Patrão chama funcionário de gay e é assassinado com tiro de espingarda em Itaituba

"Eu fui defender minha honra", disse o homicida ao se apresentar espontaneamente na Delegacia de Polícia Civil
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Um crime de homicídio registrado nas primeiras horas da manhã de sábado (15), em Itaituba, na região sudoeste paraense, chamou atenção dos moradores da cidade. A motivação foram sucessivas brincadeiras e trocadilhos sobre a orientação sexual de um funcionário, que revoltado matou com um tiro o patrão.

O crime aconteceu por volta de 8h30, quando Idelmar Gomes Pereira, 45 anos, mais conhecido pelo apelido “Cuiabano”, funcionário de uma auto elétrica localizada na Sétima Rua, Bairro Bela Vista, chegou armado com uma espingarda calibre 20, e disparou contra o peito e o rosto do patrão, Josean da Silva Abreu, 45, candidato a vereador nas últimas eleições. Ele estava sentado à escrivaninha de atendimento da empresa, onde morreu.

A motivação do crime foi o fato de, durante brincadeiras, o empresário ter dito diversas vezes que na cidade havia um mecânico gay, insinuando que essa pessoa era “Cuiabano”, inclusive em grupos de WhatsApp. O homem não gostou e, ao chegar ao trabalho no sábado, ainda teve uma discussão com o patrão e, em seguida, o matou.

Após a execução, o mecânico foi até a Delegacia de Polícia Civil, se apresentou ao escrivão e disse: “Acabei de matar o Josean com um tiro, o corpo tá lá na oficina, pode ir lá ver, eu fui defender minha honra”. Em princípio o policial não acreditou, pensou tratar-se de uma brincadeira, mas, logo confirmou que o mecânico falava a verdade e deu-lhe voz de prisão, o algemando e o colocando na carceragem.

(Antonio Barroso)    

Publicidade