Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Jacundá

Polícia Militar tira de circulação assaltante em Jacundá

O ladrão preso e um comparsa estavam fazendo “blitz” em uma rua do Bairro Boa Esperança e foram denunciados pelas vítimas

Um roubo de dois aparelhos celulares na tarde de domingo, 13, levou à prisão Vitor Emanuel dos Santos Oliveira, cujo comparsa conseguiu escapar ao cerco policial. O caso aconteceu por volta de meio-dia, quando PMs foram acionados e recuperaram um dos aparelhos.

A guarnição, sob o comando do sargento Cardoso e auxiliado pelos cabos Carvalho e Brito, foi requisitada para averiguar uma situação de um roubo, por volta de 12h.  No endereço informado, Rua 14 de Março, Bairro Boa Esperança, estavam dois indivíduos armados e com uma moto Pop, preta, abordaram as vítimas e subtraíram os equipamentos eletrônicos.

Diante das informações, a PM abordou um dos suspeitos por volta de 19h. Vitor Emanuel dos Santos Oliveira apresentava as mesmas características informada pelas vítimas. “No momento da abordagem o mesmo foi encontrado com um dos celulares roubados [Samsung j7pro]”, relatou o sargento Cardoso, que encaminhou Vitor para a Delegacia de Polícia Civil de Jacundá, onde as vítimas o reconheceram como o autor do assalto. Sobre o comparsa, o suspeito não forneceu informações. Vitor já está disposição da Justiça.

Jacundá

Assaltante preso após atacar mulher em Jacundá

Marco Antônio Martins não foi muito longe após o assalto, acabou capturado pela Polícia Militar e reconhecido pela vítima

Marco Antônio Alves Martins, 21 anos de idade, foi preso na tarde de sexta-feira (11), acusado de roubar, em companhia de um comparsa, objetos pessoais de uma mulher que transitava pela Rua Bahia, no centro da cidade de Jacundá. A prisão foi efetuada por policiais militares a bordo da viatura 7801, composta pelos cabos César Leal, Marcos e Duarte, e soldado Jonathan, após a vítima, Nilda Sousa Conceição comunicar a ocorrência.

A mulher disse que se encontrava em via pública, precisamente na Rua Bahia, que fica no centro da cidade, quando dois elementos, em duas bicicletas a abordaram com uma arma branca, tipo faca, e fizeram ameaças.

Com medo de algo pior, ela conta que entregou um aparelho celular e outros objetos que estavam na bolsa dela, além de certa quantia. Após a dupla fugir, ela acionou uma equipe de policiais militares.

O comandante da PM de Jacundá, major Fábio Rayol, explicou que “de imediato foram realizadas as buscas nas proximidades e que um dos infratores foi capturado em uma área de mata”. Marco Antônio foi reconhecido pela vítima e  conduzido para a Depol de Jacundá para a apresentação.

Marabá

Trio rouba Iphone e pega 5 anos de cadeia 6 meses após o crime

Roubo aconteceu em Marabá sem uso de arma e juíza foi implacável em sentença publicada nesta quinta-feira

A justiça não deu moleza para Leisiano da Silva Lima, Orlando Rodrigues Almeida e Wesley Jhone da Silva Brito, acusados pelo Ministério Público Estadual de roubar um celular Iphone 6 de uma vítima em Marabá. O crime ocorreu em 19 de julho do ano passado e a sentença foi prolatada hoje, quinta-feira, 10, portanto seis meses depois.

Segundo a denúncia, no dia do crime, por volta das 6 horas da manhã, os acusados roubaram, mediante grave ameaça, um aparelho celular Aplle/Iphone 6, pertencente à vítima Wesley da Silva Freitas, além de documentos pessoais e um cartão de banco, tendo empreendido fuga em seguida.

A vítima transitava em via pública quando foi abordada por um dos acusados, que desceu do veículo, exigiu a entrega dos bens. Mas em seguida, Wesley comunicou os fatos à Polícia Militar que, após diligências, identificou o carro utilizado pelos três acusados, um Fiat Uno, cor prata, que estava sendo conduzido por Leisiano.

Todavia, ao ser interrogado, ele jurou que não participou do roubo, mas que sabia onde os autores da ação delituosa se encontravam. Os policiais localizaram os denunciados Orlando Rodrigues e Wesley Jhone da Silva e todos os acusados foram encaminhados para a delegacia de polícia.

Wesley confirmou a autoria do crime, ao passo que Orlando declarou apenas que estava dirigindo o veículo usado e que Leisiano negou ter participado da ação. Os advogados de todos eles apresentaram alegações, pedindo a absolvição em razão da falta de provas. Durante os seis meses em que o processo tramitava na justiça, os três permaneceram presos no Centro de Triagem Masculina de Marabá (CTMM).

O mesmo Wesley, acusado, declarou que passou a madrugada com Orlando usando drogas e os dois e outro comparsa saíram para comprar substâncias entorpecentes, oportunidade em que abordou a vítima e subtraiu o aparelho celular. “Diante do material colhido, isto é, depoimentos da vítima e testemunhas, verifico que restou comprovada a ocorrência do delito de roubo. Isso porque mediante grave ameaça exercida com simulação de portarem arma de fogo, os acusados subtraíram os pertences da vítima”, disse a juíza Renata Guerreiro Milhomem de Souza, titular da 1ª Vara Criminal de Marabá.

Os três foram condenados a cinco anos e quatro meses de prisão. Ao mesmo tempo, a juíza Renata Guerreiro negou o benefício do apelo em liberdade aos réus, considerando a necessidade de restaurar a ordem pública, e que a medida constritiva de liberdade se impõe como forma de restaurar a paz social e para preservar a credibilidade da justiça, pois a adoção das medidas previstas em lei diminuirá a sensação de impunidade junto à população e aos infratores.

Ulisses Pompeu – de Marabá
Redenção

Polícia Civil prende dois acusados de roubo em Redenção

Eles roubaram a casa de um policial civil em outubro do ano passado

A Polícia Civil em Redenção cumpriu mandando de prisão preventiva na tarde de ontem, terça-feira (8), quando prendeu Tiago Araújo Silva, acusado de envolvimento em furto ocorrido na casa de um policial civil, em 30 de outubro do ano passado. Um segundo acusado, também com mandado de preventiva contra si, Wesley Feitosa Guimarães, conseguiu fugir antes da chegada da polícia. Tiago, entretanto, não quis ir em cana sozinho e entregou de bandeja o comparsa conhecido como Bruno Alemão, informando, inclusive, o endereço dele.

De acordo com o delegado João Abel, que preside o inquérito, as investigações começaram no ano passado, na data em que aconteceu o roubo na residência do policial, cujo nome não foi divulgado.

Na casa de Bruno foram encontradas: duas espingardas, duas motosserra, uma da marca Makita, uma placa de motocicleta QDA-4741 /Redenção-PA, cinco relógios – quatro dourados e um prateado -, três anéis, cinco aparelhos celulares, cinco cordões dourados e R$ 329,00 reais em dinheiro.

Tudo foi apreendido e removido para a Delegacia de Policia Civil, onde os acusados foram ouvidos pelo delegado e, depois, transferidos para a Penitenciária de Redenção.