhorar do que viver a vida toda no abandono.

  26. Bartolomeu Responder

    JACUNDA, QUEM É VOCÊ PARA DIZER ALGO? VOCÊ FOI COMPRADO PELO ZENALDO POR UMA MISERA LOCAÇÃO DE GERADORES PARA A CAMPANHA.
    SE O SIM PERDER, VOLTA PARA BELÉM E VÁ MORAR AO LADO DO SEU SUPER AMIGO CORRUPTO ZENALDO.

    PESSOAS COMO VOCÊ NÃO MERECEM NEM O SOLO QUE PISA. SE VENDEM POR 10 MOEDAS.

  27. Manoel Silva Responder

    O dia 12 de dezembro trara de volta ao mundo real a elite economica e politica do sul e sudeste do para, que viu no plesbicito o garimpo da vez.
    Acostumada a impor sua vontade no chicote e sem qualquer compromisso com seus semelhantes, tera que arregaçar as mangas e fazer o que nunca fez:cumprir com suas responsabilidades e mostrar que um dia podera ter de volta a confianca da populacao.

  28. gilvan Responder

    ao cidadão do comentário 7 e os demais, digo que se jatene ana júlia almir e muitos outros não dão conta nem de belém quanto mais de todo território paraense
    e o que faz um estado grande não é seu território e sim o desenvolvimento que ele apresenta.
    mas todo ano eleitoral as fadas madrinhas aparecem prometendo a solução para todos os problemas do povo. o problema e que a varinha de condão quebra depois das 17h do dia do pleito, e os vencedores entram numa crise de aminésia e acusação do governo anterior e continuam nos roubando e colocando a culpa no passado.
    Vamos acordar tem muito paraense fazendo faculdade no tocantins, por que lá dividiram e melhorou.

    é sim e sim e simmmmmmm11111

  29. Denise Responder

    Não tem motivo nenhum para podermos sermos contra. E tem gente que diz que nada vai mudar depois da divisão. O estado precisa de mudanças urgente e essa está sendo a solução. Não adianta dizer que é só tramóia política. Vcs querem que eu seje a favor desse governador omisso que é tambem contra que não quer nem saber de aumentar o salário dos prof. que estão em greve? Fica dizendo que é problema de gestão política mas são os primeiros a votar nesses fichas sujas como Jader Barbalho que só faz atrasar ainda mais nosso estado. A maioria vota ou vende seus votos desse infame, e vem querer dar lição de moral de que precisa melhorar a gestão e não dividir. Fiscalizar os candidatos antes das eleições isso ninguem faz. Porque se realmente se interessa-se não teriamos políticos fichas-sujas no poder do Pará. Reclamar é fácil né meu caro, mas dar uma solução de verdade ninguem da. Por isso não vejo motivo nenhum de votar em não.
    VOTO SIM CARAJÁS 77

  30. Cláudio Responder

    Vote sim para divisão… Pior do que ta não fica!
    Eu moro em Belém mas eu sei como é a situação de todo o povo paraense… É uma vergonha a precariedede na educação, saúde, segurança e tudo mais!!!
    Eu voto consiente, eu voto 77, eu voto SIM.

  31. luiz (sp) Responder

    Sou totalmente a criação dos 3 estados, apenas deveria-se refazer as fronteiras, pois o Pará sai um pouco prejudicado. Se os deputados do Pará quisessem poderiam estabeler uma fronteira melhor para o estado, ja que quem sae divide tem a primazia de melhorar suas escolhas de fronteiras. Assim a divisão com Tapajos deveria ser o rio Xingu de cima abaixo; enquanto que com Carajás , inicialmente o rio tocantins até chegar na represa de tucurui, e aí sair a oeste por algum rio até chegar a grande curva do Xingu. (O melhor roteiro seria : Rio cajazeira – rio do meio – conexão por igarapes ao rio preto; rio pacajá – rio cachimbinho – conexão ao igarapé terra preta – rio bacajá). Deste modo preservaria Tucurui e Belo Monte consigo e teriam fronteiras mais nitidas. A divisao de Carajas e Tocantins seria apenas pelo rio Xingu.

