Carajás o Jornal: Edição 297

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Leia no www.carajasojornal.com.br

Carajás - O jornal- Clique na logo para acessar o jornal

  • DMTT realiza campanha de conscientização sobre o bafômetro e faz primeiro flagrante no teste

A campanha educativa é para alertar os motoristas sobre os riscos de dirigir embriagado e o uso do bafômetroO Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT) iniciou na última sexta-feira (21) uma campanha denominada Lei álcool zero – Um gole a mais, uma vida a menos.

A campanha, que foi desenvolvida em parceria com o Núcleo de Educação para o Trânsito, foi realizada no bairro Cidade Nova e tem como principal objetivo mostrar para a população como funciona o bafômetro, equipamento usado para medir a taxa de álcool no sangue de condutores de veículos. De acordo com Cleiton dos Santos, do Núcleo de Educação para o Trânsito, a campanha tem cunho educativo, mas também comporta a fiscalização rigorosa aos motoristas que ingerem bebida alcoólica e dirigem ao mesmo tempo. “O que nós queremos é que a população conheça o bafômetro e saiba que aqui na cidade de Parauapebas já existe o equipamento, para que os motoristas não cometam o erro de beber e dirigir e saibam quais são os procedimentos que serão cabíveis aos agentes de trânsito, ao pegarem algum motorista alcoolizado”, informou Cleiton.

Para quem não conhece como funciona o bafômetro, a agente Selma, do DMTT, explica. “De 0,1 a 0,2 miligramas de ar expelido pelos pulmões, gera uma multa de R$ 957, 70 mais a suspensão do direito de dirigir por um ano. Acima de 0,3 de ar expelido pelos pulmões gera a mesma multa, suspensão ou a proibição de se obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), mais a detenção de seis meses a três anos”, disse a agente.

Para o diretor do DMTT, Francisco Xavier Falcão, a campanha educativa sobre o bafômetro ajudou bastante para que a população entendesse como o equipamento funciona. “Nós vamos estar acompanhados da polícia nas operações e para as pessoas que se recusarem a fazer o teste, o agente poderá lavrar o auto, colocando em seu relatório que o condutor apresenta sintomas de embriaguez e este motorista será encaminhado para a delegacia. Neste caso, o condutor que se recusa irá pagar a multa de 957,70 e também terá sua carteira apreendida”, informou Falcão.

Ainda de acordo com o diretor do DMTT, as blitzes com o uso do bafômetro já iniciaram e pelo menos uma pessoa foi autuada no município de Parauapebas. O equipamento continuará sendo utilizado durante a semana e principalmente, nos fins de semana, autuando os motoristas que desrespeitam as leis, quando dirigem embriagado.
Primeiro motorista é flagrado pelo teste – Na noite de sábado (22) a Polícia Militar conduziu até o Departamento Municipal de Trânsito e Transportes (DMTT), o motorista Jackson Pinto da Silva, de 24 anos, para que ele fosse submetido ao exame do bafômetro. Segundo informações dos policiais cabo Nunes, M.Silva e A.Silva, Jackson estaria bloqueando a passagem de outros veículos com o seu carro, que estava parado na rua 24 de março.

A polícia solicitou ao motorista que ele retirasse o veículo, para que os outros condutores pudessem, mas ele desacatou os policiais com palavras de baixo calão.
Feito o exame do bafômetro, foi contatado que Jackson excedeu o limite de álcool por litro de sangue, que é de 0,2 miligramas. O resultado do exame comprovou que ele estava com 0,50 miligramas de álcool a cada litro de sangue.
O infrator teve a carteira recolhida e teve que pagar multa de R$ 957,00, além de uma fiança de aproximadamente R$ 600,00.

  • AOP faz manifestação em prol da construção de um pólo comercial

    Segundo os organizadores, a manifestação reuniu cerca de 300 veículosA Associação das Oficinas de Manutenção Mecânica e Lojas de Auto Peças de Parauapebas e Região (AOP) fez uma grande manifestação, ontem (24) de manhã, pelas ruas da cidade para chamar atenção da sociedade, da prefeitura e da Câmara de Vereadores para instalação de um pólo comercial de autopeças e serviços que venha de encontro ao desenvolvimento do município.

    De acordo com Augusto Farias, presidente da AOP, a criação deste Distrito Industrial, que precisa de uma área pública de no mínimo 400 mil metros quadrados, uma vez que instalado o Setor de Abastecimento, serão construídas 430 lojas, cada uma com estacionamento próprio, praças de alimentação, farmácias, agências bancárias, postos de combustíveis, concessionárias, instituição de ensino superior e cursos profissionalizantes, que trarão melhor qualidade de vida para a população, será de extrema importância para o município. “Nosso projeto vai gerar 5 mil empregos e prevê a instalação de uma universidade. Nossa ideia é concentrar todas as oficinas, lojas de autopeças, revendas de veículos, concessionárias em um só local”, explica.

    De acordo com ele, a manifestação foi para chamar a atenção das autoridades para viabilizar a o projeto. “O prefeito garantiu que até o fim do ano faria a doação do terreno, mas até agora está tudo parado. Por isso, fizemos a manifestação para mostrar o tamanho e a força da associação, que existe há 6 meses e tem 180 empresas cadastradas”.
    Segundo Ermerson Carneiro, diretor da AOP, esse Pólo Comercial trará benefício, inclusive para o Meio Ambiente. “Com tudo concentrado lá, não haverá sujeiras nas calçadas, nem óleo nas ruas. O óleo e a graxa vão ser recolhidos de forma ecologicamente correta, além disso, vamos desafogar o trânsito, pois o centro da cidade vai ficar livre”, afirma.
    Arnaldo, da São Paulo Turbinas, diz que o Distrito Industrial vai resolver problemas dos comerciantes do segmento, que às vezes perde serviço por falta de espaço físico para colocar os veículos. “Com as lojas aqui na cidade, a gente perde serviços porque não tem espaço físico para usar como estacionamento dos carros dos clientes. Se usar os canteiros, a gente é multado. Precisamos urgente deste espaço e deste Pólo Comercial”.

    De acordo com um dos organizadores da manifestação, Fabiano, da Fabiano Acessórios, 300 veículos participaram do movimento em prol da instalação deste projeto. “Conseguimos juntar muita gente que acredita neste projeto, que prevê ainda utilização de energia solar e poços artesianos e vai ser um pólo auto-sustentável. Para isso, precisamos da doação do terreno da prefeitura e da Câmara de Vereadores para viabilizar as políticas públicas para este segmento”.

Publicidade