Canaã pretende usar R$ 1,5 milhão da educação em serviços gráficos

Custo da licitação é o triplo do investimento previsto com a educação de jovens e adultos em um município onde em pleno século 21 ainda existem 1.200 analfabetos, de acordo com TSE.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Haja dinheiro: R$ 170,5 mil para dois tipos de lonas com impressão digital, R$ 144 mil para dois tipos de toldo, milhares de reais com banners, adesivos, outdoors, faixas, cartazes, entre outros artigos, que, no entendimento da Secretaria Municipal de Educação de Canaã dos Carajás, vão melhorar a qualidade do atendimento e contribuir com a efetivação dos trabalhos realizados pelos educadores da rede pública de ensino.

É assim, com a ideia de usar até R$ 1.507.320,10 na contratação de empresa para fornecimento de serviços gráficos, via registro de preços, que o governo de Jeová Andrade pretende melhorar os indicadores de ensino, que ainda não estão entre os melhores do Pará. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que observou a licitação disponível no mural do Tribunal de Contas dos Municípios e que pode ser consultada na íntegra aqui.

A finalização do processo ficou de acontecer ontem, quarta-feira (19), e os recursos para custeio do serviço sairão do caixa do Fundo Municipal de Educação (FME), que, conforme apurou o Blog, terá R$ 50 milhões para gastar este ano, pela previsão constante da Lei Orçamentária Anual (LOA).

O Blog comparou o custo da licitação com serviços gráficos com a despesa para manutenção da educação de jovens e adultos, esta a qual também se vale de recursos do FME em Canaã. A conclusão é de que o pacote do registro de preços é praticamente o triplo dos R$ 510,3 mil previstos para o custeio dessa modalidade de ensino. E detalhe: de acordo com dados de janeiro deste ano do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o município de Canaã dos Carajás tem hoje cerca de 1.200 jovens e adultos que não leem nem assinam o próprio nome em pleno século 21.

Publicidade