Mais um suspeito é preso por ataques a agentes de segurança pública no Pará

Acusado de integrar uma organização criminosa foi capturado no interior de Santa Catarina, já totalizando 13 prisões
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil do Pará prendeu, na tarde desta sexta-feira (23), por meio do Núcleo de Inteligência Policial (NIP), Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), mais um alvo da Operação Medusa, deflagrada na última quarta-feira (21). O acusado foi capturado na cidade de Penha, no estado de Santa Catarina. Ele é apontado como integrante de uma organização criminosa responsável por assassinatos e tentativa de homicídio contra agentes de segurança pública no Pará.

“Contra o alvo havia um mandado de prisão em aberto expedido pelo Poder Judiciário paraense. O homem também foi autuado em flagrante delito por uso de documento falso, pois estava residindo no estado de Santa Catarina com outra identificação,” informou o delegado-geral de Polícia Civil, Walter Resende. “É mais uma ação contundente do Governo do Pará, por meio da Polícia Civil, no combate ao crime organizado”.

A Operação Medusa foi deflagrada pelas forças de Segurança Pública, visando à identificação e prisão de várias lideranças do crime organizado, apontadas como responsáveis por atentar contra a vida de agentes de segurança pública, além de roubos, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Cerca de 150 agentes participaram das diligências, que ocorreram de forma simultânea nos estados do Pará, Santa Catarina e Rio de Janeiro.

Prisões 

Ao todo, 18 mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça contra 17 pessoas investigadas – uma das quais possui dois mandados judiciais emitidos por comarcas diferentes contra ela.

Somente na última quarta-feira (21), 12 pessoas foram capturadas, sendo quatro lideranças de facções criminosas. Três prisões ocorreram na Região Metropolitana de Belém, uma em Santa Catarina e outros oito mandados foram cumpridos contra acusados que já estavam à disposição da Justiça no Sistema Penitenciário do Pará.

Drogas e materiais usados para produção e comercialização de entorpecentes, além de celulares, armas de fogo e munições foram apreendidos durante as buscas. Todo o material foi periciado e fará parte dos inquéritos policiais. No total, 13 pessoas já foram presas, entre conselheiros e membros da organização criminosa.