Estado reforça barreiras sanitárias em municípios que fazem divisa com Maranhão

O objetivo é tentar evitar a entrada no Pará da cepa indiana da Covid-19, que foi confirmada no estado vizinho. As barreiras sanitárias estão montadas em Abel Figueiredo, Dom Eliseu, no sudeste do paraense, e Cachoeira do Piriá e Viseu, no nordeste do estado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Equipes da Sespa realizam aferimento da temperatura nas barreiras sanitárias

Continua depois da publicidade

O governo do Pará reforçou as barreiras sanitárias em municípios que fazem divisa com o estado do Maranhão. Desde quarta-feira (2), que equipes da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) estão fazendo testes em pessoas que chegam ao Pará pelas fronteiras com o estado vizinho.

As barreiras estão montadas nos municípios de Abel Figueiredo e Dom Eliseu, no sudeste do Pará, e Cachoeira do Piriá e Viseu, no nordeste paraense. A ação segue até o dia 11 e é um esforço conjunto com a Polícia Militar, Secretaria de Fazenda, Polícia Rodoviária Federal e secretarias de Saúde municipais.

“O objetivo desta ação é verificar se pessoas que estão entrando no estado do Pará apresentam sintomas gripais, além reforçar as medidas de segurança que devem ser tomadas para a prevenção da Covid-19, tais como: o uso de máscaras, distanciamento social e correta higienização das mãos”, frisa Milvea Carneiro, diretora de Vigilância Sanitária da Sespa.

Ela acrescenta que, além da Vigilância Sanitária, também estão envolvidos na ação o Departamento de Epidemiologia, Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) e Laboratório Central (LACEN-PA). Durante as ações, as equipes da Sespa e dos municípios realizam triagem das pessoas por meio da aplicação de questionário e verificação de temperatura dos ocupantes de veículos particulares e de transporte coletivos que transitam entre os dois estados.

A fiscalização é feita em veículos que chegam pelo estado vizinho

Fora isso, também é dada orientação sobre a importância do isolamento social, hábitos de higiene e uso correto da máscara. “De acordo com o protocolo instituído pelo governo do estado, na abordagem é feita uma rápida entrevista e aferida a temperatura corporal, seguida de orientações sobre protocolos e cuidados a serem observados. Caso alguém apresente sintomas gripais como febre ou temperatura superior a 37,5°, os profissionais que estão atuando na barreira realizam teste rápido de antígeno, que caso seja positivo, encaminham a pessoa à assistência médica no município e a amostra do paciente para o LACEN para sequenciamento genético a fim de confirmar se o caso é positivo para a nova cepa”, explica a Milvea Carneiro.

Em dois dias de operação, já foram realizadas 1.449 abordagens. Na barreira sanitária montada em Abel Figueiredo, foram realizadas 500 abordagens e orientações às pessoas em seus veículos e também aos transeuntes.

Na barreira sanitária instalada em Viseu, foram abordadas e orientadas pessoas que chegavam à cidade por meio fluvial, num total de 413 abordagens. No município de Dom Eliseu, foram abordadas e orientadas pessoas em automóveis (particulares e coletivos) que estavam entrando na cidade, no total de 102 abordagens e orientações.

Embarcações também estão sendo fiscalizadas na barreira em Viseu

No município de Cachoeira do Piriá, foram realizadas 434 abordagens e orientações às pessoas em veículos e também a pessoas que chegavam em transporte coletivo. Segundo a Sespa, foram aplicados 22 testes rápidos de antígenos com 11 casos positivos. As amostras destes pacientes foram encaminhadas ao LACEN para sequenciamento genético. Os municípios estão monitorando o quadro de saúde dos pacientes.

Tina DeBord – com informações da Sespa