  32. Senna Responder

    “Esse tal de Senna, deveria viajar pela BR 155 (antiga PA 150) pelo menos uma vez, pra ele saber o que é ser abandonado pelo um governo, e ver o quanto esta região está sem investimento. Eu tenho certeza que ele mudaria de idéia e votaria no 77. Olha sr Senna, vc deveria vir ao Sul do Pará e ver de perto o que é viver sem estradas, saúde, educação se sem segurança”.

    Olá companheiro Gaspar, não só moro no Sudeste do Pará – Paruapebas, como viajo, às vezes duas por mês, por essas estradas, sei que estamos abandonados sim.
    O lado positivo dessa discussão é a exposição do abandono em que vivemos, nós habitantes das regiões separatistas. Logo a questão não é de divisão é de união… Políticos, autoridades do governo, empresários, latinfundiários, etc., que deveriam lutar pela melhoria da região só querem – as famosas elites que o Dep. Salame tanto fala – só quer se locupletar dos recursos públicos, além de que tem a conivência do poder político local com o central…
    Trabalho escravo, latinfúndio – aqueles com terras improdutivas, baixos salários… É contra isso que eu também luto!
    Povo desunido é povo enfraquecido!
    NÃO e NÃO! NINGUÉM DIVIDE O PARÁ! VOTE 55.

  33. Carvalho Responder

    Colega, só o bairro da Pedreira e Marco em Belém, já soma toda a população do Peba, não consigo entender como as pessoas que são a favor da divisão acreditam mesmo nessa ideia absurda de divisão…são pessoas que não realmente não conhecem nada de nossa geografia e dados sociais….
    NÃO e NÃO! NINGUÉM DIVIDE O PARÁ.
    Meu voto é 55!

  34. anônimo Responder

    Essa pesquisa já demonstra uma “pitada” do que vai ser no dia 11/12. O SIM vai ser fragorosamente derrotado. By, By – Só daqui a dez anos.

  35. JACUNDA Responder

    Essa pesquisa demostra o quanto os politicos estão desacreditados essa historia de mais educação, mais estrada, mais saude, mais justiça social não cola mais, por que todo ano eleitoral é a mesma ladainha eu vejo que vão ter que mudar o discurso ou vão levar uma senhora lambada de 70% de rejeição.

  36. Nome (obrigatório) Responder

    Precisamos de um projeto de desenvolvimento para o Pará, não esquartejá-lo. O sofrimento é igual para quem tá distante e para quem tá próximo ao palácio. NÃO e NÃO 55 NELLES!

  37. Viviane Borges Responder

    Chega de repressão …
    Esse plebiscito é tão somente uma oportunidade do povo do Pará dizer Se está satisfeito ou Não com as condições que tem vivido.
    Seja lá Qual for a descisão , vamos continuar lutando por mais justiça e desigualdade social.

    Eu digo SIM , NOVO PARÁ 77
    SIM , CARAJÁS 77
    SIM , TAPAJÓS 77

  38. GASPAR F. JÚNIOR Responder

    Esse tal de Senna, deveria viajar pela BR 155 (antiga PA 150) pelo menos uma vez, pra ele saber o que é ser abandonado pelo um governo, e ver o quanto esta região está sem investimento. Eu tenho certeza que ele mudaria de idéia e votaria no 77. Olha sr Senna, vc deveria vir ao Sul do Pará e ver de perto o que é viver sem estradas, saúde, educação se sem segurança.

  39. Senna Responder

    Eu gostaria de saber essas localidades em número de eleitores, para uma avaliação mais justa.
    Mas, uma coisa é certa, só mesmo, mais de 40% dos eleitores do chamado “novo Pará” não votando é que o “sim” vence. O negócio é que os argumentos do sim decantam as mesmas estratégias da campanha do mensaLULA. A continuar assim, vai levar uma lavagem, pois o mesmo não ganhou no Pará, com todos os chavões de praxe…
    Vamos à luta.
    NÃO e NÃO! NINGUÉM DIVIDE O PARÁ.
    Meu voto é 55!

Deixe seu comentário