Notícias

Nomeação faz tapajoense apoiar 55

A senhora da foto acima que empunha a bandeira do “Não e Não”, sorriso tímido nos lábios, em carreata realizada no final de semana em Belém, não é uma cidadã …

Márcia Simone de Araújo

A senhora da foto acima que empunha a bandeira do “Não e Não”, sorriso tímido nos lábios, em carreata realizada no final de semana em Belém, não é uma cidadã qualquer.

É a ex-primeira-dama do município de Terra Santa (oeste paraense), onde ela, desde ontem (21), quando essa foto foi publicada no jornal Diário do Pará, causa furor.

Márcia Simone de Araújo é esposa do ex-prefeito Adalberto Anequino, atual nº 2 da Superintendência Regional do Incra em Santarém. Ela causa furor porque todos em Terra Santa juravam que ela era favorável à criação do Tapajós.

Por diversas vezes, na gestão do marido como prefeito, Márcia se manifestou simpática ao sonho emancipacionista tapajônico. Daí a estupefação dos seus, digamos assim, ex-súditos ao vê-la de camisa e bandeira do “não” no outro lado da trincheira.

A mudança repentina logo suscitou uma penca de especulações.

Entre as quais, a de que o choro da cantora Fafá de Belém no programa do “não”, semana passada, teria sensibilizado a ex-primeira dama, e nela provocado essa rápida conversão.

Há quem diga, no entanto, que Márcia Anequino Araújo mudou de lado por conta de uma aparição, ocorrida em setembro deste ano.

Aparição do nome dela no DOE – Diário Oficial do Estado -, como assessora especial I, por decreto assinado pelo governador Simão Jatene. Desde então, segundo os teóricos da tese da aparição, Márcia Anequino defende o “não” com idêntico entusiasmo de Zenaldo Coutinho (PSDB).

Fonte: Blog do Jeso Carneiro

37 comentários em “Nomeação faz tapajoense apoiar 55

  1. Lucas Vinicius Responder

    “Usar essa desculpa do tamanho do Pará como argumento para convencer as pessoas é certamente uma piada. Para aqueles que acreditam realmente que deixando o Pará menor ele vai se desevolver econômicamente, eu deixo uma pergunta no ar para refletir.
    Por que, estados como Acre, Paraíba, Pernanbuco, Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Norte, não estão mega desenvolvidos? Tendo em vista que são estados pequenos e até menores que o estado de São Paulo. Heim?”

    Facil essa, me diga qual o potencial economico e de geração de riquezas esses estados tem ?Pouco comparado as regiões de Carajás e Tapajós, comparado ao potencial mineral e de agronégocio de Carajás por exemplo, não tem os mesma capacidade de receber investimentos como tema região de Carajás.

  2. Aline Alves Responder

    Ana Paula, quem deve acordar é o povo da RMB (Região Metropolitana de Belém), se os problemas dessas duas regiões que querem a emancipação, fossem apenas a gestão pública, com certeza já estaria resolvido. O que queremos é atuação do governo estadual nas suas esferas, se for para os prefeitos dos municípios das regiões de Tapajós e CaraJÁs assumirem as responsabilidades da esfera estadual, indiretamente já estão nos dizendo que é melhor emancipar.
    Se me disseres que isso é interesse político, posso também dizer que é interesse político dos que não querem a emancipação.

  3. Nilce Couto Responder

    Sou natural de Óbidos, mas moro em Manaus há muito tempo. Amo esta cidade que me acolheu, mas tenho uma paixão especial pelo Estado do Pará, principalmente minha cidadezinha… tão querida, mas tão abandonada. Sou eleitora do Amazonas, mas se votasse no Pará, votaria SIM, pois acredito que essa mudança irá melhorar muito esses municípios que farão parte no novo Estado do Tapajós. Agora… é preciso consciência na escolha dos novos gestores, pois tem muita gente querendo se dar bem, coisas de políticos mal intencionados.

