Helder no ataque de novo

Helder nomeia um delegado da PF para substituir Beltrame, licenciado da Secretaria de Saúde
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O secretário de Saúde do Pará, Alberto Beltrame, pediu licenciamento do cargo. O substituto dele será Rômulo Rodovalho, delegado da Polícia Federal. Beltrame também renunciou à presidência do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

Ao fazer a troca na Secretária de Saúde, Helder dá um golpe de mestre e retoma a iniciativa política, perdida desde a blitz sofrida pelo Pará. Na quinta pela manhã, deputados da oposição elogiavam à boca pequena a decisão.

Há dúvidas sobre a investida do Governo Federal contra o ex-secretário de Saúde Alberto Beltrame. Cheira à ataque político bolsonarista. Beltrame era presidente do Conass, Conselho Nacional dos Secretários de Saúde. Fazia contraponto à falta de rumo presidencial no assunto Covid. Não há críticas à condução técnica de Beltrame na secretaria.

Por que caiu, então?

O governador não disse expressamente, mas fontes do palácio confirmam o que está nas entrelinhas do pronunciamento de Helder. Beltrame não tinha controle sobre o andar de baixo da Secretaria. A coisa estava solta demais, a ponto da PF flagrar um colaborador trazido por Beltrame com um caixa cheia de dinheiro em casa. A surpresa foi grande demais, ninguém do governo esperava. Por isso, houve a degola do ex-secretário.

Não é à toa que Helder pôs um delegado da PF pra botar ordem na casa. Na mensagem ao Estado, o governador afirmou que a tarefa do novo secretário é restabelecer a confiança da sociedade. Mas, quem prestou atenção ao texto ouviu: restabelecer a confiança do Governo também.

Quer dizer, havia uma confiança quebrada com a revelação surpreendente para todos do sub do sub endinheirado.

Para quem acha que a troca é um aceno ao bolsonarismo, ledo engano. A secretaria continuará com direção científica forte. O Doutor Cipriano Ferraz, responsável pela Policlínica Metropolitana e Policlínica itinerante segue responsável técnico do órgão.

O governo retoma a pauta de suas ações e Helder pode falar com mais liberdade o seu bordão “Bora Trabalhar”.

Publicidade