Justiça do Trabalho dá 24h para a Vale retirar trabalhadores de barragem em Carajás

O Ministério Público da União vê o perigo de acidente como o de Brumadinho (MG), e diz que a mineradora insiste em manter mais de 300 trabalhadores no local

Continua depois da publicidade

A Justiça do Trabalho determinou, nesta quinta-feira (17), que a mineradora Vale retire da ZAS (Zona de Autossalvamento), da Barragem Pera Jusante, em Carajás, no prazo de 24 horas, todos os trabalhadores, diretos, indiretos, de fornecedores de produtos e serviços, e qualquer transeunte que ali esteja.

A decisão se baseia em Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público da União motivada pela conduta empresarial da Vale de “inacreditavelmente, apesar dos grandes acidentes envolvendo trabalhadores do setor e o histórico recente de tragédias da própria empresa, vir resistindo, de forma reiterada, a retirar os trabalhadores”, mantendo ao menos 359 deles nessa área, “que pode ser descrita como a área preferencial de vítimas fatais”.

A decisão é da juíza Suzana Maria Lima de Moraes Affonso Carvalho dos Santos, titular da 2ª Vara do Trabalho da Comarca de Parauapebas.

LEIA ABAIXO A ÍNTEGRA DA DECISÃO

ATUALIZAÇÃO

Confira nota emitida pela mineradora Vale em resposta à decisão:

A Vale tomou ciência da Ação Civil Pública movida pelo MPT, e da decisão liminar da Vara do Trabalho de Parauapebas, e adotará as medidas para o cumprimento da decisão, bem como a continuidade do diálogo com a Procuradoria do Trabalho, sempre atendendo aos parâmetros legais cabíveis.
 
A empresa reforça o seu compromisso com a saúde e a segurança dos seus empregados e reitera que cumpre todas as obrigações legais nos quesitos de segurança.
 
Ressalta, ainda, que a barragem da Pera Jusante em Carajás tem método construtivo a jusante, metodologia mais segura com sua construção em maciço de terra compactado. A estrutura está estável e com Declaração de Condição de Estabilidade (DCE) positiva, operando dentro da normalidade.
 
As barragens são monitoradas 24 horas por dia, 7 dias por semana e possuem protocolos de controle e segurança implementados nas áreas de ZAS.

6 comentários em “Justiça do Trabalho dá 24h para a Vale retirar trabalhadores de barragem em Carajás

  1. Héder Luiz Almeida Pereira Responder

    Não será acatado a ordem. O desacato de QQ ordem judicial está ficando corriqueiro quando se tem dinheiro nesse país. E vai ficar o dito pelo não dito.

    • Hercivaldo Responder

      Cadê vcs vale, é vcs que fala segurança em primeiro lugar. Trabalhe com segurança, cadê a segurança. Cadê a vida em primeiro lugar. Não vale de nada essas regalia da mineradora..
      E por isso que acontece essas tragédias.
      Mas Deus é mais. E vai proteger cada um de seu filhos e filhas

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: