Meio Ambiente: Siderúrgicas do Pará seguem usando carvão oriundo de madeira irregular

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

carvão As grandes siderúrgicas exportadoras do pólo de Carajás, têm utilizado carvão feito com madeira de desmatamentos irregulares para fabricar ferro gusa. O produto serve de matéria-prima a montadoras de veículos e fabricantes de eletrodomésticos, de aviões e de computadores.

O autor da denúncia é o Instituto Observatório Social, que lançou o estudo “O aço da devastação” na última quarta-feira (22), em São Paulo.

De acordo com a pesquisa, coordenada pelo jornalista Marques Casara, da Papel Social Comunicação, Cosipar, Sidepar, Margusa e Gusa Nordeste usaram carvão de origem não explicada, vindo de fornos que não estão no cadastro legal das empresas. Há casos de siderúrgicas em que o uso do carvão ilegal sustenta mais da metade de toda a produção.

Para chegar a essa informação, o jornalista pesquisou a produção do carvão forno a forno. A metodologia utilizada foi cruzar o cálculo da capacidade máxima de produção dos fornos com o que de fato foi produzido. Para saber a quantidade de fornos, foi utilizada a lista de fornecedores de carvão que negociaram com siderúrgicas em 2010 (associadas ao Instituto Carvão Cidadão).

Confira a reportagem do  jornalista Jair Stangler, do Estadão que diz que o governo do Pará trabalha a favor de empresas que destroem o meio ambiente,

3 comentários em “Meio Ambiente: Siderúrgicas do Pará seguem usando carvão oriundo de madeira irregular

  1. anonimo Responder

    Infelizmente uma notícia dessa; tanto que se fala em sustentabilidade, inclusive, esta é uma palavra cada vez mais mencionada, inclusive, mencionada por pessoas que nem entendem exatamente o que significa. É inadimissível uma situação dessas, nós estamos na Amazônia, a Amazõnia é aqui mesmo, de baixo do nosso nariz, é triste ver pessoas morrendo por defenderem a floresta, é triste saber que há pessoas que veem ao invés de árvores, veem grana, invés de pessoas (ambientalistas) defensoras da floresta, veem inimigos. Já imaginou uma geração futura conhecendo rios, pássaros, árvores, flores e tantas outras coisas da flora e da fauna que temos hoje, apenas em livros, fotos ou mesmo vídeos? Já percebeu que a frieza e ventilação de uma floresta, ou mesmo de algumas árvores, não se compara à aparelhos de refrigração de ambientes? Esse negócio de que o dinheiro é a mola do mundo (tem muita gente que diz e pensa isso), é engano, não podemos nos entregar totalmente ao sistema capitalista, vivemos nesse sistema, mas ainda somos seres humanos, e é nós quem dependemos da natureza, ela não precisa da gente. são tantas conferências…
    Gosto muito desse pensamento do Bob Marley “Quando a última árvore for cortada, quando o último rio for poluído, quando o último peixe for pescado, aí sim eles verão que dinheiro não se come…” outra ótima é a música “ouro de tolo” do Raul Santos Seixas.

  2. DG Responder

    Zé estive na casa da familia de toinzinho (ex candidato a deputado) segundo informações colhidas. Ele foi sequestrado na noite de ontem 25, na casa de seus pais, por 4 homens fortemente armados que entraram e renderam todos e levaram somente ele. Até agora as 14h não havia nenhuma noticia sobre o paradeiro de toinzinho.

    • Zé Dudu Autor do postResponder

      DG, a notícia que me chegou ainda ontem a noite foi que a Polícia já prendeu o assaltante que queria levar o carro do Toizinho e que ele levou um tiro na perna e estava sendo medicado no Hospital Municipal. Esse fato me foi repassado pelo Vela Preta, que é quem mais está atualizado dos acontecimentos policiais em Parauapebas.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: