Briga entre facções criminosas ceifa a vida de mais um jovem em Parauapebas

A princípio, a suspeita era de que a motivação do crime havia sido desavenças por causa de namorada, mas, as investigações apontaram a causa real do assassinato
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil em Parauapebas, por meio do Departamento de Homicídios da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, prendeu, no início da noite desta segunda-feira (30), Frank Rafael Vaz Santos, 21 anos, mais conhecido com Rafinha, um dos suspeitos de participar do assassinato do jovem Deivid Dias Luz, 18. O rapaz foi assassinado a socos e pauladas na noite de ontem, domingo (29) quando chegava em casa, no Bairro Liberdade.

Por volta de 23h30, de ontem, a equipe de plantonista da 20ª Seccional, sob o comando do delegado Dufrae Abade Paiva, foi comunicada acerca de um crime de homicídio ocorrido no Bairro Liberdade.

Chegando ao local, os policiais souberam que um jovem havia sido atingido na cabeça com socos e duas pauladas, enquanto conversava com duas garotas em um bar. O rapaz era David Dias Luz Silva, cujo pai, Ronildo Luz da Silva, foi acordado com a notícia da agressão ao rapaz e ainda chegou ao levá-lo ao Hospital Municipal, mas David morreu antes de chegar à casa de saúde pública.    

Ronildo contou que o filho teria sido vítima de desavenças por causa de namoradas e disse que Deivid o rapaz trabalhava em uma autoelétrica, lamentando a covardia que matou o jovem.

A Polícia Civil começou as investigações ouvindo pessoas que estavam no local na hora do crime e requisitando imagens de câmeras de monitoramento de casas e comércios das proximidades.      

As diligências continuaram durante o dia e a equipe dirigida pelo delegado Felipe Freitas, da Homicídios, se juntou aos policiais que iniciaram a investigação.

Segundo revelaram as investigações que levaram à prisão de Rafinha, o assassinato de Deivid tem relação com a disputa entre facções criminosas que atuam em Parauapebas. As diligências continuam para tentar prender os outros dois rapazes que mataram o jovem de 18 anos.

(Caetano Silva)

Publicidade