Exportações de Parauapebas e Canaã superam 700 milhões de dólares em abril

Minério de Carajás é astro-rei da balança comercial paraense, mas, pela primeira vez, a soja venceu mês sendo exportada mais que o alumínio e ficou na 3ª posição, atrás de ferro e cobre.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os dois maiores produtores de recursos minerais do Brasil responderam por 75% dos 2,209 bilhões de dólares exportados pelo Pará em abril. Parauapebas contribuiu com 903,2 milhões, posicionando-se como o 4º maior exportador do país, e Canaã dos Carajás rendeu 762,39 milhões, figurando na 5ª posição nacional.

As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que analisou os dados da Balança Comercial detalhados em nível de município e divulgados pelo Ministério da Economia nesta sexta-feira (7). Parauapebas e Canaã só ficaram atrás de Duque de Caxias-RJ (1,921 bilhão de dólares em exportações) e das metrópoles São Paulo (1,25 bilhão) e Rio de Janeiro (1,11 bilhão).

Mais atrás, o Pará também marca presença com Barcarena (189,5 milhões de dólares exportados, 23ª posição) e Marabá (181,76 milhões, na 27ª colocação). O mês de abril só não foi ainda melhor para os municípios paraenses exportadores porque eles tiveram de enfrentar o inverno rigoroso, com fortes e abundantes chuvas que levaram à diminuição do ritmo de produção, particularmente no caso dos municípios mineradores de Parauapebas e Canaã dos Carajás.

No tocante aos estados, o Pará foi o 5º que mais exportou, atrás de São Paulo (4,352 bilhões de dólares), Minas Gerais (3,034 bilhões), Rio de Janeiro (2,44 bilhões) e Mato Grosso (2,218 bilhões). Aqui no estado o minério de ferro foi o produto mais exportado, com 1,651 bilhão de dólares e 75% de participação da carga. Em seguida vêm cobre (246,67 milhões de dólares), soja (112,45 milhões), ouro (39,33 milhões) e carne bovina (29,65 milhões).

Vale ressaltar que, pela primeira vez, a soja é o 3º produto mais exportado no Pará em um mês, já que superou o alumínio em abril. No acumulado deste ano, a soja é o 4º na cesta, com 171,55 milhões de dólares exportados de janeiro a abril, atrás do ferro (6,426 bilhões de dólares), cobre (807,2 milhões) e alumínio (373,43 milhões).