Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Eleições 2018

Pesquisa Doxa aponta liderança de Helder Barbalho com Marcio Miranda na cola

A pesquisa foi parar na justiça e o resultado para o Senado foi impugnado pelo MDB
Continua depois da publicidade
Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA e do jornal A Província do Pará

A primeira pesquisa eleitoral do Instituto DOXA após o registro dos candidatos que disputam as eleições deste ano, foi realizada em todas as regiões do Estado do Pará, entrevistou 1.896 eleitores, entre os dias 13 a 17 deste mês.

Na questão espontânea, em que não são apresentados os nomes dos candidatos aos entrevistados, Helder Barbalho (MDB) aparece em primeiro lugar com 23,6% das intenções de voto.
Em segundo lugar, vem o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Márcio Miranda (DEM) com 11,9,%.
O senador Paulo Rocha (PT) é o terceiro colocado com 8,7% das intenções de voto. Cleber Rabelo (PSOL) está com 1,5% e Fernando Carneiro (PSOL) está com 0,8%. Outros nomes somam 4,0%.
Chama a atenção o alto índice de votos flutuantes, isto é, eleitores que estão indecisos ou que pretendem votar em branco ou anular o voto. Esse percentual é de 49,6%. Percebe-se, aqui, que o campo está aberto na corrida eleitoral.
Quando se estimula, isto é, apresentamos os nomes dos candidatos, Helder Barbalho (MDB) vai para 38,7% das intenções de voto. Márcio Miranda(DEM) permanece em segundo lugar com 20,4%.  O senador Paulo Rocha (PT) continua em terceiro lugar com 12,1% das intenções de voto. Cleber Rabelo (PSOL) vai para 3,7% e Fernando Carneiro (PSOL) fica com 3,1%.
Os votos flutuantes, quando estimulados os nomes de candidatos fica com 22%.
Destacamos, aqui, que votos flutuantes são os eleitores indecisos, e os que pretendem anular ou votar em branco.
Em se tratando de rejeição, Helder Barbalho (MDB) aparece como o mais rejeitado pelos eleitores, somando 22%. O senador Paulo Rocha (PT) acompanha Helder e aparece como o segundo mais rejeitado, aparecendo com 21%. Márcio Miranda (DEM) tem 12,8% e Fernando Carneiro (PSOL) 11,2% de rejeição. O menos rejeitado entre os cinco candidatos é Cleber Rabelo, com 10,6%.
O resultado da pesquisa para o Senado foi impugnado pelo MDB na justiça.
Com o 
Nível de Confiança de 95%, a pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob o protocolo nº PA-03208/2018 e tem a margem de erro estimada de 2,25% para mais ou para menos. A pesquisa DOXA foi encomendada pelo Jornal a Província do Pará
Canaã dos Carajás

Geraldo Alckmin participa de congresso evangélico em Canaã

Ainda no sábado, o pré-candidato à Presidência da República esteve em Marabá, Curionópolis e Parauapebas
Continua depois da publicidade

Com o pré-candidato à Presidência da República também estiveram na cidade o senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA), o deputado estadual Celso Sabino (PSDB), e o pré-candidato ao governo do Estado, deputado Márcio Miranda (DEM), que chegou mais cedo ao município. Ao chegar a Canaã dos Carajás, o que ocorreu por volta das 21h de sábado (7), o ex-governador de São Paulo se deslocou para um espaço de eventos onde foi recepcionado por milhares de pessoas que participavam do 25º Congresso de Senhoras da Nação Madureira (Consadem-PA).

Em breve pronunciamento, Geraldo Alckmin (PSDB) aproveitou para apresentar sua pré-candidatura, relembrar o atual cenário político brasileiro, suas necessidades e que é necessário valorizar mais a produtividade paraense, além de repensar sobre a geração de emprego e renda.

Depois do encontro com a comunidade evangélica, Alckmin se dirigiu até a Igreja Madureira Matriz, localizada no centro da cidade, onde participou de jantar reservado, junto com sua comitiva, com empresários, lideranças políticas e membros da organização do evento. Mais cedo, o pré-candidato esteve nos municípios de Marabá, Curionópolis e Parauapebas.

Brasil

Câmara dos Deputados votará novo projeto para criação de municípios

Apresentado pelo senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA), a nova proposta condiciona a emancipação a condições de sustentabilidade das localidades que pleiteiam a independência
Continua depois da publicidade

Brasília –– Na próxima semana deve entrar na pauta de votação do plenário da Câmara dos Deputados o PLP 137/15 (originado do PLS 199/15) que estabelece os critérios e as novas regras para a incorporação, fusão e o desmembramento de municípios. De autoria do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), o projeto atende a uma demanda histórica de parte dos brasileiros que defendem a criação de novos municípios. O projeto está para ser votado há mais de um mês na Câmara, no entanto, pelo número reduzido de deputados no plenário, a votação da matéria acabou sofrendo atraso.

Desde 1996, a criação de novos municípios foi interrompida por uma emenda constitucional que exigiu a aprovação de lei federal traçando os novos critérios para a criação de municípios pelas assembleias estaduais.

Por duas vezes, projetos semelhantes ao do senador Flexa Ribeiro foram aprovados pelo Congresso, no entanto, acabaram sendo vetados pela então presidente Dilma Rousseff. A roposta, PLS 98/02, foi apresentada pelo então senador Mozarildo Cavalcanti (PFL-RR) e aprovada no Senado e na Câmara, mas, em 2013, foi derrubada pelo veto.

No mesmo sentido de regulamentar o procedimento de criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios, o senador de Roraima apresentou novo projeto (PLS 104/14). Teve o mesmo trâmite que o anterior e acabou sendo vetado em 2014.

Para que não se repita o que aconteceu no passado, quando vários municípios foram criados apenas com intenção eleitoreira, o senador Flexa Ribeiro amarrou no projeto a exigência prévia do Estudo de Viabilidade Municipal (EVM). Esse estudo terá de abordar os aspectos de viabilidade econômico-financeira, político administrativa e socioambiental em relação ao município a ser criado e aos demais envolvidos.

Além da exigência do EVM, o projeto define como critério o número mínimo de habitantes da localidade a ser emancipada. Para as regiões Norte e Centro-Oeste, o limite mínimo será de 6 mil habitantes. Para o Nordeste, o número mínimo será de 12 mil; e para as regiões Sul e Sudeste, a exigência será de 20 mil habitantes.

“O projeto tem essa preocupação em assegurar a sustentabilidade financeira dos municípios. Existem localidades que estão nesta condição e que, o fato de se emanciparem, avançará com o processo de desenvolvimento regional”, defendeu o senador que esclarece ainda que “é falácia dizer que vai criar despesa nova. Não vai gerar um centavo de custo. Vai sair tudo das parcelas do FPM e FPE”, concluiu.

Por Val-André Mutran – Correspondente em Brasília.
Coluna

Coluna Direto de Brasília – Por Val-André Mutran

Uma coletânea do que os parlamentares paraenses produziram durante a semana em Brasília
Continua depois da publicidade

Corte Regional
Alertado por empresários do Oeste do Estado, na manhã da última terça-feira, 19, apreensivos com a notícia do fechamento das agências da Receita Federal de Itaituba, Novo Progresso e Oriximiná, o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) já oficiou o Secretário-Geral da Receita Federal, Jorge Antonio Deher Rachid, para uma audiência onde vai trabalhar para reverter a decisão.

Corte Nacional
A Coluna ouviu a opinião de pelo menos quatro deputados federais e um senador paraense. Todos foram unânimes: é um grande erro do governo federal. A decisão do Ministério da Fazenda determinou à Receita Federal um plano de redução de custos que engloba o fechamento de 58 agências da Classe “D” em todo o Brasil. A estrutura da Receita mantém unidades que variam de classes que vão de “A” a “D”, conforme seu potencial de demanda. A classificação mais alta implica em estrutura organizacional mais reforçada. O corte foi de “baixo para cima”.

Corte de Cima para Baixo
Entretanto, a decisão unilateral do Governo Federal que irritou os parlamentares paraenses, que sequer foram comunicados, foi considerada uma atitude equivocada. O senador Flexa Ribeiro foi taxativo: “As grandes distâncias entre os municípios do Pará e as condições precárias das estradas federais que ligam a região são fatores que dificultam o deslocamento para acessar outras unidades da Receita Federal na mesma região.”

Sensação de impunidade no “ar”
A ausência de fiscalização federal em Itaituba – que produz uma tonelada de ouro por mês – vai facilitar o contrabando e descaminho do metal mais precioso da Terra, alertou Flexa Ribeiro.  “Os sonegadores terão uma menor sensação de risco, podendo resultar numa arrecadação mais baixa de tributos, gerando um impacto negativo aos municípios, que passarão a contar com repasses menores”, explicou o contador Antônio Chagas, que tem um escritório de contabilidade em Itaituba.

