Breves lidera ranking nacional entre as cidades mais competitivas no quesito meio ambiente

Bragança e Itaituba também lideram, segundo pesquisa nacional da CLP
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
No ranking anual da CLP, Breves, no Pará, foi eleita a melhor cidade do Brasil no quesito Meio Ambiente

Continua depois da publicidade

Brasília – O Centro de Liderança Pública (CLP) apresentou nessa semana o Ranking de Competitividade dos Municípios. Em 202, Barueri, com 279,7 mil habitantes e localizada na região metropolitana de São Paulo obteve a primeira colocação geral. Três municípios do Pará lideram o ranking de competitividade ambiental no país. São eles: Breves, na Ilha do Marajó, em 1º lugar; em 3.° lugar Bragança (PA), na Região do Salgado; e na 5.ª colocação Itaituba (PA), no Sudoeste do Estado.

Vista aérea de Bragança

Segundo o levantamento, as cidades do Sul e do Sudeste estão entre as que mais conseguem dar prioridade a políticas públicas voltadas para o bem-estar da sociedade, mostra o estudo do Centro (confira aqui).

A liderança se deve ao grande destaque e melhoria relativa na dimensão “economia”, critério em que passou da segunda posição, no ranking do ano passado, para a primeira neste ano. A cidade também ganhou 22 posições na dimensão “instituições” (agora está na 14.ª) e sete na dimensão “sociedade” (ocupa o 16.° posto).

Vista aérea de Itaituba

As outras quatro cidades que complementam o top 5 do ranking também são do Sul e do Sudeste: São Caetano do Sul (SP), Florianópolis, São Paulo e Vitória.

O ranking analisa os 411 municípios com população superior a 80 mil habitantes, de acordo com a estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2020. Eles correspondem a 59,75% da população brasileira.

Os municípios que mais avançaram no ranking em relação a 2020 foram Macaé (RJ), atualmente na 133.ª posição (subiu 131 posições de um ano para outro); Ji-Paraná (RO), na 196.ª colocação (+86); Ourinhos (SP), hoje 84.° (+64); Araucária (PR), em 104.º lugar (+60) e Mairiporã (SP), no 210.° posto (+59). Segundo o CLP, essas cidades têm um ponto em comum no avanço: a melhoria no pilar “capital humano”, que é parte da dimensão econômica do levantamento.

Tempo para abrir empresas e alimentação das crianças estão entre os desafios

Fatores históricos ajudam a explicar a liderança de municípios do Sul e do Sudeste. “Mas isso não pode servir de muleta às gestões municipais”, destaca Lucas Cepeda, analista do CLP. Há exemplos positivos em todas as regiões: Sobral, no interior do Ceará, é a líder na qualidade na educação. E Breves, no Pará, em meio ambiente.Mas há muito a avançar ainda, diz Cepeda. Desafios comuns a quase todas as cidades são o tempo para abrir empresas e os cuidados com a alimentação das crianças.O CLP constatou que em pelo menos 85% das cidades são necessários mais de dois dias para conseguir a abertura de uma empresa.Em quase um terço das cidades analisadas, mais de 3% das crianças estão desnutridas e em um décimo dos municípios, mais de 10% delas estão obesas. “São lugares em que as crianças ou não estão sendo bem alimentadas ou estão comendo mal”, afirma o analista do Centro.No Nordeste, assim como no Rio de Janeiro, um dos principais desafios é melhorar a situação da segurança pública. Outro ponto em que essa região também precisa avançar, junto com o Norte e cidades do Sudeste, é na questão do saneamento.A questão fiscal não é um ponto de preocupação, aponta Cepeda. Segundo ele, grande parte dos municípios está em boas condições financeiras, principalmente após o repasse de recursos federais com a pandemia da Covid-19. “É preciso olhar para políticas públicas mais assertivas”, diz o analista.