  4. Ana Paula Responder

    E vocês ainda duvidam que essa divisão é PURAMENTE UMA QUESTÃO POLÍTICA…
    Quem nos dera, se fosse realmente para o bem do povo.
    Acordem “Tapajós” e “Carajás” !!!!!!!!!!
    SAIBAM VOTAR nas próximas ELEIÇÕES para PREFEITO!!!!
    Mostrem a FORÇA do seu POVO nas URNAS!
    #Eleicoes2012

  5. GILMAR, GOIAS Responder

    para o senhor Governador do pará, Vsª Excelencia alega tristesa, ferida, e muito mais;
    hoje senhor governador o povo do Pará andam trista com sua administraçao, hoje o povo do Pará ja estam feridos, o desempenho da Vsª Excelência na infra estrutura nao esta bem, na eduçao, na segurança, na saude, as estrada do pará é uma verganha, eduçao nem R$ 66,00 o governador nao resolveu, a segurança nao existe “pará e considerado um estado sem Lei com base na currupçao, isso é uma aberraçao, isso senhor governador ja esta uma ferida enorme, em muitas familias foram prejuizo irreparevel, familia que perderam seus entes queridos em acidente porque para nao tem estrada, feridas porque assaltante e pistolagem que deveriam ser combatido por Vsª Excelência, feridas por que familias nao tem condiçoes de sair do sul ou do interior do pará para fazer tratamento em outras capitais Goiania, Palmas e outras, perdendo seus filhos mulheres pais maridos, isso senhor Governador é ferida que so cresce no interior fo pará, que deve ser visto agora no dia 11 de dezembro de 2011, feridas que vai começar a ser tratada e curada, esqueci de sitar o abandono da parte governamental isso tambem é uma ferida grave que ja no projeto de ser curada do povo do carajas e tapajos, povo que merece um tratamento especial, povo que hoje esta deprecivo e otimista no SIM, “POVO DO TAPAJOS E CARAJÁS VOTANDO NO SIM VOCES VAO TER MELHIA DE VIDA, NA SAUDE, NA EDUCAÇAO, NA SEGURANÇA, ENFIM EM TODA INFRA ESTRUTURA DO ESTADO, “VOCES VAO TER UM GESTOR PERTO DE VOCES, VOTE NO SIM PARA MELHORAR.

  6. Aline Alves Responder

    Aline, voce quer namorar com o Gleydson?

    rsrsrsrs…não entendí o porque dessa pergunta.

    Eu voto 77, e duas vezes, prefiro arriscar novos rumos, do que permanecer na lama com medo de me mover para sair dela.

    JUVENTUDE NA RUA O QUE É QUE VOÇÊ FAZ?
    ESTAMOS NA LUTA PELO CARAJÁS!

    A JUVENTUDE ESTEVE PRESENTE EM VÁRIOS MOMENTOS DECISIVOS E HISTÓRICOS NO NOSSO PAÍS, E DESTA VEZ NÃO PODIA SER DIFERENTE.
    JUVENTUDE DE PARAUAPEBAS ATIVA NESSA LUTA E O MOVIMENTO JOVEM PRÓ-CARAJÁS SE FAZ PRESENTE NESSA LUTA, CUJA CAUSA, É JUSTA E SE FAZ NECESSÁRIA.

    SEM MEDO (CENSURA), SEM RÉDIA, SEM CORRENTE, VAMOS QUE VAMOS BUSCAR NOSSO SONHO, CONQUISTÁ-LO E LUTAR PARA QUE NÃO SEJA UM SONHO FRUSTRADO.
    ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE DE LUTAS REVOLUCIONÁRIAS, ESTAREMOS DE PÉ.
    Aline Alves.

  7. Nome (obrigatório) Responder

    essa disputa tem nos bastidores a ganancia e o desejo de enriquecimento, tanto do lado separatista quanto do lado não separatista o que interessa é quem vai assumir o controle das riquezas aqui geradas ou tirar qualquer proveito da situação. no entanto como elite que é, a nobre ex-primeira dama só está usando do direito de defender sua galinha dos ovos de ouro pois o que realmente fundamenta essa luta é o não enriquecimento do pobre, e o não empobrecimento do rico.

  8. Gleydson Responder


    Anselmo:

    Aline, voce quer namorar com o Gleydson?

    rsrsrsrs….estou solteiro….rsrs

    Hoje faz 20 anos que silenciou a maior voz dos palcos: Freddie Mercury. Que descance em paz o Rei do Queen!

    só pra descontrair!

  9. kpnup Responder

    Amigos, vamos nos unir de vez e parar com toda essa discussão que não nos leva a lugar algum, enquanto brigamos entre nós, os sulistas do pais ficam rindo e debochando, a vitoria do NÃO já é certa, então vamos aparar de vez as arestas e cobrar definitivamente políticas públicas eficientes de nossos gestores, temos que mudar os modelos de políticas sociais e econômicas, fazendo com que os recursos cheguem a todos os nossos irmãos.