Prestígio inabalado
Já está decidido, o vice-Governador do Pará, Zequinha Marinho, líder do PSC, recebeu as bençãos do pastores e do Presidente da Convenção Estadual da Assembléia de Deus no Estado do Pará (COMIEADEP), pastor Gilberto Marques, para a pré-candidatura ao Senado. Da mesma forma, após avaliação do partido e da mais poderosa denominação evangélica do Pará, a deputada federal Julia Marinho e o deputado Dr. Jaques Neves foram os ungidos.

Mantendo a palavra
No entanto, o apoio da COMIEADEP à sucessão do governador Simão Jatene será para o deputado estadual e pré-candidato Marcio Miranda (DEM-PA), mantendo o acordo firmado anteriormente com o chefe do executivo estadual. A parceria entre o governo Simão Jatene e a COMIEADEP no âmbito do convênio que viabiliza o apoio ao imprescindível trabalho do Hospital Galileu, destaque entre as centenas de obras sociais da Assembléia de Deus, falou mais alto. “É uma grande obra em favor dos menos favorecidos”, destacou Edilson Brandão, secretário-geral do PSC, cuja  legenda já fechou questão e apoiará Helder Barbalho (MDB) como futuro inquilino do Palácio dos Despachos.

Um paraense com lugar garantido na Galeria de notáveis do Parlamento 
Presidente da única Comissão Permanente do Parlamento brasileiro considerada de Estado e não de Governo. As impressionantes credenciais acadêmicas do deputado federal Nilson Pinto (PSDB-PA) são festejadas no andar de cima do Itamaraty, da chancelaria brasileira e da diplomacia internacional. Tudo por obra e graça da competência e brilhantismo, há décadas não vista, desde Fernando Henrique Cardoso, na condução dos trabalhos estratégicos da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN), sob o comando do parlamentar paraense.

Medida contra decisão de Trump
O presidente da CREDN nem precisou enviar a manifestação dos membros da Comissão ao governo americano, somando-se aos protestos da comunidade internacional que aumentaria os níveis da pressão contra o presidente estadunidense Donal Trump, na polêmica decisão de separar pais de filhos de levas imigrantes tentando ingressar ilegalmente nos Estados Unidos através da fronteira do México. Cinco famílias brasileiras foram presas pelas autoridades americanas nessa condição, mas o presidente americano revogou a medida.

Peça chave na água
O trabalho de altíssimo nível do deputado Nilson Pinto é, para quem não sabe, estratégico à frente da CREDN.  Ao lado do Itamaraty, da Defesa Nacional e como um dos representantes do Legislativo Federal, Nilson Pinto tem, dentre suas atribuições, contribuir para a finalização da construção do 1º Submarino Nuclear brasileiro.

No ar…
Também cabe a Nilson Pinto ser um dos protagonistas do esforço nacional para tornar o cargueiro bijato KC-390, da Embraer, o substituto  tecnológico mais adequado no mercado internacional do lendário Lockheed C-130 Hercules, que apesar da vida longa na categoria de avião de carga de médio porte, longe de gigantes como o Boeing C-17 ou o Airbus A400M Atlas, não atende mais as novas exigências do mundo moderno. Recém-lançado, o cargueiro bijato KC-390 da Embraer é muito mais moderno e o principal concorrente do Hércules – ainda que este esteja novamente se reinventado, com o modelo C-130J Super Hércules.

Asdrúbal convocado novamente
Recentemente desincompatibilizado da direção da maior Superintendência Nacional do Incra, a SR-27, o ex-deputado federal Asdrúbal Bentes foi novamente convocado pela direção do MDB paraense para concorrer ao cargo de Deputado Estadual. O advogado, ex-presidente do Paysandu, ex-prefeito de Salinópolis, e cinco vezes deputado federal, entregou, quando estava à frente da SR-27, nada menos que 1.500 títulos definitivos de terras que há 20 anos não eram concedidos no Pará. Asdrúbal disse à coluna que está pronto para o novo desafio.

MP 823
O deputado federal José Priante (MDB-PA) entregou ontem (21) relatório favorável à Medida Provisória 823, que visa destinar 190 milhões de Reais para prestar assistência humanitária aos 25 mil refugiados da Venezuela em Boa Vista (RR). Os venezuelanos já representam 7,5% dos moradores da capital de Roraima.

