Conselho de Ética do Senado vota amanhã pedido de cassação de Demóstenes Torres

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A última semana de junho promete ser agitada em Brasília. Logo na segunda-feira, o Conselho de Ética do Senado se reúne para votar o pedido cassação de Demóstenes Torres. E os integrantes da CPI do Cachoeira ouvem novas testemunhas.

A presença de Demóstenes Torres na sessão que poderá pedir a cassação do mandato, ainda é incerta. O assunto será discutido durante esse fim de semana, com equipe de advogados do senador. O voto do Conselho de Ética, pela cassação, será aberto. E maioria dos 18 parlamentares com direito a voto não quer se comprometer em ano eleitoral. Por isso, e pelas provas, o conselho deve votar a favor do relatório, que vai pedir a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar. Se for aprovado, o processo segue para a Comissão de Constituição e Justiça do Senado, e depois para o plenário, onde a votação será secreta.

Demóstenes Torres é suspeito de ter usado o mandato para ajudar o bicheiro Carlinhos Cachoeira, que está preso desde fevereiro, acusado de comandar uma quadrilha de jogo ilegal que atuava em Goiás. O senador confirma ser amigo de Cachoeira, mas nega as acusações de irregularidades.

O relator da CPI do Cachoeira, Odair Cunha, tem reclamado que os trabalhos da comissão estão sendo prejudicados. Bancos e empresas de telefonia pediram prazos de 30 a 90 dias para enviar informações à construtora Delta. As quebras de sigilo fiscal e telefônico foram pedidos há mais de um mês. Investigações da Polícia Federal apontam que a Delta abasteceu empresas de fachada ligadas a Cachoeira.