Arthur Lira é eleito novo presidente da Câmara dos Deputados

O candidato obteve uma vitória esmagadora com 302 votos, encerrando o pleito em primeiro turno
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Arthur Lira massacra adversários e vence eleição para presidência da Câmara no primeiro turno

Continua depois da publicidade

Brasília – O deputado Arthur Lira (PP-AL) acaba de ser eleito o novo presidente da Câmara dos Deputados, obtendo 302 votos e liquidando a disputa em primeiro turno. A apuração dos demais cargos que comporão a Mesa prossegue. Lira agradeceu aos colegas a confiança e pediu um minuto de silêncio aos mais de 220 mil brasileiros que tiveram a vida ceifada pela pandemia do novo coronavírus.

Em seu discurso, Lira disse que: “O presidente da Câmara não tem um trono e sim compartilha com os demais deputados as decisões importantes que devem pautar os trabalhos da Casa”. O novo presidente quer atuar com harmonia e independência.

O Palácio do Planalto não poupou esforços para eleger os seus candidatos. Mais cedo, o senador mineiro Rodrigo Pacheco (DEM-MG) venceu a disputa pela presidência do Senado; ele também foi apoiado pelo presidente Bolsonaro. O resultado muda o eixo de poder para a disputa de 2022. Após quatro anos e sete meses à frente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) sofreu uma derrota política ao não conseguir eleger Baleia Rossi (MDB-SP) como sucessor e ver o DEM, seu partido, se reaproximar do presidente. Baleia obteve 145 votos.

O candidato Alexandre Frota (PSDB-SP) renunciou na última hora à candidatura lançada de forma avulsa e anunciou voto em Baleia. A deputada Luiza Erundina (PSOL-SP) obteve 16 votos. Fábio Ramalho (MDB-MG) teve 21 votos; Marcel van Hattem (Novo-RS) conseguiu 13 votos; o deputado André Janones (Avante-MG) contabilizou três votos, Kim Kataguiri (DEM-SP) dois votos e o General Peternelli (PSL-SP) obteve apenas um voto, com dois votos em branco.

No plenário,  os candidatos pregaram a união e a harmonia. Horas antes, Maia e Lira haviam discutido aos gritos em uma reunião de líderes. O estopim do bate boca foi o fato de o PT ter alegado problemas técnicos para registrar apoio ao bloco de Baleia no sistema da Câmara, o que fez o partido perder o prazo de inscrição, que se encerrava ao meio-dia.

Ao assumir a presidência, em seu primeiro ato, Arthur Lira cancelou os blocos de apoio à Baleia Rossi, suspendendo, por consequência, os resultados dos demais cargos da Mesa – o que só deve acontecer na terça-feira (2). Lira citou a intempestividade do registro dos blocos de apoio ao candidato Baleia Rossi, fora do horário (meio-dia), conforme determinado no Regimento Interno, e invalidando a decisão de Rodrigo Maia, que aceitou o registro, contrariando a norma regimental.

Por Val-André Mutran – de Brasília