Dilma define seis ministros do PMDB

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

download (1)

BRASÍLIA = A Presidente Dilma Rousseff definiu com o PMDB os nomes dos seis ministros do partido do governo. A escolha privilegiou nomes com maior sustentação politica nas bancadas.

Há três novidades : Eliseu Padilha , que atualmente preside a Fundação Ulysses Guimarães. Será o novo ministro da Secretaria da Aviação Civil, no lugar do ex-deputado Moreira Franco (RJ)

O Deputado Federal Edinho Araújo (SP) será o novo ministro da Secretaria de Portos. A bancada do PMDB na Cãmara exigia um parlamentar com mandato na composição. O deputado é do PMFB de São Paulo e amigo do vice-presidente Michel Temer.Além da saída de Moreira Franco, outra surpresa é a indignação de Helder Barbalho, filho do senador Jader Barbalho, para o Ministério da Pesca. Helder concorreu ao governo do Pará e perdeu a eleição com o apoio do PT.

O terceiro nome da Cãmara dos Deputados é o do deputado Henrique Eduardo Alves., atual presidente da Casa, indicado para o Ministério do Turismo. Sai nomeação, no entanto, pode demorar até que seja esclarecido seu envolvimento no Petrolão.Henrique Eduardo Alves foi citado no curso da operação Lava-Jato como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras. O deputado alega que é inocente.Pelo Senado, os ministros do PMDB devem ser os senadores Kátia Abreu (TO), na Agricultura, e Eduardo Braga (AM), no Ministério das Minas e Energia, além, do filho de Jader na Pesca.A participação do PMDB no governo subiu de cinco para seis ministros . O partido abriu mão da Previdência Social e ganhou, de outro lado , Pesca e Portos.

O principal critério para as escolhas e mudanças foi o Trânsito parlamentar. O deputado Eliseu Padilha, por exemplo, tem muito mais influência nas bancadas que o ex-deputado Moreira Franco, que estava no ministério na cota pessoal do vice-presidente Michel Temer . Moreira deve receber outra função no governo. O mesmo se aplica à nomeação de Helder Barbalho, filho de Jader, um dos mais influentes caciques do PMDB, mesmo com sua atuação restrita aos bastidores.Helder foi um dos candidatos , nas últimas eleições, escolhidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: Valor Econômico

.

Publicidade

Relacionados