Pará

Violência em 2016: Pará matou mais crianças e adolescentes que São Paulo

Estado está disparado tanto em números absolutos quanto em taxa de assassinato. Quase 6 mil crianças e adolescentes foram assassinadas no Pará em duas décadas, mostra SBP.

Um estudo inédito da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgado ontem (20) revela: o Pará é um dos campeões nacionais em mortes por arma de fogo de crianças e adolescentes com até 19 anos. A triste constatação faz parte de um extenso levantamento da entidade, que considera o período entre 1997 e 2016 a partir de dados oficiais do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde.

Apenas em 2016, o Pará assistiu ao assassinato de 594 crianças e adolescentes, um recorde nunca antes visto. Em 1997, o estado já matava 78 indivíduos na faixa etária analisada. De lá para cá, o número de óbitos disparou 660% e chama atenção para a falta de políticas públicas de segurança voltadas à preservação da vida sobretudo de adolescentes.

Nesse cenário de praticamente uma guerra, o Pará só perde para a Bahia (1.297 assassinatos), Rio de Janeiro (900), Minas Gerais (740), Pernambuco (677) e Ceará (669). De maneira impressionantemente absurda, o Pará já é mais letal para crianças e jovens com até 19 anos que São Paulo, onde três anos atrás 546 indivíduos foram vítimas de óbito. São Paulo, não é demais lembrar, tem cinco vezes mais habitantes que o Pará.

Municípios

A pesquisa da SBP não traz informações detalhadas em nível de município, mas já é suficiente para esclarecer que, por todo o estado, a violência é uma chaga histórica e precisa ser combatida urgentemente. O Blog do Zé Dudu, porém, foi atrás da situação por município na mesma fonte de que bebeu a Sociedade Brasileira de Pediatria e levantou, a partir de números preliminares ainda mais atuais, de 2017, que 581 paraenses com até 19 anos foram mortos por arma de fogo dois anos atrás.

Os recordistas são Belém, com 140 óbitos, Ananindeua, com 79, e Marabá, com 36, praticamente os líderes do estado em população também. Confira o triste ranking dos municípios onde mais crianças e adolescentes perdem a vida por arma de fogo.

Deixe seu comentário