Notícias

Ivanaldo Braz, presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, devolve ao executivo R$4,2 milhões não usados em 2015.

Em Parauapebas, um fato inédito e inusitado na política brasileira aconteceu na última terça-feira. O vereador Ivanaldo Braz, do Solidariedade, presidente da Câmara Municipal devolveu aos cofres da prefeitura nada …

Em Parauapebas, um fato inédito e inusitado na política brasileira aconteceu na última terça-feira. O vereador Ivanaldo Braz, do Solidariedade, presidente da Câmara Municipal devolveu aos cofres da prefeitura nada mais nada menos que R$ 4.200.000,00 (quatro milhões e duzentos mil reais), valor jamais devolvido por nenhum presidente de câmara em toda a história política do Brasil.

vereadores

Ivanaldo Braz, 38 anos, é maranhense, mas, como tantos outros, chegou a Parauapebas em 1992, à procura de melhor condição de vida para a família.

Em sua estada na Câmara Municipal de Parauapebas, Braz começou a perceber as deficiências dos legisladores e a estudar os motivos de não serem implantados no município os ideais de campanha.

Em 2012, Braz foi eleito vereador pelo PDT com 1,500 votos (1,71%). Com a criação do Solidariedade, no final de 2013, ele filia-se ao novo partido junto com outros seis vereadores de Parauapebas, formando uma bancada forte no município. Com apoio dos colegas de partido, Braz é eleito presidente da Câmara Municipal de Parauapebas para o biênio 2015/2016.

Braz1Logo no início de sua gestão, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Pará, promove uma grande operação em Parauapebas, na busca de investigar supostos crimes de improbidade administrativa praticados pela direção da CMP que antecedeu Braz, fato que, segundo o presidente da Câmara, contribuiu para que sua administração não sofresse tanta interferência externa.

Com zelo e pulso firme, Braz cortou despesas, saneou as contas, refez contratos (aluguel de veículos, telefone, energia elétrica, consultores, manutenção…) e investiu de forma transparente os recursos repassados pelo prefeitura – o orçamento da Câmara Municipal de Parauapebas para o biênio 2015/2016 é de R$ 41 milhões – , culminando com a devolução de R$ 4,2 milhões aos cofres púbicos neste fim de ano.

Questionado se essa economia se deu em virtude da operação do Gaeco, Braz é contundente em afirmar que não, apesar de reconhecer que ela ajudou a conscientizar os seus pares de que a forma como vinham sendo conduzidos os recursos públicos não era a correta, pois a operação aconteceu no mês de maio de 2015, e em março já havia cerca de R$ 2 milhões rendendo juros, frutos dessa economia. Por falar em juros, o município de Parauapebas recebeu cerca de R$ 330 mil em juros oriundos da aplicação desses recursos economizados ao longo do ano.

Segundo ainda o presidente, esse valor agora devolvido poderia ser maior se não houvesse uma despesa de mais ou menos R$ 750 mil com as rescisões feitas com a saída de seis vereadores, já que todos os assessores desses vereadores foram trocados pelos dos que assumiram.

Segundo o presidente, esse valor agora devolvido poderia ser maior se não houvesse uma despesa de mais ou menos R$ 750 mil com as rescisões que tiveram de ser feitas em virtude da saída de cinco vereadores, já que todos os assessores desses vereadores foram trocados pelos dos que assumiram.

“Às vezes fico indignado quando ouço a população dizer que político é tudo farinha do mesmo saco. Não acho que é. Em todos os setores existem funcionários honestos e que desejam o melhor para o município, assim como existem os corruptos e/ou os ineficientes. O lado bom disso tudo é que alguns têm a chance de provar que são honestos e eficientes, e o fazem quando a oportunidade aparece”, afirma Braz, que pretende se candidatar à reeleição no ano que vem, mas ainda não sabe se permanece no SD, já que tem convite do PMDB.

