Nos pênaltis, Remo derrota o Vila Nova e conquista o título invicto da Copa Verde 2021

Com o Baenão lotado, o Leão Azul superou o Tigre e soltou o grito de campeão. O goleiro Vinícius defendeu dois pênaltis
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A torcida do Clube do Remo saiu feliz e cantando do Estádio Evandro Almeida, o Baenão, em Belém, na partida final da Copa Verde de 2021. Neste sábado (11), o Leão Azul encarou o Vila Nova (GO), e após empate sem gols no tempo normal, a decisão do título foi para os pênaltis. Melhor para os remistas, que venceram o adversário por 4 a 2 e soltaram o grito de campeão invicto pela primeira vez da Copa Verde.

O jogo: Leão campeão invicto!

O Vila Nova finalizou primeiro com Clayton, que recebeu passe e chutou de fora da área, a bola se perdeu pela linha de fundo. O Remo respondeu rapidamente, quando Felipe Gedoz fez boa jogada e cruzou para Neto Pessoa, mas o atacante remista finalizou para fora. O Tigre tentou na bola cruzada dentro da área, a redonda passou por todo mundo e sobrou para o chute de Pedro Bambu, assustando contra a meta do goleiro Vinícius.

O time visitante resolveu arriscar e Diego Tavares disparou de fora da área, o atacante do Vila Nova acabou isolando para fora do Estádio Baenão. O Leão tentou em uma cobrança de escanteio de Felipe Gedoz e a bola sobrou para Kevem, que finalizou para fora. Os jogadores do Remo pediram pênalti quando Lucas Siqueira entrou na área e chutou – o volante azulino teria sido tocado por Moacir, mas a arbitragem não marcou nada.

O Remo tentou colocar pressão. Após cruzamento na área, Felipe Gedoz não alcançou e a bola sobrou para Ronald, que chutou prensado e o goleiro Georgemy saiu para defender. O Tigre respondeu com Clayton, que recebeu e girou para chutar; o goleiro Vinícius fez a defesa. O Leão insistia atrás do primeiro gol. Ronald recebeu na esquerda e cruzou, Neto Pessoa raspou de cabeça e a bola sobrou para Felipe Gedoz, que emendou um belo voleio e parou na grande defesa do goleiro Georgemy. A torcida azulina ficou no “uh”. 

O Tigre teve uma boa oportunidade depois que Bruno Collaço descolou passe para Diego Tavares, que fez a finta em cima da marcação, mas finalizou mal, sem perigo contra a meta remista. Na etapa final, o Remo tentou com Pingo, que arriscou de longe e mandou para fora. O lance polêmico aconteceu quando Felipe Gedoz recebeu lançamento, entrou na grande área e chutou cruzado – a bola bateu na mão do jogador do Vila e o árbitro foi consultar o VAR. O árbitro pegou impedimento no início da jogada e não marcou o pênalti para o Remo.

O goleiro Vinícius defendeu dois pênaltis (Foto: Samara Miranda/Ascom Remo)

O Vila Nova tentou marcar com Thiago Real, mas o goleiro Vinícius fez a defesa. O Tigre teve a chance com Clayton, que chutou e a bola bateu na trave, só que a arbitragem pegou impedimento na jogada. O Remo quase marcou o gol, quando Raimar cruzou e Neto Pessoa cabeceou; a bola passou muito perto da meta do goleiro Georgemy. Placar final: Remo 0 x 0 Vila Nova. Com o resultado, a decisão foi para os pênaltis.

O time goiano começou cobrando com Clayton, que fez 1 a 0. O Remo empatou com o artilheiro da Copa Verde, Neto Pessoa – 1 a 1. Rafael Donato cobrou para o Tigre e fez 2 a 1. Raimar bateu para o Leão e deixou tudo igual, 2 a 2. André Kobrel cobrou e o goleiro Vinícius defendeu para o Remo. Marlon tratou de colocar os azulinos na frente e fez 3 a 2. Johnatan Cardoso cobrou e, mais uma vez, o goleiro “São Vinícius” defendeu. O zagueiro Fredson foi para a cobrança e marcou o gol do título do Leão. Placar final: Remo 4 x 2 Vila Nova. 

O Clube do Remo é campeão da Copa Verde de 2021. O chamado Fenômeno Azul invadiu o gramado do Estádio Baenão para comemorar o título inédito com os jogadores. Com o título, o Leão Azul se garantiu na terceira fase da Copa do Brasil de 2022 e acabou puxando o Castanhal, que também vai participar da competição nacional. 

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Kevem, Fredson, Marlon e Igor Fernandes (Raimar); Pingo, Lucas Siqueira (Paulinho Curuá) e Felipe Gedoz; Ronald (Jefferson), Erick Flores (Lucas Tocantins) (Thiago Mafra) e Neto Pessoa. Técnico: Eduardo Baptista 

VILA NOVA: Georgemy; André Krobel, Renato, Rafael Donato e Bruno Collaço; Moacir (Kalil), Éder Monteiro e Pedro Bambu (Thiago Real); Diego Tavares, Rafael Silva (Johnatan Cardoso) e Clayton. Técnico: Higo Magalhães

  • Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrade (ES)
  • Assistente 1: Fabiano da Silva Ramires (ES)
  • Assistente 2: Vanderson Antônio Zanotti (ES)
  • Quarto árbitro: Arthur Gomes Rabelo (ES)
  • Árbitro de Vídeo (VAR): Daiane Caroline Muniz dos Santos (SP)
  • Cartões amarelos: Lucas Siqueira, Thiago Mafra e Paulinho Curuá (Remo); Clayton, Éder Monteiro e André Krobel (Vila Nova)
  • Local: Estádio Evandro Almeida, o Baenão, em Belém 

Por Fábio Relvas