Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Homens presos acusados de estarem furtando sucata da Vale

Eles alegam que não roubaram e sim recolheram lixo jogado na margem da estrada de ferro. Dizem ainda que são desempregados e que estão passando fome

Dizendo serem irmãos, mas com sobrenomes totalmente diferentes, foram presos pela Polícia Militar, por volta das 17h30 desta sexta-feira (3), Joel Gondim da Fonseca, 24 anos, e Daniel Almeida Ribeiro, 37. Eles são acusados de estarem roubando sucata de ferro pertencente à mineradora Vale, na margem da Ferrovia Carajás, às proximidades da Vila Palmares Sul. Os dois alegam que não estavam furtando, mas apenas recolhendo lixo jogado à beira da estrada de ferro.

Segundo o soldado Gaia, a guarnição dele, comandada pelo sargento Gidel, recebeu pelo rádio a informação de que vigilantes da empresa que faz a segurança patrimonial da Vale havia detido duas pessoas que estariam furtando peças de ferro da mineradora.

Imediatamente, a guarnição se deslocou para o local, removendo Joel e Daniel para a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, assim como a camionete que eles estavam usando, de placas OGJ-8214/Parauapebas-PA, carregada de peças pequenas de ferro.

Ouvido pela Reportagem, Joel disse que está há mais de um ano desempregado e que sobrevive durante esse tempo catando latinhas e sucatas de fogões e geladeiras para vender no ferro-velho, muitas vezes auferindo apenas R$ 15,00, dinheiro que não dá para comprar sequer fraldas para o bebê de colo que tem em casa.

Veja também:  Em Jacundá, homem meteu a colher em briga de marido e mulher e acabou morto

Ele afirmou que, percorrendo a cidade e arredores, viu o monte de ferro jogado e passou a recolher para vender, já que, para ele, aquilo não passava de lixo. “A gente pega lixo para vender e agora vai preso como ladrão. Eu não sou ladrão, estava era recolhendo lixo”, desabafou.

Já Daniel, chorando, contou que estava passando fome havia vários dias, pois está desempregado há oito meses e, convidado para ajudar Joel, aceitou na hora, com a intenção de ganhar algum dinheiro a fim de matar a fome. “Estou passando fome numa cidade rica dessa, tenho família para sustentar. Que país é esse?”, indagou, soluçando.

Deixe uma resposta