Beto Salame
Preocupado com a educação superior no Pará, o deputado federal Beto Salame (PP-PA) destinou, em emendas de bancada, R$2.843.000,00 para as Universidades no Estado do Pará localizadas em Cametá, Santarém e Paragominas, entre outros. Dentro desse pacote, no sul e sudeste paraense, Salame destinou R$400 mil para o Campus da UFRA em Parauapebas; R$400 para a Unifesspa em Marabá; e R$250 mil para a Unifesspa de Santana do Araguaia. As emendas são carimbadas para custeio e/ou aquisição de equipamentos.

Por Val-André Mutran – correspondente do Blog em Brasília

Pará

Flexa Ribeiro luta para reverter fechamento de agências da Receita Federal no Pará

Se a decisão da RF for mantida, as agências deverão fechar as portas já no início do próximo mês. A unidade de Itaituba encerrará as atividades no próximo dia 07 de julho.
Continua depois da publicidade

Brasília – O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) foi surpreendido na manhã desta terça-feira, 20, com a notícia do fechamento de várias agências da Receita Federal no Pará. Alertado por telefonemas ao longo do dia de empresários da região Oeste do Pará, o senador soube que somente na jurisdição da Delegacia da Receita Federal da Região de Santarém deverão ser fechadas as unidades de Itaituba, Novo Progresso e Oriximiná, numa decisão unilateral da Receita Federal, que não comunicou o fato a nenhum representante da Bancada Federal do Pará no Congresso Nacional.

O parlamentar disse, em comunicado no Plenário do Senado, que já oficiou o Secretário-Geral da Receita Federal, Jorge Antonio Deher Rachid, para uma audiência de urgência para esclarecer os motivos da decisão e seu alcance. À reportagem do blog, Ribeiro disse: “Não fomos comunicados dessa decisão de grande impacto do governo federal. Não tive sequer conhecimento da relação das agências que serão fechadas”, explicou. Num cenário pessimista nos rumos da economia nacional, o Pará será prejudicado com essa decisão. Se o alcance do fechamento das agências for generalizado, municípios de grande importância para a economia paraense podem alcançar outras regiões como o sul/sudeste do Pará e Nordeste paraense.

O senador explicou que sua prioridade agora é impedir o fechamento das agências da Receita no Pará. Segundo lacônico comunicado da Receita Federal, está previsto a paralisação completa dos trabalhos em pelo menos 58 agências de pequeno porte que o órgão mantém. A decisão faz parte de um plano de cortes no orçamento do órgão federal para adequação de despesas. Especula-se que o fato é um dos reflexos da “Greve Geral do Setor de Transportes”, quando caminhoneiros de todo o Brasil paralisaram o país reivindicando uma controversa pauta.

“Mostrarei ao Secretário Rachid que o Pará vai trazer perdas ao erário e também muito atropelo para aqueles que precisam de ter uma relação próxima com a Receita”, ressaltou o senador Flexa Ribeiro, que define o fechamento da agência como “um retrocesso para o desenvolvimento regional”.

Flexa ressaltou ainda que as grandes distâncias entre os municípios do Pará e as condições precárias das estradas federais que ligam a região são fatores que dificultam o deslocamento para acessar outras unidades da Receita Federal na mesma região. “A agência de Itaituba, por exemplo, atende a cinco municípios do Pará. Fechando esta agência, as pessoas que quiserem tratar de assuntos relacionados à Receita terão que se deslocar para Altamira, a uma distância de 400 km, ou para Santarém, distante 300 km de Itaituba”, acrescentou o senador, que defende seja feita “uma reavaliação em relação ao fechamento das agências no Pará”.

Atualmente, existem cerca de 120 escritórios de contabilidade em funcionamento nos cinco municípios atendidos pela agência de Itaituba. Um simples serviço de conclusão de CPF ou orientação tributária obrigará o contribuinte a se deslocar às outras unidades da Receita. A mais próxima, como foi dito pelo senador, é a de Santarém, a uma distância de 300 km.

“Com o fechamento da agência de Itaituba haverá ausência da presença fiscal, o que acarretará aos sonegadores uma menor sensação de risco, podendo resultar numa arrecadação mais baixa de tributos e gerando um impacto negativo aos municípios, que passarão a contar com repasses menores”, explicou o contador Antônio Chagas, que tem um escritório de contabilidade em Itaituba.

