Em Parauapebas a população pediu por mudanças e elegeu Walmir. Elas virão ?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

“Veludo e dourados não fazem um trono, nem ouro e joias um cetro. Um trono é um trono porque o mais nobilitado nele se senta; e um cetro, porque o mais poderoso o empunha.”

Essa frase, do escritor britânico Anthony Trollope, me faz refletir e chegar a conclusão de que ela cai como uma luva quando a transporto para Parauapebas, onde governa Walmir Queiroz Mariano (PSD). Será nosso alcaide merecedor de sentar-se ao trono e empunhar o cedro real da administração municipal? As urnas disseram que sim. Sob a bandeira da mudança o atual prefeito foi legitimamente eleito com quase 20 mil votos de frente para seu adversário. Inconteste, o povo elegeu a mudança e aguarda-a pacientemente, sabe-se até quando.

O empresário bem sucedido, empreendedor e ético ainda não deu lugar ao político Walmir, e esse parece ser o primeiro grande problema de sua administração. Erros vêm acontecendo sucessivamente sem que o gestor se dê conta de que é preciso acelerar as ações que visem ao cumprimento da promessa de mudança tanto pedida pelo povo. 

Na semana passada, envolvida em uma licitação no mínimo suspeita, a até então secretária de educação Francisca Ciza recebeu sumariamente o bilhete azul. Parecia que o adormecido prefeito finalmente atentara para os erros e faria as mudanças que tornariam seu governo robusto e eficiente.

É de conhecimento popular que a mulher do rei não basta ser honesta, ela precisa, também, parecer honesta. Assim deve ser com quem cerca o rei. Secretários, adjuntos e os mais próximos de Valmir devem, sob a pena de ver ruir o reinado, ter a honestidade e a firmeza de caráter como premissa indispensável para seguir no cargo.

Não é isso que se vê. Verdadeiros absurdos estão acontecendo em algumas secretarias nesses primeiros meses de governo, muitas vezes com o conhecimento do neófito alcaide sem que ações tenham sido tomadas para sanar esses absurdos. Culpo isso à inconsistência política do prefeito. Em um município rico, onde o orçamento de algumas secretarias é bem maior do que o da maioria dos municípios brasileiros, é preciso que o secretário municipal sinta que tem a confiança do prefeito, que paute suas ações em fazer o melhor pelo município e que se errar tentando fazer o certo não irá receber o bilhete azul. Mas não é isso que vem acontecendo.

Walmir segue a linha “é isso mesmo meu filho”. Concorda com tudo que lhe dizem e não toma para si a responsabilidade de trocar secretários que agem de forma pouco republicanas. Estes, por seu lado, com o sentimento que podem ser “fritados” a qualquer momento, não podem deixar para amanhã o que podem fazer hoje. E o hoje, para alguns parece ser ontem. Querem “resolver” suas vidas pois não sentem a firmeza que permanecerão no cargo por muito mais tempo. Tem um, dizem, que usa de supostas chantagens para continuar no cargo, não sabendo que chantagem pode ser usada por um tempo, nunca o tempo todo.

Há dias as paredes dos corredores do Morro dos Ventos escutam o balbuciar de que secretário tal e secretário y vão cair a qualquer momento, fato que só aumenta a especulação real sobre a ineficiência do prefeito em tomar decisões, mesmo que sejam elas necessárias. Enquanto isso alguns secretários hipócritas continuam a peregrinar na tentativa de resolver a vida.

Sem hipocrisia não há civilização, e isso é a prova de que somos desgraçados: precisamos da falta de caráter como cimento da vida coletiva”, disse  o filósofo Luiz Felipe Pondé.

Para que sejamos menos desgraçados é preciso mudanças. E elas devem começar por quem tem o poder de fazê-las acontecer. Não seja inerte a tudo que está acontecendo, prefeito Walmir. Use a procuração outorgada a você pelos eleitores de Parauapebas para efetivamente mudar esse rico município. Não deixe pra amanhã, pra junho… O tempo é agora! Mude para que as mudanças que a população tanto deseja e que foram prometidas por você possam realmente acontecer. Se achar que não deve mudar pessoas, mude o modo como certas pessoas vêm agindo, mas mude algo. Exerça seu papel de liderança e faça essa roda motriz girar em busca de mudanças que realmente venham melhorar as condições de vida da população.

Essa atitude, se tomada a tempo, criará um divisor de águas nas futuras gestões municipais e você certamente será lembrado como o prefeito que promoveu essa divisão e que mereceu, efetivamente, sentar-se ao trono e segurar dignamente o cetro.

Publicidade