Alunos da Escola Irmã Dulce protestam na Câmara Municipal

Os estudantes pedem a conclusão das obras de reforma no prédio da escola, situada no Bairro da Paz
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

A resposta para os pedidos dos estudantes da Escola Estadual Irmã Dulce chegou logo. O portador foi o diretor da 21ª URE (Unidade Regional de Ensino), Carlos Eduardo Sousa do Nascimento. Ele lembrou que o governador Helder Barbalho, em visita na última semana a Parauapebas, esteve naquela escola onde empenhou sua palavra, prometendo que o prédio escolar será entregue reformado no dia 10 de maio, data em que se comemora o aniversário do município. “Como engenheiro civil que também sou, posso entender que, havendo uma força-tarefa, é possível cumprir o prazo. Apesar de que a previsão era para o mês de junho”, disse Carlos Eduardo.

A intervenção do diretor da URE se deu logo após a sessão da Câmara Municipal, ocorrida na manhã desta terça-feira, 9, onde alunos da Escola Irmã Dulce fizeram manifestação pacífica com cartazes pedindo a conclusão das obras de reformas no prédio da escola situada no Bairro da Paz. Com o início da obra ocorrido no começo do ano passado, as turmas foram remanejadas para o prédio do antigo Colégio Base Junior.

“Já saímos da escola Irmã Dulce exatamente pelos problemas estruturais, agora estamos em um prédio que também apresenta muitos problemas”, contou o estudante Wilian Nunes, dizendo ser necessário que se faça, pelo menos, reparos para que eles continuem lá, aguardando a conclusão da obra no prédio oficial da escola.

De acordo com os estudantes, o terceiro andar do prédio onde hoje estudam está com muitas goteiras, o telhado comprometido, as paredes externas com muitas rachaduras, falta água constantemente, não há pátio para recreio e a quadra fica na parte superior do prédio, não suportando todos os alunos. “Quando estamos lá encima, sentimos o prédio balançar, o que nos deixa cautelosos com o que pode acontecer”, detalhou Wilian.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir