Brasil

OI ESTÁ COBRANDO ATÉ POR CHAMADA NÃO ATENDIDA

Atenção: se você é cliente da Oi, verifique minuciosamente sua conta telefônica, pois essa operadora está cobrando até por chamadas não atendidas. E como descobri isso? Tenho muitos parentes e …

Atenção: se você é cliente da Oi, verifique minuciosamente sua conta telefônica, pois essa operadora está cobrando até por chamadas não atendidas. E como descobri isso?

Tenho muitos parentes e amigos em Brasília. Para alguns deles ligo com constância. Em novembro, liguei diversas vezes para um mesmo casal de amigos. Em nenhuma dessas oportunidades tive a sorte de ser atendido. Dias depois fiquei sabendo, por meio de outro amigo, que o casal estava viajando.

No entanto, na segunda semana de dezembro, ao receber a conta do meu Oi-fixo, a surpresa: as dez ligações – não atendidas – que fiz para o casal constavam na folha de cobrança ao preço de R$0,23 (vinte e três centavos) cada. Havia, ainda, uma ligação que fiz para o aparelho celular do mesmo casal – também não atendida –, tarifada a R$0,63 (sessenta e três centavos).

Liguei para a Oi. Perguntei se agora estavam tarifando as ligações não completadas. A atendente me garantiu que não. Disse estar abrindo minha conta em seu terminal. Conferiu comigo cada uma das ligações e, anotando os itens dos quais discordei, afirmou ter registrado ocorrência. Segundo ela, poderia mesmo ser ‘erro do sistema’. Garantiu-me que, após análise criteriosa, enviaria nova conta. A prontidão com que fui atendido me fez pensar que não fui o primeiro a reclamar.

Contudo, se foi mesmo erro de sistema, por que foi em favor da operadora? Por que o sistema, ao errar, não deixou de registrar os diversos interurbanos demorados que fiz?

Será que esses sistemas são desenvolvidos em Las Vegas, onde a ‘casa’ sempre ganha? O leitor deve estar pensando: ‘– Esse Lobodomar é um miserável. Fazendo alarde por conta de R$ 2,93’. Mas não se trata disso.

Não cabe discutir o montante. Mas sim o fato de ser tarifação indevida. E aí não importa o valor. Até porque, no meu caso foram apenas R$2,93. Mas pode ser que no caso de outras pessoas seja muito mais.

Imagine uma empresa de médio porte: quantas vezes, ao dia, faz ligações que não se completam? E que história é essa de tarifar o serviço não realizado? Ora, grandes empresas têm seus sistemas vistoriados o tempo todo. Já trabalhei na Skol-Brasília, onde o desempenho do sistema era acompanhado em tempo integral. Não creio que em em uma companhia telefônica seja diferente.

Mas coisas desse tipo não são novas. Quem trabalha – ou já trabalhou – em banco sabe que, periodicamente, todas as contas correntes são subtraídas de seus centavos, os quais são desviados para a conta apelidada de ‘vala’. De centavo em centavo, esse mecanismo arrecada milhões. E quem sabe dizer o que é feito disso?

O que sei é que grandes empresas fazem estatística de tudo. Talvez a Oi tenha descoberto algum valor, provavelmente na casa dos centavos, que, quando cobrado indevidamente o volume de reclamações seja mínimo.

Porém, quantos clientes a Oi possui? Alguém sabe dizer? Quanto lucraria se cobrasse, em média, R$2,00 indevidamente de cada cliente? E mais: ao perceber o erro, a empresa tem a decência de devolver os centavos cobrados indevidamente de cada cliente? Será que devolve apenas de quem reclama, abocanhando o restante?

Pois digo: reclamei na Anatel, que informou não poder fazer nada até que chegasse a nova conta. Hoje, contudo, recebi ligação da Oi afirmando que, de acordo com seu sistema, todas as ligações foram atendidas e que, diante disso, nada mais poderia se feito.

Tudo bem. Essa era mesmo a resposta esperada. Na forma unilateral como é hoje a telefonia, se eles dizem que você consumiu quantia ‘x’, não há como contestar. Mesmo quando se tem plena consciência de estar certo.

Dessa forma fica fácil comprar a Telecom. Aliás, por esses métodos inescrupulosos, a Oi poderá, no curto prazo, comprar até a Shell. Tudo, obviamente, com o sacrifício do consumidor.

Finalizo essa postagem sugerindo, aos amigos internautas que forem clientes da Oi, que verifiquem suas contas telefônicas. Tentem, por favor, identificar valores – possivelmente na casa dos centavos – que apontem cobrança indevida. Não é tão fácil perceber, pois não se pode, quase um mês depois, lembrar de todas as ligações não atendidas. Eu mesmo percebi por acaso.

A Oi está se transformando no ‘tubarão’ da telefonia brasileira. E se o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) em nada impede as compras e fusões que concorrem para a formação de monopólios (ainda que, por enquanto, somente em nível estadual), quem mais pode fazer? Minha postura, porém, será trocar os serviços da Oi, pelos de outra operadora qualquer, na primeira oportunidade; rezando para não cair em esparrela maior.

Esse é o Brasil. E ainda há quem acredite em responsabilidade social da empresa.

Fonte: Doce de Fel

Deixe seu comentário