Por Val-André Mutran – Correspondente em Brasília

Pará

Flexa Ribeiro consegue que Luz para Todos continue levando energia ao meio rural

Atendendo a solicitação do senador, foi publicado no Diário Oficial da União de hoje (30), o Decreto Nº 9.357, da Presidência da República, que prorroga o Luz para Todos até 2022.
Continua depois da publicidade

Em defesa das mais de 175 mil famílias paraenses do meio rural que ainda não têm luz elétrica firme e de qualidade em seus lares, o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) vinha trabalhando junto ao Governo Federal para dar continuidade ao Luz para Todos. Com o prazo para acabar em dezembro deste ano, o programa não cumpriria a meta de universalização do acesso à energia elétrica.

Atendendo a solicitação do senador, foi publicado no Diário Oficial da União de hoje (30), o Decreto Nº 9.357, da Presidência da República, que prorroga o Luz para Todos até 2022.

No ofício, encaminhado em setembro de 2017, o senador Flexa Ribeiro chamava a atenção para o fato de programa não ter conseguido cumprir a meta de universalização. “É preciso que todos os brasileiros, em especial os paraenses, sejam atendidos pelo programa de universalização. O Pará, sendo um Estado que contribui com a geração de energia, levando para todo o Brasil, precisa receber uma atenção especial. Não podemos permitir que aqui ainda existam famílias vivendo praticamente no escuro”, defendeu o senador.

Em todo o Brasil, mais de 2 milhões de pessoas do meio rural ainda não foram atendidas pelo Luz para Todos. Pela sinalização do governo, o acesso gratuito à energia elétrica deverá ser levado, em caráter prioritário, às regiões Norte e Nordeste e às populações que vivem em áreas isoladas, como comunidades quilombolas e indígenas, assentamentos, ribeirinhos, pequenos agricultores e famílias em reservas extrativistas.

Foto: Pedro França

Jacundá

Saúde: Jacundá foi contemplado com R$2 milhões em recursos federais

Os recursos são oriundos de emendas parlamentares do Senador Flexa Ribeiro e do Deputado Federal Beto Salame
Continua depois da publicidade

O município de Jacundá, sudeste do Pará, foi contemplado com recursos que somam mais de R$ 2 milhões de reais, resultado de uma peregrinação do vereador de primeiro mandato Daniel Siqueira Neves, o Daniel dos Estudantes, que esteve em Brasília (DF) na semana passada em visita aos gabinetes do senador paraense Flexa Ribeiro, deputado federal Beto Salame e do diretor do Departamento de Atenção Básica da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, João Salame.

Com diversos requerimentos debaixo do braço, o parlamentar jacundaense teve atendido através de emenda do senador Flexa Ribeiro mais uma ambulância para o sistema de saúde pública de Jacundá e uma retroescavadeira, avaliados em mais de R$ 370 mil. “É sempre uma honra contribuir com a melhoria de qualidade de vida da população de Jacundá”, afirmou o senador ao anunciar a conquista por intermédio do vereador.

Com o ex-prefeito de Marabá, João Salame, atualmente diretor do Departamento de Atenção Básica da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, o parlamentar jacundaense teve atendidos mais reivindicações para a saúde. “Em primeiro lugar atualizamos o repasse do Programação Anual de Saúde – PAS – do município, que vai representar mais R$ 300 mil por ano, e também, junto à Presidência da República garantimos um repasse extra no valor R$ 260 mil reais para adquirir um veículo destinado ao transporte de pacientes que fazem hemodiálise. Essa é uma luta do vereador do Daniel que insistentemente tem cobrado”. João Salame informou ainda que aumentou o repasse de recursos destinado ao SAMU. “Antes eram R$ 17 mil. Agora são R$34 mil reais por mês, algo em torno de R$ 600 a mais por ano”.

Beto Salame tem acompanhado a situação do município de Jacundá. “Sinto-me alegre ao anunciar a entrega de uma retroescavadeira no dia 6 de abril. É uma conquista que irá contribuir com a melhoria das ruas e das estradas vicinais do município”. O deputado federal também anunciou que a saúde de Jacundá poderá ser contemplada com uma unidade móvel odontológica.

