Ideb de escolas e municípios vai ser divulgado nesta terça

Na última avaliação de Ideb, referente a 2017, nenhum município do Pará ficou entre os 1.000 melhores do país, nem nos anos iniciais do ensino fundamental nem nos anos finais. E agora?
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O principal referencial escalar para dimensionar a educação básica do país será revelado amanhã (15). É o que anuncia o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), braço estatístico do Ministério da Educação (MEC). O famoso Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) será conhecido por estado, município e escola a partir das 9h30, após uma coletiva de imprensa em que o ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciará os resultados do Ideb e, também, do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2019. A cerimônia terá transmissão ao vivo nas redes sociais do Inep e do MEC.

A expectativa por parte dos municípios é grande. Isso porque, a dois meses das eleições municipais, o Ideb pode se tornar uma arma de guerra poderosa em favor ou contra prefeitos que tentam a reeleição. A educação pública é plataforma eleitoral de todos os candidatos e as promessas de cuidado com essa área vão além do desembolso de grandes quantias aplicadas no serviço — em educação, nem sempre dinheiro é sinônimo de qualidade, e os municípios do Ceará, detentores dos maiores Ideb do país, são a prova disso.

Criado em 2007, o Ideb é uma simbiose em forma de nota do exame prestado pelos estudantes no ano passado e o fluxo deles (aprovação, reprovação, evasão) na rede de ensino coletado pelo censo escolar. A nota alcançada por escola e município vai de 0 a 10, e quanto mais próxima de 10 melhor. Algumas das piores pontuações tanto no ensino fundamental quanto no ensino médio estão no Pará e em seus municípios. O Ideb mais recente disponível é referente à avaliação feita pelo MEC em 2017, divulgada em 2018.

Cenário de Parauapebas

Em Parauapebas, 13 escolas apresentaram em 2017 nota igual ou maior que 5,7, média local para os anos iniciais do ensino fundamental. Desse grupo constam oito escolas que tiveram Ideb acima de 6, sendo a Cecília Meireles a de melhor desempenho nas séries iniciais, com nota 6,5. Em seguida, aparecem as escolas Paulo Fonteles, com 6,4, e Luiz Magno, com 6,3, acompanhadas de Eduardo Angelim e Elisaldo Ribeiro, ambas com 6,2. Jozias Leão, com 6,1, mais as escolas Machado de Assis e Carlos Henrique, empatadas com nota 6, completam o pelotão de educação com nível mais elevado.

No Pará, somente Benevides (6,2) e Ulianópolis (6) alcançaram notas maiores nos anos iniciais do ensino fundamental, enquanto Paragominas (5,7) apareceu empatado. Ainda assim, as notas dos municípios paraenses não se posicionam sequer entre as dos 1.000 melhores do país em educação pública.

Quanto aos anos finais do ensino fundamental, o Ideb de Parauapebas ficou em 4,6. Nesse quesito, apenas Altamira e Ulianópolis, ambos empatados com 4,8, superaram Parauapebas. Na rede municipal, nove escolas apresentaram Ideb igual ou superior à nota geral do município. Com 5,7, Jozias Leão foi a líder nos anos finais, seguida por Luiz Magno, com 5,4, e Monteiro Lobato, com 5,2. Elisaldo Ribeiro e Paulo Fonteles apareceram empatadas, com 5,1.

Publicidade