Os municípios mais competitivos do Brasil

Confira a seguir o ranking dos municípios mais competitivos do país, com os 20 primeiros colocados na lista geral e os cinco primeiros colocados nas três dimensões e 13 pilares:

RANKING GERAL – 20 primeiros colocados
1.° Barueri (SP)

2.° São Caetano do Sul (SP)

3.° Florianópolis (SC)

4.° São Paulo (SP)

5.° Vitória (ES)

6.° Curitiba (PR)

7.° Santana do Parnaíba (SP)

8.° Porto Alegre (RS)

9.° Campinas (SP)

10.° Jaraguá do Sul (SC)

11.° Santos (SP)

12.° Jundiaí (SP)

13.° Vinhedo (SP)

14.° São Bernardo do Campo (SP)

15.° São Carlos (SP)

16.° Belo Horizonte (MG)

17.° Maringá (PR)

18.° Blumenau (SC)

19.° Votuporanga (SP)

20.° Ribeirão Preto (SP)

DIMENSÃO: Instituições
1.° Santana do Parnaíba (SP)

2.° Balneário Camboriú (SC)

3.° São Paulo (SP)

4.° Praia Grande (SP)

5.° Curitiba (PR)

PILAR: Sustentabilidade fiscal
1.° Santana do Parnaíba (SP)

2.° Barueri (SP)

3.° Balneário Camboriú (SC)

4.° São José do Rio Preto (SP)

5.° Maricá (RJ)

PILAR: Funcionamento da máquina pública
1.° Londrina (PR)

2.° Curitiba (PR)

3.° Francisco Beltrão (PR)

4.° Blumenau (SC)

5.° Juiz de Fora (MG)

DIMENSÃO: Sociedade
1.° São Caetano do Sul (SP)

2.° Vinhedo (SP)

3.° Votuporanga (SP)

4.° Jundiaí (SP)

5.° Catanduva (SP)

PILAR: Acesso à saúde

1.° Toledo (PR)

2.° Joinville (SC)

3.° Votuporanga (SP)

4.° Belo Horizonte (MG)

5.° Sorriso (MT)

PILAR: Qualidade da saúde
1.° Florianópolis (SC)

2.° Assis (SP)

3.° Jaraguá do Sul (SC)

4.° São Caetano do Sul (SP)

5.° Erechim (RS)

PILAR: Acesso à educação
1.° Vinhedo (SP)

2.° Barretos (SP)

3.° Votuporanga (SP)

4.° São Caetano do Sul (SP)

5.° Catanduva (SP)

PILAR: Qualidade da educação
1.° Sobral (CE)

2.° São Caetano do Sul (SP)

3.° Itatiba (SP)

4.° Sertãozinho (SP)

5.° Votuporanga (SP)

PILAR: Segurança
1.° Vinhedo (SP)

2.° Várzea Paulista (SP)

3.° Jandira (SP)

4.° São Caetano do Sul (SP)

5.° Poá (SP)

PILAR: Saneamento
1.° Santos (SP)

2.° Assis (SP)

3.° Balneário Camboriú (SC)

4.° Franca (SP)

5.° Campo Mourão (PR)

PILAR: Meio ambiente
1.° Breves (PA)

2.° Coari (AM)

3.° Bragança (PA)

4.° Ubatuba (SP)

5.° Itaituba (PA)

DIMENSÃO: Economia
1.° Barueri (SP)

2.° Florianópolis (SC)

3.° Vitória (ES)

4.° São Paulo (SP)

5.° Porto Alegre (RS)

PILAR: Inserção econômica
1.° Nova Lima (MG)

2.° Barueri (SP)

3.° São Caetano do Sul (SP)

4.° São José (SC)

5.° Paulínia (SP)

PILAR: Inovação e dinamismo econômico
1.° Barueri (SP)

2.° São Paulo (SP)

3.° Florianópolis (SC)

4.° Porto Alegre (RS)

5.° Osasco (SP)

PILAR: Capital humano
1.° Vitória (ES)

2.° Recife (PE)

3.° Florianópolis (SC)

4.° Seropédica (RJ)

5.° São Cristóvão (SE)

PILAR: Telecomunicações
1.° Franca (SP)

2.° Sinop (MT)

3.° Poços de Caldas (MG)

4.° Vinhedo (SP)

5.° Chapecó (SC)

Os municípios mais sustentáveis do Brasil

Ranking Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)
1° São Caetano do Sul (SP)

2° São Paulo (SP)

3° Barueri (SP)

4° Santos (SP)

5° Jaraguá do Sul (SC)

Ranking Ambiental, Social e Governança (ESG, na sigla em inglês)
1° São Caetano do Sul (SP)

2° Santos (SP)

3° Barueri (SP)

4° Curitiba (PR)

5° Vinhedo (SP)

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília.

Tags: #Economia # Políticas Públicas #CLP #Municípios #Cidades #Brasil