Candidata de Castanhal é a vencedora do Miss Pará 2011

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Miss Pará 2011Ana Paula Padilha, 18 anos, representante de Castanhal, é a Miss Pará 2011. Ela superou as suas 24 concorrentes, sagrando-se a vencedora do concurso, realizado na noite de ontem, na Assembleia Paraense. A segunda colocada foi Kelly Moraes, 21, miss Bragança, e a miss Marabá, Priscila Diniz Fraga, 20, a terceira.

Classificaram-se para a etapa final, além das três primeiras colocadas, as representantes de Belém, Mosqueiro, Santarém, Santa Izabel do Pará, Portel, Capanema, Icoaraci, São Caetano de Odivelas e Cametá. O evento teve a participação da Miss Brasil 2010, a mineira Débora Lyra, e do diretor geral do Grupo RBA, Camilo Centeno. A 60ª edição do Miss Pará foi exibida ao vivo pela TV RBA.

Ana Paula Padilha ganhou um carro 0 km, um contrato publicitário exclusivo e o direito de representar o Estado no Miss Brasil 2011, previsto para 16 de julho, em São Paulo, além de receber uma coroa cravejada de cristais swarovski, desenhada pelo estilista Mauro Antônio Ferreira, avaliada em R$ 10 mil.
“É emoção demais, cada sacrifício valeu a pena. Quero agradecer a Deus, aos meus pais, que me ajudaram e me apoiaram. Todas essas mulheres são lindas. Isso aqui não tem preço”, vibrou Ana Paula Padilha.

OS DESFILES

A miss Abaetetuba, Juliana Matos, de 19 anos, foi a primeira a pisar na passarela, abrindo o desfile das 25 candidatas, que foi embalado pelo ritmo do lundu do grupo parafolclórico “Frutos do Pará”. No primeiro desfile, elas usaram trajes típicos, produzidos a partir de materiais regionais como juta, folhas e sementes, inspirados na ilha de Marajó.

Em seguida, as misses desfilaram em trajes de banho, para avaliação da beleza plástica, usando maiô preto modelagem catalina – mesmo modelo usado na década de 60, adaptado pela grife paraense Água Brasil, com acessórios da loja Senhorita. O último desfile foi em traje de gala.

Os maiôs foram adotados, ao invés de biquínis, “para não vulgarizar o concurso. A mesma lógica se aplica na decisão de encerrar a premiação com o vestido de gala. Ser miss não tem a ver apenas com beleza ou corpo perfeito. Exige postura. Foi isso que quisemos ressaltar este ano”, afirmou Herculano Silva, coordenador da etapa paraense do concurso.

Ao final do desfile, as 25 misses exibiram, lado a lado, os vestidos de festa no palco, para avaliação do público e dos jurados composto por nomes conhecidos do cenário local de moda e beleza, como Lastênia Menezes, Walda Marques, Sheila Calandrini, Júnior Fiel, Carlessa Macedo e a presidente do júri, a consultora do Miss Brasil, Nádia Michelin. (Diário do Pará)

Relacionados