Moradores flagram mortandade de peixe em igarapé de Jacundá

A existência de criatórios de suínos e de lavadores de veículos nas proximidades do Igarapé Sabiá podem estar poluindo o curso d'água e matando os peixes
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

O aparecimento de peixes mortos no leito do Igarapé Sabiá, na divisa do Bairro Alto Paraíso com o Residencial Arraias, movimentou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo (Semantur) de Jacundá, na terça-feira (26). Amostras das espécies e da água foram coletadas para análises.

A mortandade de peixes despertou a curiosidade dos moradores daquela área. Em conversa com a Reportagem, Raquel Felício, do Residencial Arraias disse que, ao passar pela ponte do igarapé, que faz ligação com o Bairro Alto Paraíso, percebeu uma quantidade de peixes mortos de várias espécies.

“Fiquei muito triste com a situação, principalmente vendo os peixes procurando respirar e não conseguirem”. A mulher tirou um aparelho celular da bolsa e começou a gravar. Rapidamente as imagens repercutiram nas redes sociais.

Uma equipe da Sematur foi ao local e constatou o problema, para verificar se os peixes teriam sido vítimas de crime ambiental. A secretária da pasta, Glaucinete Lacerda, designou técnicos para avaliar a situação, coletar amostras e identificar a origem poluidora. Um relatório final sobre o problema está em processo de finalização.

Preliminarmente, os técnicos da secretaria apontaram criadouros de suínos em propriedades ao longo das margens do igarapé Sabiá como causadores da poluição. Diante desse fato, o Departamento de Vigilância Sanitária, órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde, foi chamada para identificar os responsáveis por despejar dejetos da criação no leito do igarapé, que transformou as águas numa mistura oleosa, malcheirosa e sem oxigênio.

“É triste, gritante essa situação dos nossos rios todos poluídos, é preciso ser feito um trabalho de conscientização e despoluição dos rios e córregos de nossa cidade. Já observei que, ao redor de vários de nossos rios, tem lavadores de veículos, os quais despejam rejeitos de óleo em grandes quantidades, sem falar no lixo que alguns moradores jogam nos leitos desses rios. Eu, particularmente, até hoje nunca vi uma fiscalização mais severa por parte dos órgãos competentes. Temos um rio o qual é o cartão postal de nossa cidade conhecido por ‘Rio Arraia’, este recebe toneladas de poluição diariamente não é segredo que existem lavadores em suas proximidades. É lamentável”, escreveu uma internauta.

(Antonio Barroso)

Publicidade

Relacionados