  10. Luana Responder

    Altamirense, a verdade não devia, em princípio, ofender a ninguém, mas servir de alerta para uma mudança de postura.
    De qualquer modo, desculpe se pareci preconceituosa, Não era a minha intenção até porque, acredite se quiser, mas sou paraense também, embora não tenha nascido em Belém e falei sério quando disse que adoro o Pará. Quero a divisão porque acredito sinceramente que será melhor para todos e também para que os jovens, onde também me incluo, tenham melhores oportunidades de emprego sem ter de se aventurar fora daqui.
    O dia 11.12 vai passar, então paz, amigo, paz.

  11. Aline Alves Responder

    Se eu fosse o Gleydson, eu diria para o Zenaldo Coutinho deixar ele defender o Pará grande no lugar do deputado. Sempre que posso leio os comentários do Gleydson, em alguns aspectos, até bom, ao contrário do debate do dep Zenaldo, que aqui em Parauapebas, só fortaleceu o SIM, não derrubou nada do que foi dito pelo dep João Salame. Infelizmente para ele. Nós do SIM preferimos arriscar novos dias em um novo estado, do que continuar como estamos.
    E só para nível de informação, o que tem de Paraense no interior do estado que quer a emancipação do Tapajós e CaraJÁs, não é brincadeira viu…e o melhor disso, na Capital também, mas como diz uma música do Gabriel o pensador, que diz que “o medo é um modo de fazer censura”, tem muita gente calado, e outra coisa, frase de Albert Einsten- “O que me preocupa não é o barulho dos maus, mas sim o silêncio dos bons”, realmente os nãozistas teem com o que se preocupar.
    Sim ao progresso.

  12. Aline Alves Responder

    ela podia vir visitar o interior do estado desse jeito aí que ela tá na foto, em cima de um trio, pra ver se ela ia ficar tranquila. Sai do conforto burguesinha.
    Alô nãozistas, dizer que só quem quer a emacipação do Tapajós e CaraJÁs são os empresários, os latifundiários e os políticos, é estratégia derrotada, andem no interior, a pé, de ônibus, de van, e voçês verão uma classe que clama por esses estados.

    Pra cá tem gente viu galera da capital.

    Isso é o começo do desenvolvimento para a região Norte do Brasil.

  13. Eudes Responder

    Usar essa desculpa do tamanho do Pará como argumento para convencer as pessoas é certamente uma piada. Para aqueles que acreditam realmente que deixando o Pará menor ele vai se desevolver econômicamente, eu deixo uma pergunta no ar para refletir.

    Por que, estados como Acre, Paraíba, Pernanbuco, Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Norte, não estão mega desenvolvidos? Tendo em vista que são estados pequenos e até menores que o estado de São Paulo. Heim?
    __________________

  14. GILVAN Responder

    SE ESTIVESSEMOS LUTANDO PARA DEFENDER O PARÁ OU O PROPRIO BRASIL DE UMA NAÇÃO QUE NÃO FOSSE BRASILEIRA, ERA TOLERÁVEL TANTA VIOLÊNCIA PRATICADA EM PALAVRAS MAS ESSE NÃO É O CASO.
    AGORA OS CONTRAS OBSERVEM A EXTENSÃO DO PARÁ EM RELAÇÃO AO PARANÁ E VEJAM QUEM VIVE MELHOR NÓS COM UM TERRITÓRIO AINDA SEM DESBRAVAR, OU ELES TÃO PEQUENOS MAS BEM DESENVOLVIDOS.
    VAMOS SER COERENTES TODOS SOMOS BRASILEIROS QUEREMOS QUE TODOS TENHAM DIGNIDADE.

  15. Luana Responder


    Paulo Henrique:

    Meu avô é Marajoara conhço Marajó muito bem, analfabeto tem em toda parte do Brasil, lá tem, tem sim mais não o tanto que ela deve achar, acho que ela (Luana) não sabe nem onde fica localiado o Marajó e tenho quase certeza que nunca foi lá.

    Paulo Henrique, não só conheço o Marajó, como morei por lá durante 01 ano. Então, sim, eu conheço o Marajó, viajei naqueles barcos inseguros, corri risco de ser assaltada pelos piratas, tive de sair às pressas de lá doente e não tinha médicos para atender e sei de pessoas que morreram por absoluta falta de atendimento .
    O Marajó tem, sim, um número grande de analfabetos, assim como o restante do Estado. Quem quiser tapar o sol com a peneira que o faça, mas a educação paraense é uma das piores do país e isto foi noticiado recentemente em todos os jornais.

