Mulher grávida é assassinada a golpes de faca e tesoura em Oriximiná

Ela estava no Conselho Tutelar, tentando reaver a guarda de uma filha que o ex-marido havia lhe tirado, quando foi vítima de feminicídio
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Um crime de feminicídio gerou revolta entre os moradores da cidade de Oriximiná, no oeste do Pará, na manhã desta terça-feira (11). Luana Silva da Conceição, 34 anos, foi perseguida e assassinada pelo ex-marido João Sávio, conhecido como “Jango”. O homem foi preso em flagrante pelo delegado Wilson Fonseca, que já abriu inquérito para apurar o crime.

O feminicídio aconteceu no Bairro Santa Luzia. A investigação aponta inicialmente que Luana estava na companhia de um irmão com idade de 17 anos quando foi abordada pelo ex-marido. Ela se encontrava no Conselho Tutelar, onde procurava auxilio para reaver uma filha que “Jango” havia lhe tirado.

Enquanto aguardava atendimento, o ex-marido chegou ao Conselho Tutelar armado com uma faca do tipo peixeira. Uma discussão entre eles antecedeu os golpes desferido por Jango contra a mulher e seu irmão.

Mesmo ferida, Luana conseguiu correr e tentou entrar em algumas casas para pedir socorro, até avistar um salão às proximidades da sede do Conselho Tutelar. “Jango” a seguiu e dentro do salão, pegou uma tesoura que também foi usada para ferir Luana. O utensílio quebrou durante os golpes.

“Estávamos na delegacia quando cidadãos vieram aflitos informar que um cidadão estava esfaqueando a companheira em frente à sede do Conselho Tutelar. Imediatamente fomos pra lá e quando chegamos a Polícia Militar já havia feito à detenção do suspeito. Ele estava todo ensanguentado, jogou fora um dos objetos usados no crime, uma tesoura. Fomos até a escola e de lá recolhemos a tesoura. No local onde o corpo foi encontrado fizemos buscas e encontramos uma faca tipo peixeira”, contou William Fonseca.

Ainda segundo o delegado, testemunhas relataram que tentaram intervir, mas ficaram com medo porque “Jango” estava armado.

A motivação do crime, segundo as primeiras informações repassadas pelo suspeito à polícia foi o término do relacionamento do casal. A vítima estava grávida, eles estavam separados havia algum tempo e o homem desconfiava de que o filho que ela esperava não era dele.

“Pouco tempo atrás ele levou a filha do casal para uma comunidade do interior sem o consentimento da mãe, e foi isso que a fez procurar o Conselho Tutelar em busca de um solução quanto à guarda da criança. É um crime de feminicídio. Ele já estava com a faca, mas alegou que estava com o instrumento para se proteger dos irmãos. O suspeito também tentou matar um irmão da vítima, que está em estado grave no hospital”, contou delegado Fonseca.

Luana ainda estava respirando quando a equipe da Polícia Civil chegou ao local. Como a ambulância do Samu estava demorando a chegar, a vítima foi levada na viatura policial do Hospital Municipal de Oriximiná, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos.

(Antonio Barroso, com informações do Léo Notícias )

Publicidade