Parauapebas

Parauapebas faz investimentos na construção de nova escola e em merenda

Bairro Cidade Jardim vai ganhar escola de ensino fundamental e os 45 mil estudantes da rede municipal terão cardápio de merenda turbinado com proteínas para garantir melhor rendimento.

Em breve, Parauapebas vai ganhar mais uma escola municipal de ensino fundamental. É que acaba de sair a homologação para a construção da Escola Dorothy Stang que será erguida com recursos do tesouro municipal no Bairro Cidade Jardim, um dos mais populosos da cidade, com 13 mil habitantes, entre os quais 4 mil estudantes do ensino básico.

A obra vai custar R$ 6,55 milhões e acaba de ser publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (22). Os recursos vão ser custeados pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), mas é a Secretaria Municipal de Obras (Semob) quem fará a fiscalização dos serviços. A atual Dorothy Stang funciona, há anos, em anexo com condições nada ideais para a garantia da qualidade de ensino e de aprendizagem dos alunos.

O prédio novo terá 4.662 metros quadrados de área — seis vezes mais espaço que o atual anexo — e contará com quadra coberta. A previsão de execução dos serviços é de um ano, a contar da emissão da ordem de serviço. Além dos benefícios socioeducacionais, a obra deve gerar cerca de 50 postos de trabalho direto na construção civil e movimentar uma massa salarial estimada em R$ 2 milhões.

De acordo com o titular da Semob, Wanterlor Bandeira, a construção de uma nova escola no Bairro Cidade Jardim vai ajudar a desafogar a demanda educacional daquela comunidade que praticamente surgiu do nada em pouco mais de uma década. E já surgiu grande. “A nova unidade educacional vai atender não apenas aos 13 mil habitantes do Cidade Jardim, mas também os bairros adjacentes, como Minérios, Popular 1 e 2, que juntos totalizam 30 mil habitantes e onde há uma sabida escassez de equipamentos públicos da área de educação”, contextualiza o secretário.

Merenda reforçada

Além de mais escolas, a educação local vai ganhar novos insumos para turbinar a qualidade da merenda. Também saiu hoje no DOU o contrato de uma empresa para fornecer polpas de frutas, leite, farinha e carnes visando ao preparo do cardápio dos 45 mil estudantes da rede pública municipal. A aquisição tem custo estimado em R$ 853,8 mil. A Semed serve, em média, 100 mil refeições por dia. A merenda, não é demais lembrar, chega a ser para muitas crianças a principal refeição do dia e tem valor — tanto nutricional quanto social — incomensurável. Em Parauapebas, de acordo com o Ministério da Cidadania, há 13,8 mil estudantes de ensino fundamental integrantes de famílias de baixa renda, que sobrevivem em situação de miséria, com renda mensal inferior a meio salário mínimo. Para muitos desses alunos, a merenda chega a ser um banquete

2 comentários em “Parauapebas faz investimentos na construção de nova escola e em merenda

  1. Denys Responder

    Rapaz e nos bairros Novo Horizonte,Betânia as escolas são um sufoco eles ficam e alugando prédios sucateados .

Deixe seu comentário