Investimentos no setor de aço estão empacados

Continua depois da publicidade

Após a decisão do grupo chinês Wuhan Iron Ore and Steel (Wisco) de suspender o projeto de construção de uma siderúrgica de US$ 5 bilhões no porto Açú, em São João da Barra (RJ), da LLX Logística, empresa de logística controlada pela holding EBX de Eike Batista, o exemplo deve ser seguido por outros investidores, como a Ternium, do grupo ítalo-argentino Techint e a própria Vale, fato que preocupa o setor de mineração.

A Mineradora Vale tem 3 projetos de aço no portfólio da empresa: Companhia Siderúrgica de Pecém (CSP), no Ceará; Alpa, no Pará; e Ubu, no Espírito Santo. Instado pelo Valor Econômico, José Carlos Martins, diretor executivo de ferrosos e estratégia da Vale comentou os projetos da mineradora:

Ubu
O projeto da siderúrgica de Ubu está parado, pois o momento é difícil para arranjar um parceiro. Querer construir uma usina nova quando temos a CSA – Companhia Siderúrgica do Atlântico (73% controlada pelo grupo alemão ThyssenKrupp e 27% pela Vale) à venda é no mínimo complicado.

CSP
O único projeto da Vale em andamento, de US$ 4,5 bilhões, é o da CSP, em fase de terraplanagem e bate estaca. Deve entrar em operação com capacidade de 3 milhões de toneladas de placas no primeiro semestre de 2015. As coreanas Dongkuk e Posco são sócias minoritárias da Vale, dona de 50%.

ALPA
No caso dos Aços Laminados do Pará (Alpa), a Vale espera solução para um litígio no terreno e para a logística. “Fizemos um acordo com o governo do Estado que quer solução logística de transporte pelo rio. O projeto continua na nossa carteira”.

Com informações do Valor Econômico

1 comentário em “Investimentos no setor de aço estão empacados

  1. jonhovan Responder

    sobre assunto. ALPA oque falta mesmo e o interesse do governo do estado do PARA. porque nada faz pela nossa regiao e descaso total pela regiao sul e sudeste do estado.so que nossos impostos para investir em belem.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: