Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Assessor parlamentar é alvo de campanha caluniosa em Canaã

Joel Rocha foi acusado de tentativa de estupro e as fake news viralizaram nas redes sociais. Os autores, no entanto, já foram identificados e denunciados à polícia

Por pouco, Joel Pereira da Rocha, 38 anos, não viu sua reputação escorrer pelo ralo. Desde a noite de domingo (9), o nome e uma foto do assessor parlamentar estão circulando nas redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas, acusado de duas tentativas estupro no Bairro Santa Vitória, onde ele é presidente da Associação de Moradores. As vítimas seriam duas meninas da mesma localidade. “Este homem tentou estuprar duas crianças no Bairro Santa Vitória em Canaã dos Carajás”, dizia o texto.

A mensagem difamatória começou a ser compartilhada em diversos grupos e rapidamente viralizou por se tratar de um homem bastante conhecido na cidade, principalmente no meio político. O mesmo texto dizia que “Caveira”, como é conhecido, já responde a outros cinco processos pelo mesmo crime.

Ao tomar conhecimento da situação, Joel se manifestou e negou as acusações e disse estar sendo alvo de perseguição política. “Fiz uma escolha partidária para estas eleições e estão me perseguindo por conta disso. Me falaram que tem uma casinha montada pra mim, lá no motocross, para me colocar na cadeia e me destruir na política. Essas pessoas, no entanto, precisam saber que eu não quero ser vereador em 2020. Peço ajuda para identificar quem fez isso; alguém foi pago para me difamar usando essas crianças. Tem gente grande por trás disso”, se defendeu.

Veja também:  Sete são condenados a quase 50 anos por mega-assalto à Prosegur em Marabá

Posteriormente, “Caveira” disse que já sabe de onde partiram os ataques e seus autores já estão identificados. O caso será levado à Justiça e os acusados deverão ser indiciados por calúnia e difamação. Ele disse ainda que a polícia pediu sigilo nos nomes para não atrapalhar nas investigações. “Nós já sabemos de onde partiu esse boato, mas a polícia ainda não quer que divulgue nada”, afirmou.

Seja o primeiro a escrever um comentário

Deixe uma resposta