Ao avaliar a visita à Brasília, o vereador Daniel dos Estudantes, em primeiro lugar agradeceu a receptividade, e se diz emocionado com o resultado. “A população jacundanese enfrenta diversos problemas e, por isso, precisamos de toda ajuda, principalmente dos nossos parlamentares. Ainda tem mais e já foi colocada a proposta que está aprovada no valor de R$250.000 para uma miniestação de água para o Bairro Industrial”.

Por Antonio Barroso – de Jacundá

Ensino Superior

Unifesspa clama por R$ 9,5 milhões para concluir maior obra da educação do Pará

Obra está 73% concluída e caso os recursos sejam liberados ela poderá ser finalizada ainda este ano. Com área total de 13.603 m², o prédio vai contar com 64 salas
Continua depois da publicidade

A Unifesspa possui uma das maiores obras de construção civil em andamento no sul e sudeste do Pará, sendo considerada a mais importante para a educação em curso no Estado. Trata-se de um prédio de cinco pavimentos que terá capacidade para atender mais de 1.500 alunos de graduação e pós-graduação, além de contar com espaços administrativos e o centro de atendimento ao servidor.

Para garantir a continuidade e conclusão da obra, ainda este ano, o reitor da Unifesspa protocolou ofícios no Ministério da Educação solicitando a descentralização de recursos no valor de R$ 9,5 milhões. Na manhã desta quinta-feira (22), Maurílio Monteiro foi recebido pelo secretário adjunto de Educação Superior, Mauro Luiz Rabelo e pelo coordenador-geral de Planejamento e Orçamento das Instituições Federais de Ensino, Weber Gomes de Souza, no Ministério da Educação, ocasião em que apresentou também a necessidade de liberação de recursos para custeio da Unifesspa.

Nos documentos apresentados ao MEC, a Unifesspa solicita liberação de Termos de Execução Descentralizada (TEDs) no valor de R$ 3 milhões de orçamento de custeio, oriundo da ação Reestruturação e Expansão de Instituições Federais de Ensino Superior – Nacional, que concentra orçamento destinado às Instituições Federais de Ensino Superior. Os recursos de custeio solicitados são para o cumprimento de obrigações com despesas em contratos de serviço de vigilância, fornecimento de energia elétrica e contrato de serviços de limpeza e conservação da Unifesspa.

O dirigente da Unifesspa justifica a necessidade de descentralização de recursos pela drástica redução do orçamento ao longo dos últimos anos, mesmo período em que a Unifesspa registra aumentos significativos no número de estudantes e ampliação da área física, aspectos próprios de uma universidade recém-criada, em processo de consolidação.

“É notório que a regressão do orçamento de custeio entre 2015 e 2018 (-6,44%) tem agravado sobremaneira os impactos oriundos da ampliação do número de alunos e da área física, de 49,09% e 191,72%, respectivamente”, destaca o ofício 026/2018, da Unifesspa encaminhado ao MEC. Os gestores do Ministério receberam a demanda apresentada pela Unifesspa e comprometeram-se a analisar o pleito.

Apoio da bancada paraense

Os parlamentares que integram a bancada federal paraense também manifestaram apoio aos pleitos da Unifesspa. Numa articulação política encabeçada pelos senadores Paulo Rocha e Flexa Ribeiro, será entregue ao MEC um ofício da bancada federal manifestando pleno apoio ao pedido de liberação de recursos de investimento para a conclusão do prédio multiuso de cinco pavimentos da Cidade Universitária do Campus de Marabá, além de descentralização de custeio no valor de R$ 3 milhões para a Unifesspa.

No documento, os parlamentares destacam a importância da obra para o processo de implantação e consolidação da Universidade. “O atendimento ao pleito da Unifesspa reveste-se de suma importância, uma vez que a falta dos recursos solicitados ensejará completa paralisação da obra, trazendo sérias consequências ao processo de implantação da Universidade”, destacam os parlamentares em um trecho do ofício.

A obra está 73% concluída e caso os recursos sejam liberados ela poderá ser finalizada ainda este ano. Com área total de 13.603 m², o prédio vai contar com 64 salas, laboratórios de ensino e áreas de convivências para o funcionamento dos cursos de Agronomia, Ciências Econômicas, Saúde Coletiva, Ciências Biológicas, Psicologia, as Licenciaturas em Matemática, Física, Química e Ciências Naturais, cursos de Pós-Graduação em quatro áreas do conhecimento, abrigando também o Centro de Saúde do Servidor.