Marabá começa a vacinar idosos acima de 90 anos contra Covid-19

A primeira a ser vacinada mora no Bairro Francisco Coelho e tem 103 anos de idade. Na última terça-feira (9), o município recebeu mais 441 doses do imunizante
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Bernarda Marques da Silva tem 103 anos de idade

Continua depois da publicidade

Dona Bernarda Marques da Silva, de 103 anos, foi a primeira idosa a receber a vacina contra a Covid-19, como parte da segunda etapa de vacinação em Marabá, na tarde desta quarta-feira (10). Ela foi vacinada em casa, no Bairro Francisco Coelho, pela equipe extra muros da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A idosa está cadastrada na Unidade Básica de Saúde (UBS) Demóstenes Azevedo, tem hipertensão e é a pessoa com maior idade acompanhada pela equipe da Estratégia da Família. A UBS acompanha 18 idosos nessa faixa etária.

A SMS iniciou a vacinação dos idosos, por volta das 14h desta quarta-feira. Essa é a segunda fase de vacinação contra a Covid-19 no município. Desta vez o grupo prioritário são os idosos acima de 90 anos. A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) enviou para Marabá, na terça-feira (9), 441 doses da vacina CoronaVac para imunização desse público.

Seu Simplício Lisboa completou 99 anos no último dia 2. O carpinteiro aposentado foi o segundo a receber a vacina, para alegria da família. A filha, Maria Deuzélia Lisboa, recebeu a equipe de vacinação com alegria.

“Estava ansiosa que chegasse aqui para ser vacinado logo. Eu estava com medo dele adoecer e ir a óbito, o meu velhinho. Minha mãe já morreu e eu só tenho ele,” explica a dona de casa.

Muito lúcida e animada, Dona Deolinda dos Reis Martins, 92 anos, viveu mais esse momento histórico em Marabá. Ela disse que toma todos os cuidados necessários para evitar a doença e tem ao lado soldados [filhos] cuidando dela. Deolinda foi a quinta idosa a receber a vacina na cidade.

“A vacina ajuda de certa forma na saúde da gente, para a gente se sentir mais forte. Com fé, a doença não vai invadir a gente,” declarou a idosa conhecida em Marabá pela sua dedicação à Igreja Católica.

Sabrina Acyoli, diretora da Vigilância em Saúde, esclarece que a vacinação acontece seguindo o plano estadual e que nesta fase ocorrerá em domicílio, inclusive na zona rural.

“As doses foram recebidas do estado com essa faixa etária já definida. A vacina vai acontecer de casa em casa. Os idosos acima de 90 anos acompanhados pela Estratégia da Família já são cadastrados, então as equipes já sabem onde encontrá-los. Aqueles que ainda não são cadastrados, a gente pede que a família procure a Unidade de Saúde mais próxima de casa para cadastrar o idoso para receber a dose,” enfatiza.

Mônica Borchart, diretora da Atenção Básica, informa que todas as UBS fizeram o levantamento dos idosos. “Ficamos muito realizados em ver nossos idosos com o recebimento desta primeira etapa da vacinação. Todas as vacinas vêm com a segunda remessa já garantida. É importante enfatizar que a Sespa é quem envia para nós e desta vez veio a remessa para idosos acima de 90 anos,” observa.

Vale ressaltar que a primeira dose da vacina ainda não garante a imunização total. Por isso, os cuidados devem continuar, principalmente com os idosos. O uso de máscara, higienização das mãos e o distanciamento ainda são recomendados pelos órgãos de saúde.

Recebimento de doses

Esta é a terceira remessa de vacinas contra a Covid-19 enviada a Marabá pela Sespa. O primeiro lote contendo 1.609 doses da vacina CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, chegou ao município em 19 de janeiro e foi destinado aos profissionais de saúde da linha de frente do combate ao novo coronavírus e aos idosos que vivem nas instituições de longa permanência do município.

Já o segundo lote, com 1.510 doses, foi recebido no dia 26 de janeiro, ainda destinado a profissionais da saúde que atuam na assistência a pacientes de Covid-19. Os imunizantes foram produzidos pela Biofarmacêutica AstraZeneca, elaborados em parceria com a Fundação Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz).  A vacinação é aplicada segundo nota técnica da Sespa. (Fonte: Ascom Marabá)