Juíza interdita suposta tentativa de bloqueio da portaria de Carajás

Ato se daria em protesto ao regime de lockdown instituído pela prefeitura de Parauapebas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A juíza Rafaela de Jesus Mendes Morais, da Comarca de Parauapebas, deferiu o pedido liminar de interdito proibitório impetrado pela mineradora Vale S/A, interditando supostos planos de bloqueio ou invasão da Portaria da Floresta Nacional dos Carajás. A decisão foi tomada neste domingo, 21 de março, e determina ainda multa de R$30 mil para quem descumpri-la.

Segundo a ação movida pela empresa, desde sábado (20) um grupo de pessoas desconhecidas vem circulando, nas redes sociais Facebook e Whatsapp, “um anúncio em forma de convite para uma mobilização de autônomos e empresários da cidade”, alegando que, “as 5h, irão se reunir para ‘fechar a portaria da mineradora Vale’,” em protesto à instauração do regime de lockdown em Parauapebas, através do Decreto Municipal nº 1087/2021.

O bloqueio impediria recebimento e entrega de produtos e mercadorias, além da livre circulação de pessoas, criando o risco iminente da falta de abastecimento da Vale, explica o documento. A juíza ainda enfatiza que o decreto municipal “nada tem a ver com a empresa”.

A decisão não cita réus por nome, mas determina intimação de qualquer pessoa “nos locais onde ocorrem ameaças de bloqueio de vias”, autorizando reforço policial para o seu cumprimento, caso necessário.

Confira a íntegra da decisão: