Artigo: “nem tudo que reluz é ouro”!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por Wanterlor Bandeira ( * )

Apesar de ser pouco conhecedor da política de Parauapebas, temo que em pouco tempo acabará a “Lua de Mel” do nosso futuro prefeito com seus 40% do eleitorado (levando em conta que os outros 60% não votaram nele, portando não estão esperando muita coisa).

Darci deixou o governo em 2012 com altos índices de rejeição. Não conseguiu eleger seu sucessor e voltou agora com o discurso da “oportunidade”. Fez uma campanha competente, de resultados, e precisa, agora, manter os 40% do seu eleitorado satisfeitos e buscar apoio da maioria que temia seu retorno.

É de conhecimento comum que os municípios brasileiros atravessam um cenário de crise econômica e política, e em Parauapebas a coisa não é diferente. Com a redução da nossa quota parte, perdemos nos últimos quatro anos mais de 500 milhões de reais em arrecadação somente de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que caiu de 21% para 11% em 2016, sem contar na queda da CFEM (a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais) e do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza).

Não se cria uma nova matriz econômica em quatro anos de governo e o atual cenário não é muito auspicioso para 2017 ou para anos vindouros.

As previsões de analistas são pessimistas no que diz respeito à queda de arrecadação e ao desemprego. Da mesma forma, a máquina pública já não suporta ser esse mastodonte que é hoje, parecendo mais um elefante numa loja de cristal.

É preciso discutir imediatamente o tamanho da folha de pagamento da prefeitura, bem como a redução do Vale Alimentação. De outra forma, Darci Lermen se tornará o “Prefeito de Folha de Pagamento”, com poucos recursos para investimentos em infraestrutura, educação e na problemática saúde.

Não será uma tarefa fácil para quem pretende fazer política baseada em populismo.

Já estamos, de certa forma, familiarizados com as caras que estarão no Morro dos Ventos a partir de janeiro, e todos lembram muito bem a maneira como costumam lidar com as situações rotineiras da gestão municipal, mesmo assim, devemos fazer algumas reflexões.

No momento do aperto será que os olhos azuis do nosso futuro alcaide serão suficientes para encantar as diversas serpentes que permearão seu futuro governo (na Prefeitura e Câmara Municipal)?

Será que as oportunidades tão “cantadas” durante a campanha serão alinhadas às necessidades da população e chegarão a todos?

Só nos resta torcer para que Parauapebas atravesse esses quatro anos como tem feito até agora: com força, coragem e fé.

( * ) – Wanterlor Bandeira é paraense de Jacundá e há mais de 30 anos reside em Parauapebas. Ex-juiz classista, ex-vereador em Parauapebas pelo PT e atualmente acumula os cargos de chefe de gabinete do governo Valmir Mariano e de gestor do SAAEP.

Publicidade