  16. Eudes Responder


    Sim Carajás:

    É por isso que temos que votar apenas SIM ao CARAJÁS e NÃO AO TAPAJÓS. Esse pessoal do Tapajós está apenas pegando carona na nossa luta sem realmente fazer nada de concreto para aumentar o movimento, eles podem ainda sair vitoriosos as nossas custas e nós derrotados, a vitoria pode cair no colo do Lira Maia de graça sem ele ter feito nada para isso e ai nós nunca mais teremos chance de termos o nosso Estado se apenas o Tapajós sair vitorioso,pois o Pará nunca mais será dividido e nós ficaremos sempre como o sul do pará e o Tapajós será um Estado as nossas custas.

    Eu só não voto a favor do Tapajós porque os FDP dos politicos de lá cresceram o olho e anexaram até a região do Xingu no estado deles, quando todos sabem que Altamira tem muito mais relações comerciais, sociais e politicas com Belém do que com Santarém. Tudo por causa do Belo Monte. Já o Carajás eu sou totalmente contra porque é a região do Pará que mais recebe investimentos e os caras ainda ficam dizendo que o governo não olha pra eles, isso é puro oportunismo.

  17. Altamirense Responder

    Luana, não me venha colocar palavras na minha boca ok? Eu nunca disse que acho que o Pará é uma porcaria, pelo contrário, falei que é você, com as suas palavras um tanto quanto preconceituosas, que passou essa idéia. Aliás, até um marajoara respondeu acima dizendo a mesma coisa sobre você. É agindo desse jeito que vocês nunca vão conseguir dividir o Pará. E também mentindo descaradamente na propaganda, tentando enganar o povo do Estado com promessas de muito dinheiro que o Pará irá receber com a divisão. Não é mentindo e falando mal do Pará que vocês irão vencer. Isso eu tenho certeza. Quem sabe daqui há 30 anos, quando alguns politicos inescrupulosos como o Lira Maia e o Giovanni Queiróz estiverem fora do cenário, e tivermos politicos realmente interessados no bem estar da população, e quando for feito um projeto de divisão que realmente ouça a população diretamente interessada, pra saber se elas querem fazer parte de um novo estado (o que não é o caso de Altamira nem de Tucuruí pelo que eu sei) então aí eu posso até votar a favor da divisão. Mas por enquanto do jeito que está parece que é um projeto feito por politicps e por uma elite que se acha superior, mais inteligente, e que acha que o Pará é terra de ignorantes.

  18. Sim Carajás Responder

    É por isso que temos que votar apenas SIM ao CARAJÁS e NÃO AO TAPAJÓS. Esse pessoal do Tapajós está apenas pegando carona na nossa luta sem realmente fazer nada de concreto para aumentar o movimento, eles podem ainda sair vitoriosos as nossas custas e nós derrotados, a vitoria pode cair no colo do Lira Maia de graça sem ele ter feito nada para isso e ai nós nunca mais teremos chance de termos o nosso Estado se apenas o Tapajós sair vitorioso,pois o Pará nunca mais será dividido e nós ficaremos sempre como o sul do pará e o Tapajós será um Estado as nossas custas.

  19. Paulo Henrique Responder

    Meu avô é Marajoara conhço Marajó muito bem, analfabeto tem em toda parte do Brasil, lá tem, tem sim mais não o tanto que ela deve achar, acho que ela (Luana) não sabe nem onde fica localiado o Marajó e tenho quase certeza que nunca foi lá.

  20. Leitor Assiduo Responder

    Falou e disse Luana!
    Se o SIM perder só será bom por um lado: Pra esse povo continuar penando com o descaso, com a falta de educação, saúde, as estradas esburacadas… Enquanto Belém tá lá: Linda!

    Penem aqui! Vocês querem assim!

    Voto SIM, independente de resultado quero melhoras pra região que escolhi morar, e viver!

    77!

  21. Pedro Responder

    É isso mesmo, vamos mudar pra melhor, votando em 55 duas vezes, não vamos entregar para esses politicos CURRUPTOS que querem se aproveitar da nossa região. Fora Giovanne Queiroz e Lira Maia

