Paciente de Goianésia, com novo coronavírus, pode estar espalhando a Covid-19 na região

A Vigilância Sanitária de Goianésia diz que ele está em casa. A de Jacundá afirma que o homem está circulando pela região e pede precaução
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O primeiro caso positivo para a Covid-19 no município de Goianésia do Pará está causando preocupação na região do entorno do Lago de Tucuruí. O paciente é um homem de 48 anos que trabalha no setor de transporte de cargas, mas descumpriu isolamento domiciliar e está se deslocando pela região. O caso ganhou as redes sociais neste fim de semana, inclusive, com uma foto que seria da pessoa infectada.

A Prefeitura de Goianésia do Pará, por meio do departamento de Vigilância em Saúde, informou que o caso foi confirmado na sexta-feira (3) pela Secretaria Estadual de Saúde do Pará (Sespa). O homem chegou de viagem no dia 24 de março e apresentou os sintomas da Covid-19 no dia 27.

Segundo a família, ele se manteve em quarentena após chegar de viagem e, ao apresentar sintomas, procurou um serviço de saúde, onde foi colhido material e enviado para Belém. O resultado atestou positivo para a Covid-19.

A Reportagem foi informada de que uma equipe da Vigilância Sanitária de Goianésia está mantendo contato telefônico permanente com o paciente e os familiares dele, e este informa que tem cumprido toda orientação de isolamento domiciliar e social, mas, diante das denúncias veiculadas nas redes sociais, o caso está sendo investigado.

Em Jacundá, entretanto, a história é outra. Na noite de ontem, domingo (5), a secretária de Saúde Lícia Souza fez contato com um servidor ligado à secretaria de Saúde de Goianésia do Pará. “Fomos informados de que o paciente não fora localizado desde o dia 31 de março e que, de acordo com um grupo de caminhoneiros, ele estaria chegando hoje [domingo] a Goianésia de uma viagem realizada ao Mato Grosso para o transporte de carga” disse ela, em nota.

“Alertamos a todos que esse paciente não cumpre o isolamento compulsório, caracterizando crime de desobediência e contra a saúde pública e que coloca em risco a vida de muitos que fizeram contato próximo sem a devida proteção”, adverte o comunicado.

A nota explica, ainda, que esse paciente, após chegar à Goianésia do Pará, fez uma viagem de van entre aquela cidade e a vizinha Jacundá, no dia 27 de março, onde permaneceu por mais de 24 horas e manteve contato com moradores.

Fica no ar a pergunta: já não seria hora de as autoridades de Saúde fazerem uma busca no domicílio do dito infectado para tranquilizar a população ou, caso contrário, deixá-la em alerta?

(Antonio Barroso)

Publicidade