Marabá

Bispo de Marabá emite nota de solidariedade às vítimas de Brumadinho

“Sabemos que este rompimento da barragem é um crime contra as pessoas e contra a natureza. Foi uma tragédia que clama justiça, paz e amor”.  A declaração é do bispo de Marabá, dom Vital Corbellini, ao manifestar solidariedade às famílias que perderam os entes queridos na cidade mineira de Brumadinho ou que ainda estão em busca de notícias daqueles ainda não encontrados.

Sensibilizado diante de tanta dor, Dom Corbellini pede às famílias que não percam a fé. “Sabemos que o trabalho de resgate está sendo feito para ainda salvar vidas ou identificar as pessoas que perderam as suas vidas e que estão no meio da lama. Estamos unidos a todos vocês para que o Senhor vos dê muita força na caminhada de fé, de esperança e de caridade”.

O bispo de Marabá diz que as vítimas serão lembradas nas celebrações eucarísticas e apela para que o dinheiro não seja mais valorizado que a vida humana e o meio ambiente: “É preciso o trabalho de segurança, de incentivo, pois a vida deve estar acima do capital; (que) a pessoa humana seja amada, valorizada como pessoa querida por Deus e, é claro, que a natureza possa ser respeitada, bem como os povos que vivem na floresta, como são os povos indígenas, de modo que as suas águas não sejam contaminadas e a vida prossegue corretamente. O Senhor nos mantenha unidos”.

Aos moradores de Marabá e demais municípios da região que se deslocaram ou pretendem viajar para Brumadinho, dom Corbellini espera que “tudo ocorra bem em suas viagens”, assim como espera que as autoridades brasileiras “possam fiscalizar as barragens das nossas cidades porque por aqui existem algumas dessas barragens. É melhor prevenir do que remediar”.

Nota de solidariedade

Por Dom Vital Corbellini – Bispo de Marabá – PA

Como pessoas que acreditam em Jesus Cristo, no Deus Uno e Trino, numa ecologia integral, e como Diocese de Marabá, PA, queremos nos unir ao povo sofredor por mais um crime ambiental pelo rompimento da barragem em Brumadinho, MG, a todas as famílias, comunidades, e à Arquidiocese de Belo Horizonte na pessoa de Dom Valmor, bispos auxiliares e a todo o povo de Deus.

Nós também temos em nossa Diocese algumas destas barragens de objetos de minérios e esperamos que se dê a devida segurança porque a Vale trabalha com minérios nesta região. Estamos unidos ao povo sofredor de Brumadinho. Pedimos que se dê valor às pessoas humanas diante da ganância do capital, do dinheiro; que se faça justiça, para que a vida seja mais valorizada e toda a natureza que sofre agora com mais lamas nos rios, nas estradas, nas plantações porque as destruições pela a passagem da lama da barragem foram muitas.

Nas celebrações eucarísticas, lembraremos das vítimas e de toda a situação que foi criada pelo rompimento desta barragem. A esperança é de dias melhores para que o ser humano ame mais a vida, a natureza e assim glorifiquemos o Deus Uno e Trino. Façamos sempre a sua vontade. Amemo-nos uns aos outros assim como o Senhor Jesus nos amou (Cfr. Jo 15,12).

Deixe seu comentário