Pará alcança maior superávit comercial do Brasil em 2021

Notícia é boa apenas para as empresas que exportam e para o governo brasileiro, que vive de resultados. Contudo, nada muda para os paraenses: 3,6 milhões estão no cadastro de pobreza
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O estado do Pará acaba de dar um histórico e fenomenal lucro ao país, conforme dados divulgados pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (6) e analisados com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu. É que a maior economia da Região Norte registrou, ao longo de 2021, superávit comercial de 27,634 bilhões de dólares, o equivalente a R$ 151,987 bilhões – como se o estado tivesse dado tudo de si em dinheiro vivo sem exigir um centavo de troco.

Os números regionais da balança comercial brasileira mostram que o estado foi o quarto maior exportador, com 29,177 bilhões de dólares transacionados durante todo o ano passado, sendo superado apenas por São Paulo (53,904 bilhões), Minas Gerais (38,18 bilhões) e Rio de Janeiro (32,523 bilhões). O saldo entre exportações e importações do Pará foi o maior porque o estado compra pouca coisa do exterior, visto que a maior parte de suas aquisições é feita via mercado doméstico.

Além de ostentar lucro excepcional, o Pará viu as exportações dispararem quase 9 bilhões de dólares em 12 meses, uma vez que o resultado consolidado de 2020 marcou 20,612 bilhões embarcados em produtos da terra. O grande responsável por esse salto na balança foi o minério de ferro, que é produzido em Carajás e apreciado por países da Ásia, sobretudo a China, que compra 60% da commodity com mais elevado grau de pureza do globo.

No inverso das estatísticas, os estados com os maiores rombos na balança comercial – por importarem mais produtos que o que conseguiram exportar – foram Santa Catarina (14,627 bilhões de dólares) e São Paulo (13,313 bilhões). Apesar disso, eles são apresentados como os mais desenvolvidos do país em quaisquer rankings que se façam.

Tudo como antes

Apesar dos números épicos e colossais do Pará, todos esses bilhões de dólares produzidos em exportações só servem mesmo aos cofres de empresas transnacionais e ao governo federal. Dentro do estado, tudo como antes: de acordo com o CadÚnico, o Pará tem atualmente 3,636 milhões de cidadãos em situação de pobreza ou extrema pobreza (miséria). 

Além disso, a maior praça financeira da Amazônia tem alguns dos piores indicadores de desenvolvimento humano e social do país e seus desafios na área de infraestrutura, saneamento básico, educação, saúde, segurança e geração de renda arrastam-se há décadas.

ESTADOS QUE MAIS DERAM LUCRO AO BRASIL EM 2021 (em dólares)

  1. Pará — 27,634 bilhões
  2. Minas Gerais — 25,123 bilhões
  3. Mato Grosso — 18,421 bilhões
  4. Rio de Janeiro — 10,113 bilhões
  5. Rio Grande do Sul — 9,375 bilhões
  6. Mato Grosso do Sul — 4,269 bilhões
  7. Goiás — 3,66 bilhões
  8. Espírito Santo — 3,271 bilhões
  9. Paraná — 2,056 bilhões
  10. Bahia — 1,848 bilhão

Deixe seu comentário

Posts relacionados