  22. Gleydson Responder

    Uma coisa que está me deixando cada vez mais abismado é o “milagre da multiplicação dos cifrões” que os separatistas estão alegando na propaganda eleitoral que o Pará remanescente supostamente iria “lucrar” com a divisão em 3. O desespero está cada vez mais visível e o descaramento também. Primeiro não explicaram como o FPE do Pará iria aumentar pra 5,4 bilhões, jamais citaram a fonte de onde tiraram essa estimativa, e acabaram sumariamente sendo desmascarados pelo veterano profº de economia da UFPA, Hélio Mairata, que na propaganda do NÃO explica didaticamente que o FPE é definido em lei e que a cota dos estados é fixa, não prevendo aumento ou redistribuição de cota devido a criação de novos estados, assim sendo o Pará teria que dividir a sua cota com os estados que desse origem. Não conseguindo convencer ninguém com tais dados, agora os separatistas vem com um dado ainda mais “tentador”: alegam que juntando o FPE com arrecadação de ICMS os 3 estados juntos “lucrariam” 11 bilhões de reais, sendo 6 bilhões só pro Pará remanescente!!!! Confesso que, como economista, até dei risada quando vi pela primeira vez esses novos números. Nem perco o meu tempo tentando entender essa “lógica” (até porque novamente eles não apresentaram nenhuma fonte) apenas fico preocupado em pensar até que ponto pode chegar o grau de irresponsabilidade dos lideres separatistas. Presumo que a continuar assim, até o final da propaganda os separatistas terão prometido que o Pará remanscente lucrará tanto com a divisão que até mesmo eles serão obrigados a migrar em massa pra Belém pra gozar do maravilhoso “paraíso econômico” que será o Pará.

  23. Luana Responder

    Caro Altamirense, não se trata do que eu penso sobre o povo do Pará, mas do que até poucos dias estava nas manchetes de todos os jornais brasileiros.

    Se você considera seu estado uma porcaria, é problema seu. Eu adoro o Pará, apenas tenho o bom senso de reconhecer que não há recursos para desenvolver o Estado inteiro e que, por isto e apenas por isto, é melhor dividir, até para fortalecer a região Norte, sempre esquecida pelo Governo Federal por conta da fraca representatividade política.

    Aliás, um dos motivos para o Pará viver passando vergonha diante do resto da nação é justamente esta megalomania que faz os paraenses acreditarem que sua extensão territorial é proporcional ao desenvolvimento.

    Alguns dos estados mais desenvolvidos do país e que oferecem os melhores índices de qualidade de vida ao seu povo são muito menores do que o Pará.

    O que diminui a autoestima do Paraense não é a propaganda divisionista, mas as manchetes mencionando cotidianamente nossas mazelas nas áreas básicas, como saúde, educação e segurança.

    É possível que, DESTA VEZ, não consigamos a sonhada emancipação, mas vamos sair de cabeça erguida, sabendo que lutamos pelo que acreditamos certo, porque “É MIL VEZES MELHOR A TRISTEZA DE HAVER PERDIDO, DO QUE A VERGONHA DE NÃO TER LUTADO”.

    Pior é o povo do Novo Pará que acomodou-se à miséria, à pobreza, ao subdesenvolvimento e a ser colônia extrativa do resto do País, enfim, à mesmice que o coloca o tempo todo na rabeira dos índices de desenvolvimento.

  24. Helder Igor Responder

    Sim, meu querido Paulo Henrique, estamos em guerra de interesses. Defina seu lado.

    Ao Neto, tenha dó. Utilize-se de argumentos mais adultos. Como eles não existem, entretanto, fique calado e aguarde a vitória do SIM.

  25. NETO Responder

    Cleide comentou no facebook:
    eu e meu esposo comentávamos que na verdade quem quer a divisão são pessoas que não são oriundas do Pará, todos são de fora, como exemplo conto-lhes: meus parentes que moram em Itaituba, Marabá, Parauapebas, Santarém, Oeiras do Pará, são contra a divisão, e eles mesmos afirmam que os poderosos fazendeiros e os comerciantes que são de outros estados é que querem a divisão e ainda debocham dos que nasceram lá q eles serão dominados e se sentirem mal no poder deles que se mandem, quem vai se mandar são esses agressores que eram sem terra e vieram nos afrontar.

  26. Altamirense Responder

    Pelo menos ela escolheu o lado certo.

    Olha o que a Luana disse representa tudo o que os caras de Carajás pensam sobre o Pará: que o Pará é um estado de merda cheio de analfabetos e igniorantes, é por isso que eles não nunca vão conseguir vencer.

  27. Luana Responder

    Tem muita gente defendendo o Não para garantir seu emprego. A pressão tá braba lá em Belém.

    Mas, afinal de contas, QUANDO É QUE O NÚMERO 77 VAI COMEÇAR A SER DIVULGADO NA PROPAGANDA?

    Não quero “ensinar o padre nosso ao vigário”, mas o Pará, principalmente Marajó, tem um índice enorme de pessoas não alfabetizadas e há o risco de perdermos votos importantes se não começarmos a divulgar o número que deverão digitar na urna.

    A campanha já uma luta de Davi e Golias, imagine perder votos porque os eleitores não aprenderam direito o número que representa o SIM.

    Pronto, falei. Falei mesmo.

Deixe seu comentário