Mobilização em rede social resgata renomado médico das ruas de Marabá

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Nas últimas 72 horas, jornalistas de Marabá e de Redenção demonstraram que as redes sociais não servem apenas para publicar futilidades, agredir a moral e a honra das pessoas covardemente ou propagar teorias da conspiração sem fundamento, entre outras bobagens.

No sábado (17), pela manhã, o repórter Josseli Carvalho, do Jornal Correio, passava pela Orla “Sebastião Miranda”, em Marabá, quando avistou um grupo de mendigos e, entre eles, o médico Luiz Rogério Miranda, que já foi um dos mais respeitados neurocirurgiões do Norte do País e pessoa das mais estimadas em Redenção e região do entorno, tanto pelo seu profissionalismo quanto pela generosidade.

Miranda estava em estado muito ruim, alcoolizado, fraco, mal podia caminhar e era amparado pelos moradores de rua. Josseli, então, fez um vídeo de menos de 10 segundos e postou no grupo de WhatsApp “Olho Vivo”, formado por colegas jornalistas e policiais de Marabá, com um apelo para quem conhecesse o médico e pudesse ajudá-lo.

Ninguém respondeu ao apelo, mas um integrante do grupo lembrou que o médico, que já havia trabalhado em Marabá, inclusive no Hospital Municipal, tinha fortes ligações com a cidade de Redenção e postou o vídeo, acompanhado do apelo, no Grupo Sinjor S e SE do Pará, formado por jornalistas da região.

No dia seguinte, domingo (18), o jornalista Lourivan Gomes, de Redenção, viu o vídeo, reconheceu o médico e iniciou uma grande mobilização entre os amigos de Luiz Rogério. Rapidamente formou-se o grupo de WhatsApp “Amigos Luiz Rogério”, com aproximadamente 30 pessoas que passaram a coordenar uma verdadeira ação social para resgatar Miranda das ruas de Marabá.

No início da tarde desta terça-feira (20), amigos do médico estiveram na cidade, o localizaram, conversaram com ele e o convenceram a voltar a Redenção com eles e iniciar um tratamento em uma instituição de recuperação de dependentes químicos, cujos custos serão bancados pelo grupo de amigos.