Disque Covid implantado por Parauapebas já atendeu mais de 1,2 mil ligações

O serviço foi criado para passar orientações à população sobre os sintomas da Covid-19 e cuidados para evitar a contaminação pelo novo Coronavírus
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Com o avanço do novo Coronavírus em Parauapebas, o serviço do Disque Covid, implantado pela Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), já recebeu entre os dias 20 de março e 27 de abril, 1.246 ligações telefônicas, 155 ligações via aplicativo do Whatsapp e mais 232 mensagens pelo aplicativo. Os números, divulgados pela Semsa, mostram que a população está cada dia mais preocupada com a Covid-19 e procurando informações sobre os sintomas da doença, que já fez 10 vítimas fatais no município.

Até o início da noite de ontem, quinta-feira, 30 de abril, Parauapebas estava com 133 casos positivos da doença, sendo um dos municípios paraenses mais afetados pela pandemia que assola o país e o mundo.

Segundo a Semsa, o Disque Covid tem ajudado a sociedade, mesmo em isolamento social, a ter todo o suporte necessário de informações para o enfrentamento à pandemia. ‘‘O Disque Covid é fundamental. Essa é uma doença nova, então a população tem muitas dúvidas. E aí que se fazem necessários esses telefones específicos para passar informações, e, ao mesmo tempo, evitar que a pessoa tenha que ir até uma unidade de saúde. Na dúvida, ligue. A informação é uma arma poderosa na prevenção’’, orienta o secretário de Saúde, Gilberto Laranjeiras.

O serviço funciona das 8h às 22 horas, sete dias por semana. Segundo Lívia Torres, coordenadora do Disque Covid,  as ligações são atendidas por profissionais da saúde com experiência e que acompanham as informações sobre o vírus.

Ela aconselha a quem tiver sentido sintomas ou dúvidas sobre os cuidados preventivos para a evitar a contaminação pelo novo Coronavírus, que ligue para os números do Disque Covid, (94) 99199-8790 e 99301-8235. A coordenadora destaca que as perguntas mais frequentes da população são para saber se os sintomas apresentados são da Covid-19 e onde são feitos os testes.

“Quanto ao questionamento sobre sintomas, é orientado que em caso de sintoma de gripal leve, sem confirmação de contato com caso confirmado ou suspeito de contágio por Coronavírus, a pessoa é orientada a ficar em casa por 14 dias. Caso a pessoa apresente sintomas mais graves, como cansaço que dificulte a fala, ou esse cansaço apareça ao fazer pequenas caminhadas dentro de casa, e ainda febre, unhas e lábios azulados, a orientação é para que a pessoa procure uma unidade de saúde mais próxima, usando máscara”, explica Lívia.

Ela observa que, na Unidade Básica de Saúde, a pessoa passará por avaliação. Se não precisar de internação, será devidamente medicada e ficará em isolamento domiciliar com acompanhamento da equipe de Saúde da Família e do setor de Vigilância em Saúde.

Sobre os testes, o governo municipal informa que estão sendo priorizados para fazer as pessoas classificadas com o quadro clínico grave. Ou seja, o município admite que sem testar todos os suspeitos, ainda que com sintomas leves, Parauapebas está com subnotificação da Covid-19, podendo os casos ser muito superior aos números oficias.