Vida de menino pobre

Oriundo de uma família de sete irmãos, cujo pai, hoje com 63 anos de idade, era vaqueiro na época em fazendas da região, Ivanaldo Braz nasceu no dia 5 de janeiro de 1977, no município maranhense de Presidente Dutra, na vila conhecida por Lagoa Nova, a seis quilômetros do centro da cidade, onde viveu até os sete anos de idade, quando a família mudou-se para o município de Amarantes, também no Maranhão.

Nessa época, o garoto, juntamente com os irmãos, ajudava o pai nos serviços de vaqueiro, cuidando durante o dia do pastoreio do gado e na madrugada na ordenha das vacas e de manhã fazia a venda do leite, numa bicicleta ou em cavalo. Por essa atividade, no período de 10 aos 14 anos de idade, Braz era conhecido como leiteiro, na cidade vizinha de João Lisboa.

Em Amarantes, precisamente na localidade denominada Pindarezinho, o menino pobre concluiu o que naquele tempo se chamava de ginásio, depois 1º grau, e hoje ensino fundamental, andando alguns quilômetros a pé ou no lombo de animais.

Concluído o ensino fundamental, a família de Braz muda-se anos depois para Imperatriz, ainda no Maranhão, onde o garoto estudou até o segundo ano do hoje ensino médio, com habilitação em administração de empresa, na escola Amaral Raposo.

Em busca de melhoria de vida, em 1992 os pais de Ivanaldo Braz, então com 15 anos de idade, deixam Imperatriz e rumam para Parauapebas, onde recomeçam a vida, comprando uma área rural na região conhecida como Gelado.

Na cidade paraense, Braz foi obrigado a refazer os dois anos do ensino médio na escola Euclides Figueiredo, pois esta não reconhecera o tempo que ele estudou em Imperatriz.


Política e outras atividades
Nesse período, Ivanaldo Braz foi convidado a trabalhar na campanha do amigo conhecido por Riba do Gelado para vereador, que veio a ser eleito, e ele foi assessor do mesmo durante três anos.
Tomando gosto pela política, Braz ajudou a fazer a campanha do primo José Adelson, em 2000, mas o candidato não foi eleito. Em seguida, ele prestou serviço no comércio local, na empresa Maquipesa, na mineradora Vale e na U & M, em Carajás, como operador de máquinas pesadas.

Voltando à política, nas eleições de 2008 ajudou novamente na campanha do primo José Adelson e desta vez o candidato foi eleito vereador, e Braz trabalhou em sua assessoria na Câmara Municipal, e depois na Secretaria Municipal de Saúde, como diretor administrativo.

Saindo do serviço público, Ivanaldo Braz comprou uma van, adquiriu o alvará e passou a prestar serviço no transporte público de passageiro pelo período de um ano, dirigindo o próprio veículo.

Em 2012, Braz percebeu que tinha chegado o momento de lançar sua candidatura, e elegeu-se vereador com exatos 1.500 votos.

Ivanaldo Braz é casado há oito anos com Maquivalda Barros, atual secretária municipal de Habitação, e padrasto de um casal filho do primeiro casamento da esposa. Seguindo o exemplo de determinação do marido, no trato com a coisa pública, Maquivalda vem fazendo uma gestão de destaque no governo do prefeito Valmir Mariano, levando habitação digna para milhares de famílias carentes.


A política hoje
Indagado como ele vê a política hoje no país, vereador Braz opinou que a situação atual é bastante delicada, mas, como diz o ditado popular, “depois da tempestade vem a bonança”.

Em sua avaliação, a corrupção por desvio ou mau uso do dinheiro público, culminando na prisão de gestores e empresários envolvidos, pode contribuir com gestões transparentes, tanto no país, estado e município.

Falando especificamente de Parauapebas, ele avalia que a vinda do Gaeco ao município pesou muito para que os gestores pensem duas vezes em querer desviar dinheiro público.

