Votorantim investe em novo projeto de alumina no Pará

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Votorantim

Representantes da empresa Votorantim Metais reuniram-se, na última segunda-feira, 05, com os diretores do Sistema Fiepa, para apresentar o projeto Alumina Rondon, que prevê um investimento de R$ 5.6 bilhões para a implantação de uma refinaria integrada e lavra de bauxita, instaladas no município de Rondon do Pará, localizado no sudeste do estado e distante cerca de 570km da capital paraense.

O projeto, ainda em fase de Licenciamento Ambiental, tem operação prevista para 2016 e apresenta vantagens competitivas que foram ressaltadas durante a reunião com os dirigentes do Sistema Fiepa.

Segundo Sérgio Oliveira, coordenador de Sustentabilidade da Votorantim, o projeto Alumina Rondon vai gerar, em média, seis mil postos de emprego na fase de construção e 1.600 na operação, entre mão de obra própria e contratados. “Nesse contexto, vamos priorizar a contratação e a capacitação de colaboradores e fornecedores locais”, ressaltou.

O projeto vai atuar em parceria com a Rede de Desenvolvimento de Fornecedores do Pará (Redes), da Fiepa, para as ações de qualificação das empresas locais a fim de que elas possam atender as demandas de produtos e serviços do empreendimento. O Sebrae também será parceiro nesta empreitada, qualificando micro e pequenos empreendedores localizados no entorno do projeto. “Faremos também parceria com o SESI e o Senai para a capacitação da mão de obra local, a fim de atender nossa demanda ainda nas fases de implantação e operação”, lembrou Daryush Khoshneviss, gerente geral do projeto.

Com uma expectativa de 40 anos de vida útil, o projeto terá a capacidade inicial de três milhões de toneladas de alumina por ano, com expansão para seis mil, até 2020. “A bauxita lavrada será transformada em alumina no mesmo local, agregando valor à cadeia. Para escoar a produção vamos utilizar as rodovias existentes, levando a produção até o município de Barcarena, onde será exportada pelo Porto de Vila do Conde”, explicou Sérgio Oliveira.

Na área de sustentabilidade ambiental, a empresa prevê baixo consumo de água através da recirculação e minimização de consumo, recuperação de áreas mineradoras e alto padrão de segurança no complexo industrial.

Ao final da reunião, Gualter Leitão, vice-presidente da Fiepa, ficou de formar uma comissão com os dirigentes da Casa para uma futura visita ao local onde será instalado o empreendimento. O compromisso da diretoria tem por objetivo aproximar ainda mais o Sistema Fiepa com o projeto, apresentando in loco as ações desenvolvidas pela entidade para o incremento da atividade industrial no Estado do Pará.

Fonte: Fiepa

Publicidade