Darci manda à Câmara projeto de lei que confirma Parauapebas na corrida por vacina

Capital do minério é um dos 1.703 municípios que estão correndo por fora para adquirir a tão aguardada vacina para imunizar sua gente. Assembleia de formação do consórcio é no dia 23.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O prefeito de Parauapebas está fazendo o que pode para acelerar a compra de doses de vacinas eficazes contra o coronavírus e imunizar os atuais cerca de 250 mil habitantes da Capital do Minério, mas estimados em apenas 219 mil pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ontem, quinta-feira (11), Darci Lermen encaminhou à Câmara de Vereadores um projeto de lei em que confirma o protocolo de intenções firmado entre os municípios para comprar vacinas e insumos úteis ao enfrentamento da pandemia de Covid-19.

As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que examinou o inteiro teor do PL 27/2021, que ratifica a participação de Parauapebas no consórcio público, que tem apoio da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e interesse de, pelo menos, 1.703 municípios onde atualmente vivem 125 milhões de brasileiros.

Em mensagem encaminhada à Câmara, o prefeito justifica que o consórcio não interfere na autonomia dos municípios, e sim fortalece o poder local, à medida que se consagra em imagem robusta nas relações internacionais fundamentais para as negociações de vacinas, sobretudo em tempos de pandemia. Os recursos para aquisição dos insumos, lembra o prefeito, poderão ser próprios, de verbas federais, de emendas parlamentares e de doações por fontes externas.

“Cabe destacar que se trata de uma iniciativa de vulto e inédita no país”, frisa Darci, adicionando que a ação “se apresenta como possibilidade para colaborar no enfrentamento a um problema iminente que é de todos, a escassez de vacinas para imunização em massa da população e, no médio e longo prazos, de outros insumos”.

Darci assinou na última quarta-feira (10) a manifestação de interesse de adesão ao consórcio público e um de seus compromissos foi submeter o protocolo de intenções à Câmara a referendo. Agora, o legislativo municipal precisa ratificar o ato. A assembleia-geral de constituição do consórcio vai acontecer no próximo dia 23, às 15 horas. Parauapebas terá direito a, ao menos, oito votos — um voto a cada 25 mil habitantes que possuir.