O vereador considera também de muito valia as redes sociais, ferramentas importantes que a população vem utilizando para denunciar eventuais crimes de corrupção.

A Câmara de Parauapebas em 2015

A Câmara municipal de Parauapebas no ano de 2015 realizou diversas ações de cunho administrativo em detrimento do atual cenário econômico do país, bem como de mudança estruturais na gestão administrativa que necessitavam ser feitas tais como:

  • Implantação de melhorias na gestão de pessoal;
  • Nomeação de concursados para chefia de áreas estratégicas, como procuradoria, controle, Licitação e diretoria legislativa, reduzindo a ocupação de cargos comissionados;
  • Implantação de treinamento de efetivos com cursos externos de capacitação técnica;
  • Implantação de gestão eficiente nos contratos reduzindo o gasto com o custeio e os custos de manutenção da câmara;
  • Terceirização de serviços secundários, como limpeza das instalações e manutenção predial. reduzindo assim os gastos com pessoal;
  • Redução no número de consultorias técnicas;
  • Encaminhamento de parceria para a instalação da rádio e TV câmara;
  • Criação de cargos e funções para o funcionamento do instituto legislativo, já que desde 2009 estava dependendo disso para ser regulamentado;
  • Pintura e revitalização do prédio da Câmara e criação de novas acessibilidades para portadores de necessidades especiais;
  • Favorecimento de artistas locais, com a contratação para pintura do painel de entrada do plenário e revitalização das pinturas externas dos estacionamentos;
  • Incentivo às ações da biblioteca legislativa e abertura de licitação para aquisição de um ônibus totalmente adaptado para servir como biblioteca itinerante;
  • Iluminação de natal no prédio;
  • Votação de diversos projetos e requerimentos de interesses da população, e ainda votará mais, pois está em trâmite a análise da LOA de 2016, que entrará em votação nesse período de fim de ano.

Reconhecimento

índice

Ontem, 11, o presidente Ivanaldo Braz foi homenageada em Belém pelo jornalista Marcelo Marques, o Bacana, em uma festa onde estiveram presentes várias autoridades estaduais, municipais e a sociedade em geral. Os vereadores Barrão, Parcerinho, Miquinhas e Joelma acompanharam o presidente ao evento.

Aplicação do recurso devolvido

Em nota, a prefeitura de Parauapebas informou que a quantia devolvida é referente ao duodécimo que a Prefeitura faz à Câmara para a manutenção dos trabalhos realizados pelos vereadores, e que não foi usado no decorrer do ano. “Parabéns ao presidente da Câmara por essa louvável atitude, e quem ganha com isso é a população. Parauapebas está entrando para um marco na história, no cuidado, zelo e responsabilidade com a coisa pública. E esse dinheiro vai retornar à população também de forma responsável”, disse Maria Mendes, secretária municipal de Fazenda.

Quanto à aplicação do dinheiro, esse será revertido para áreas prioritárias, como a saúde. “Temos vários setores da administração pública para aplicarmos, contudo, vamos direcioná-lo para a conclusão do novo hospital municipal. Nós estamos com o hospital novo em torno de 95% pronto; já compramos mais de 70% dos aparelhamentos e ainda faltam alguns para serem comprados, então, nós pretendemos usar o montante para a compra dos equipamentos, para concluirmos a obra”, explicou o prefeito Valmir Mariano.

Um comentário em “Ivanaldo Braz, presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, devolve ao executivo R$4,2 milhões não usados em 2015.

  1. Agenor Garcia Responder

    Caro Dudu,
    Impressionante. Em meio a tantos corruptos que desviaram dinheiro para fins escusos, eis uma gota no oceano,mas de relevância histórica, devolver dinheiro que agora poderá ser utilizado em prol da rés pública. Parabéns aos vereadores que aprovaram a matéria.
    Agenor Garcia
    jornalista

Deixe seu comentário