Política

Deputado Chamonzinho desmente comentário de suposto rompimento com o governador

O governador Helder Barbalho (MDB) cumpre nesta quarta-feira (3) o segundo dia de governo itinerante em Marabá, quando, na parte da tarde e à noite recebe em audiência 39 prefeitos e Câmaras Municipais das regiões sul e sudeste do Estado, em gabinete montado no espaço de salas multiuso do Centro de Convenções Carajás “Leonildo Borges Rocha”. Pela manhã, ele esteve em Parauapebas na Abertura da Ação Cidadania do Programa ParáPaz e concedeu entrevistas a órgãos de comunicação locais.

Ontem, segunda-feira (2), ao desembarcar na cidade, Helder começou a programação com visita à Escola Militar Rio Tocantins, onde os alunos comemoravam o aniversário do prefeito Sebastião Miranda Filho (PTB) – Tião Miranda. O governador fez seu primeiro grande teste de popularidade em Marabá e foi aprovado, a julgar pelo número de pessoas que paravam o governante estadual para tirar fotos com ele.

Em seguida, o governador inaugurou a nova agência do Banpará, na Folha 31 da Nova Marabá e, à noite, esteve no Centro de Convenções, quando uma quadrilha junina lhe fez a recepção. Helder arrancou aplausos ao juntar-se ao grupo folclórico e também dançar com os brincantes.

No auditório ocorreu a assinatura de um documento que repassa ao município de Marabá as terras em que está localizado o Bairro Liberdade, antes pertencentes ao Estado. Agora, caberá à prefeitura a regularização fundiária daquela área da cidade, que era um anseio de mais de 30 anos dos moradores. O documento foi entregue à presidente da Associação dos Moradores, Maria do Livramento Sá de Almeida – Lia da Liberdade, que havia décadas vinha encabeçando a luta pela liberação das terras.

Nesse momento teria acontecido um mal-estar envolvendo o deputado Wenderson Azevedo Chamon (MDB), que não teria sido chamado para discursar, tampouco teria sido citado nas falas, uma vez que foi ele o intermediador da ação ocorrida minutos antes, tendo sido convidado apenas para posar na foto oficial.

Na ocasião, Chamonzinho, como é mais conhecido o parlamentar, teria dito a pessoas mais próximas que estava propenso a deixar a base de apoio a Helder, por ter se sentido discriminado. Durante a manhã, chegou a ser veiculado nas redes sociais que o deputado, dono de um gigantesco complexo na área da comunicação no sudeste do Pará, com rádios, TVs, jornais e sites, havia proibido a divulgação de qualquer menção à estada do governo itinerante na região.

Ouvido pelo Blog no final da manhã de hoje, Chamonzinho desmentiu o que classificou como boato. “Não sei de onde saiu isso. Ainda hoje pela manhã nos falamos [ele e Helder] e só não fui para Parauapebas com o governador porque a comitiva já estava muito grande. Não há essa história de rompimento. Tudo não passa de boato”, reforçou.

Até o fechamento dessa matéria não havia menção ao governo itinerante nos veículos de comunicação de propriedade do deputado. Todavia, o governador Helder Barbalho entrou ao vivo no programa jornalístico da TV Correio, repetidora do SBT em Marabá do Grupo Correio, de Chamonzinho.

Por Eleutério Gomes – de Marabá     

Um comentário em “Deputado Chamonzinho desmente comentário de suposto rompimento com o governador

  1. George Hamilton Maranhão Alves Responder

    “Tá na cara” que Hélder Barbalho está com Tião Miranda e vice versa! Os “Chamons” não são mais tão úteis! E “Chamonzinho” pode “tirar o cavalo da chuva”, para um pretenso apoio do governador a uma pretensa candidatura a sucessão de Tião Miranda. Hélder Barbalho “sabe aonde pisa”!

Deixe seu comentário